Novo VW Gol 1.6 Total Flex Trend - Mexeram no campeão

Novo VW Gol 1.6 chega com visual mais moderno e um pouco maior, com discreto ganho em espaço interno. Mas os bancos são desconfortáveis e pacote de itens de série reduzido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 23/07/2008 12:08 Enio Greco /Estado de Minas
Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 18/07/08
Quem foi que disse que não se mexe em time que está ganhando? No país do futebol essa máxima pode prevalecer entre as quatro linhas do gramado, mas em outros setores a história é outra. O Volkswagen Gol é líder de vendas há 21 anos, mas a montadora sentiu a pressão da concorrência e, apesar da demora, percebeu que era hora de fazer mudanças no campeão. Mudou o visual, a arquitetura, o conjunto mecânico, o acabamento e ficou só o nome.



Estilo
Um dos pontos fortes do novo Gol é o design. As linhas da carroceria são mais modernas e acompanham as tendências atuais. A frente não chega a ser ousada, mas também não destoa do conjunto. O capô tem vincos salientes, que enfatizam a característica marcante do modelo: a robustez. A grade dianteira de apenas uma barra larga se funde com o pára-choque, que tem na parte inferior ampla entrada de ar e faróis de neblina embutidos. Detalhe: toda a parte vazada é coberta internamente por providencial tela protetora.

Veja mais fotos do Gol!

Os faróis de dupla parábola e desenho irregular têm base ligeiramente abaulada e invadem bem as laterais. O Gol agora tem as colunas dianteiras e o pára-brisa mais inclinados, reforçando o aspecto aerodinâmico. A traseira também é robusta e tem lanternas que lembram as do Golf, porém sem os elementos circulares, comuns nos modelos da marca. O aerofólio com luz de freio embutida é item de série na versão Trend e confere ao modelo estilo esportivo. Os retrovisores pintados em preto têm bom tamanho e ajudam a minimizar o problema de visibilidade traseira, que é prejudicada pelas colunas C (traseiras) largas e vidro pequeno.

Acabamentos
Se comparado com o acabamento da geração anterior do modelo, pode-se dizer que houve uma melhora. Mas ainda é inferior ao acabamento da terceira geração, que tinha material emborrachado no painel. No modelo atual, o plástico é mais duro e o revestimento de bancos e parte dos painéis de porta é feito com tecido sintético. O painel tem todos os comandos à mão, instrumentos em fundo preto de fácil visualização e detalhes que imitam aço escovado. Um visor digital mostra as informações do computador de bordo, como consumo médio, velocidade média, distância percorrida e autonomia. O volante tem comandos para o som e ajuste de altura e distância (opcional), mas é muito fino. Os comandos elétricos dos vidros estão mal localizados nos painéis das portas dianteiras.
Traseira tem vincos marcantes e formas robustas, com lanternas semelhantes às do Golf - Traseira tem vincos marcantes e formas robustas, com lanternas semelhantes às do Golf

Espaço
O Gol cresceu em tamanho e com isso ganhou espaço interno. Isso pode ser percebido principalmente no banco traseiro, em que se nota melhora no espaço para as pernas. Na frente, o espaço é basicamente o mesmo, mas a grande diferença é que o volante já não está mais descentralizado em relação à pedaleira. Melhorou a posição de dirigir, mas os bancos duros são desconfortáveis, apesar de terem abas laterais que mantêm motorista e passageiros firmes nas curvas. No banco traseiro, falta um encosto de cabeça e o cinto de segurança central é abdominal. O porta-malas tem a mesma capacidade do modelo anterior, ou seja, compatível com a categoria.

Desempenho
Se o Gol melhorou no visual e acabamento, está melhor também no desempenho. O novo motor 1.6, instalado na posição transversal, é eficiente tanto com álcool quanto com gasolina. É bem verdade que, com o combustível derivado da cana, nota-se uma melhora na performance, com arrancadas e retomadas mais rápidas. Mas com álcool o funcionamento do motor é mais áspero e o consumo, de acordo com o computador de bordo, fica na casa dos 6,2 km/l na cidade e 12 km/l na estrada. Já com gasolina os números melhoram: 8,5 km/l na cidade e 14 km/l na estrada. A agilidade do compacto está relacionada também com o perfeito escalonamento das relações de transmissão, que permitem total aproveitamento do torque do motor, que surge em baixas rotações. O câmbio tem engates macios e precisos, tornando o ato de dirigir mais prazeroso.

Gol X Concorrentes

Modelo Preço (R$)
Chevrolet Corsa 1.0 30.920
Chevrolet corsa 1.4 32.973
Fiat Palio 1.0 30.320
Fiat Palio 1.4 33.860
Ford Ka 1.0 26.190
Ford Ka 1.6 32.790
Renault Clio 1.0 26.890
Peugeot 206 1.4 28.690
Volkswagen Gol 1.0 28.890
Volkswagen Gol 1.6 32.780


Equilibrado
As suspensões do novo Gol privilegiam a estabilidade, proporcionando total segurança em curvas, mesmo em velocidades mais altas. O carro é um pouco duro, transferindo discretamente as irregularidades do solo para o interior, mas nada que comprometa. O sistema de freios com ABS funcionou de forma eficiente, mantendo o carro na trajetória em freadas de emergência. A direção tem assistência hidráulica bem calibrada e bom diâmetro de giro, facilitando nas manobras e garantindo segurança em velocidades mais altas. O novo Gol é um modelo equilibrado, que deve agradar ainda mais a sua legião de fãs.

Veja a avaliação técnica, os equipamentos, o preço e a ficha técnica no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação