Publicidade

Estado de Minas

C4 Pallas Flex Exclusive - Flexível no tanque e no câmbio

Além de poder ser abastecido com gasolina, álcool ou a mistura dos dois em qualquer proporção, C4 Pallas agora tem transmissão automática pelo mesmo preço da manual


postado em 12/11/2008 19:20

(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 24/10/08)
(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 24/10/08)
Produzido na Argentina e lançado há cerca de um ano e meio no Brasil, o C4 Pallas vem conquistando o consumidor brasileiro: foram mais de 20 mil unidades vendidas. Com a disputa ficando cada vez mais acirrada no segmento dos médios - no qual concorrem Honda Civic, Toyota Corolla, Ford Focus, Renault Mégane, VW Bora, Fiat Linea, Chevrolet Vectra, Peugeot 307, entre outros -, a Citroën desenvolveu, em conjunto com a Magneti Marelli, um sistema flexível para o Pallas (destinado também ao mercado europeu) e comercializar câmbio automático pelo mesmo preço do manual.

Assista ao teste do C4 Pallas neste domingo, dia 08/02, às 8h da manhã, no Vrum no SBT!


Mistura
A novidade flexível fez muito bem ao C4, pois o sistema manteve a potência e torque do motor quando alimentado somente com gasolina (143 cv e 20,4 kgfm), mas os aumentou consideravelmente (para 151 cv e 21,6 kgfm) quando se coloca apenas álcool no tanque. O ganho foi obtido apenas com uma reprogramação do sistema de injeção, sendo mantida a taxa de compressão (de 10,8:1). Isso foi possível graças ao sistema de distribuição de regulagens variáveis (VVT), que já estava presente no modelo anterior e que possibilita um preenchimento mais otimizado das câmaras de combustão em qualquer regime de rotação. Mas a Citroën pecou por não colocar uma luz indicativa do fim da gasolina do tanquinho no painel de instrumentos.

Diferença
De qualquer forma, a diferença de desempenho entre os dois combustíveis é incrível, principalmente nas retomadas de velocidade e nas acelerações. Com o combustível derivado da cana, o carro encara com mais fôlego subidas mais íngremes (tão comuns numa cidade como Belo Horizonte) e realiza ultrapassagens com um pouco mais de segurança nas estradas. Mas, para garantir reações mais rápidas, é preciso usar a posição S (de trocas mais esportivas) do câmbio automático, pois, no modo D normal, o motor demora a encher e as retomadas ficam mais lentas, embora a transmissão automática tenha um programa eletrônico para se adaptar ao estilo de dirigir do motorista.
Na traseira, destaque para as grandes lanternas, que invadem os pára-lamas
Na traseira, destaque para as grandes lanternas, que invadem os pára-lamas

Design
Um dos motivos do sucesso do Pallas é o seu arrojado design. Suas linhas fogem bastante do lugar-comum e são bem diferentes das dos concorrentes. Na dianteira, destacam-se bastante os faróis espichados, que sobem pelos pára-lamas; e as duas barras cromadas que formam o Chevron (símbolo da marca). Mas a frente é baixa e raspa facilmente em entradas e saídas de rampa. De perfil, as linhas curvas do teto e o desenho mais recatado das rodas de liga dão ar mais sóbrio ao sedã. A soleira e parte inferior das portas na cor preta tentam reduzir a sensação de carro muito alto. Os repetidores de seta ficam sob os retrovisores externos. A inscrição Flex também fica em um local pouco usual: na base do vidro vigia. Na traseira, as linhas também são ousadas, com grandes lanternas que invadem os pára-lamas. Destaque também para a barra cromada na base da tampa do porta-malas.

Assista: concorrentes do C4 Pallas


Pallas X Concorrentes
Modelo Preço (R$)
C4 Pallas GLX 62.650
C4 Pallas Exclusive Aut (carro testado) 73.000
C4 Pallas Completo 80.660
Peugeot 307 2.0 Feline 66.100
Toyota Corolla XEi 1.8 68.616
Honda Civic LXS 1.8 69.340
Ford Focus Sedan Ghia 2.0 69.385
Renault Megane Privilege 2.0 72.290
Chevrolet Vectra Elite 2.0 72.840

Interior
O C4 Pallas é espaçoso, principalmente para os ocupantes dos bancos dianteiros, que desfrutam de muito conforto. Quem senta nas laterais do banco traseiro também viaja confortável. Mas quem senta no meio é incomodado pelo apoio de braço embutido, pelo túnel central e pela extensão do console, e não tem a proteção (fundamental) do apoio de cabeça. Portanto, o sedã oferece segurança e conforto para quatro pessoas. A capacidade do porta-malas (580 litros) também é digna de elogio, mas, como o compartimento é muito horizontalizado, os objetos que ficam mais próximos do costado do banco traseiro são difíceis de serem retirados.

Equipamentos
Outros atrativos desse sedã da Citroën são a ampla lista de equipamentos de série; o acabamento, que é bem esmerado, com plásticos de boa qualidade; e detalhes interessantes, como o volante de centro fixo (com multifunções) e o perfumador de ambiente. Por outro lado, o painel digital dificulta a visualização de informações importantes, exigindo desvio maior de atenção do motorista, exceto o do velocímetro. A suspensão prima por garantir uma excelente estabilidade, mas filtra pouco as imperfeições do piso e é barulhenta.

Veja a avaliação técnica, os equipamentos de série, os opcionais e a ficha técnica do C4 Pallas flex no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade