Audi A4 2.0T - Básica requintada

Versão de entrada do sedã médio nada tem de despojada, principalmente no quesito tecnologia. Com a redução do IPI, modelo ficou com ótima relação custo/benefício

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/01/2009 16:07 Eduardo Aquino /Estado de Minas
Na frente, o charme do carro são a enorme grade, uma característica dos modelos da marca, e os faróis com luzes de LED - Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D. A Press Na frente, o charme do carro são a enorme grade, uma característica dos modelos da marca, e os faróis com luzes de LED
No segmento dos sedãs médios premium, o A4 enfrenta concorrentes de peso, como BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C. Para acompanhar o ritmo dos adversários mais diretos, que passaram por uma reestilização profunda recentemente (primeiro foi a Série 3 em 2006 e depois a Classe C, em 2008, no Brasil), a Audi teve que fazer também reformulação geral do modelo, que incluiu até nova plataforma (denominada modular longitudinal), a mesma usada no recém-lançado A5, que possibilita mais flexibilidade para alterar a distância entre-eixos.

Veja mais fotos do Audi A4!

Duas potências
A mudança também engloba importantes avanços tecnológicos, como os modernos motores turbo com injeção direta de combustível, câmbio Multitronic de variação contínua e sistemas de controles de funções e informações do veículo e de entretenimento. Primeiro, a Audi importou apenas a versão com motor V6 3.2, de 269 cv, mais sofisticada. Agora, está trazendo também as versões equipadas com o motor 2.0 turbo, que pode ter potência de 183cv ou 214 cv, dependendo da mudança da dimensão da turbina e na programação eletrônica do motor. Avaliamos a versão menos potente, que tem bom desempenho e preço competitivo (R$ 148.780).

Design
A nova geração do A4 tem visual bem arrojado, inspirado no esportivo R8. Na frente, todas as atenções se voltam para os faróis, com 14 LEDs (diodos emissores de luz), que formam um traço sinuoso e fazem a função de lanterna; para a grande grade, com moldura cromada, que já virou símbolo de design da marca; e os faróis de neblina, embutidos nas tomadas de ar laterais.

Vrum na TV: Na Europa, Boris Feldman o apresentou a versão topo de linha do A4


Esportividade
Enquanto o desenho das lanternas traseiras dão ar de sobriedade, escapamento de saída realça esportividade - Enquanto o desenho das lanternas traseiras dão ar de sobriedade, escapamento de saída realça esportividade
De perfil, o toque esportivo é dado pelas rodas de liga, com desenho bem inovador e parafuso anti-furto. Destaque também para os repetidores de seta nos retrovisores. As linhas traseiras estão bem integradas ao restante do conjunto. As lanternas têm desenho horizontalizado e lentes vermelhas avançam pela tampa traseira. A pitada de esportividade vem da saída dupla de escape. O porta-malas tem boa capacidade (480 litros) e acesso fácil, mas, para um veículo desse segmento, faltam ganchos de fixação de carga e rede para pequenos objetos.

Habitáculo
Por dentro, o bom padrão de acabamento faz esquecer que se trata de uma versão de entrada e mantém a mistura de esportividade com elegância. Os materiais são de boa qualidade, com predominância de couro na cor preta e detalhes imitando metal no alto dos painéis de porta, central e no console. No painel central, destaque para a tela (de 6,5 polegadas) do Audi Infotainment, um sistema de gerenciamento das funções e informações do carro. O A4 2.0T tem tudo o que se espera de conforto e segurança em um carro desse nível, incluindo airbags frontais, laterais e de cortina; sistema de som com MP3 e que permite conexões com iPod, leitura de cartão SD, entre outros; sistema Isofix para cadeiras infantis nos bancos dianteiro e traseiro; e teto solar com acionamento elétrico. Os pontos negativos são a visibilidade traseira, o conforto para quem senta no meio do banco traseiro e a falta de sensor de auxílio de estacionamento, que é opcional nessa versão.

Andando
Mesmo na versão de menor potência, o motor 2.0 turbo não decepciona, com muito fôlego em baixas e altas rotações, proporcionando boas acelerações e retomadas. O câmbio automático de oito marchas é um pouco preguiçoso na arrancada quando se usa a posição D. Para deixá-lo mais esperto, é melhor optar pelas trocas manuais, que podem ser feitas, de modo bem mais prático, pelas hastes na coluna de direção. A suspensão equilibra bem conforto e estabilidade, mas é um pouco barulhenta. O A4 2.0T é uma boa opção de entrada para quem quer um cardápio mais sofisticado.

Veja a avaliação técnica, os equipamentos de série, os opcionais e a ficha técnica do Audi A4 2.0 no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação