VW Polo GT 2.0 Flex - Nem bravo, nem bobo

Desempenho do hatch compacto não chega a ser igual ao de um autêntico esportivo, mas esse Volkswagen transmite muita segurança nas curvas. Espaço interno é reduzido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/01/2009 18:20 Enio Greco /Estado de Minas
Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press
Nos bons tempos, para um modelo ganhar a chancela GT, precisava ter em primeiro lugar motor muito potente. Atualmente, isso já não se faz necessário. Basta usar alguns recursos de maquiagem, como adereços e acessórios, para se fazer um esportivo. O VW Polo GT joga nesse time que convence mais pelo apelo visual, mas também não decepciona no desempenho. A performance não é a de um bólido bravo, mas atende bem no trânsito urbano e na estrada. Os principais problemas são espaço interno reduzido e ausência do apoio de cabeça central no banco traseiro.

Veja mais fotos do Polo GT 2.0 flex!

Visual
O Polo GT feito no Brasil tem até algumas semelhanças com a versão GTi 1.8 turbo, produzida na Alemanha, mas só no visual. O de lá é esportivo no estilo e no desempenho. Já o modelo brasileiro tem a esportividade enfatizada mais no visual. A frente robusta tem a grade tipo colmeia, pintada em preto, no formato de V, invadindo o para-choque, que tem na parte inferior faróis de neblina embutidos. Os faróis de dupla parábola ganharam um toque especial com a máscara negra. As laterais são limpas e contam com frisos e maçanetas pintadas na cor da carroceria. Na traseira, aerofólio pintado em preto, saída de escapamento dupla e cromada e a identificação GT. O nome Polo não aparece. As rodas de liga leve têm desenho esportivo e pneus de perfil baixo.

Vrum na TV: assista ao teste do Polo 2.0


Por dentro
O estilo esportivo do VW Polo invade o interior do carro, que tem soleiras das portas com a sigla GT, que aparece também no volante e na manopla do câmbio. No acabamento interno, predomina o plástico duro, mas de aparente boa qualidade. Os bancos têm formato esportivo e são revestidos com tecido do tipo tear. Os comandos elétricos dos vidros estão bem localizados nos painéis das portas. Já o painel principal tem instrumentos com fundo preto e iluminação azul, de fácil visualização. No meio, um visor digital com computador de bordo, que informa consumo, velocidade média, entre outros. Há ainda controlador de velocidade (piloto automático) e equipamento de som com vários tipos de mídia.

Concorrentes: Polo GT x Fiat Punto Sporting


Espaço
Grade dianteira tipo colmeia com desenho em V, tem pintura diferenciada - Grade dianteira tipo colmeia com desenho em V, tem pintura diferenciada
Para encontrar uma boa posição de dirigir é fácil. Os bancos são confortáveis, sendo que o do motorista conta com ajuste de altura. O volante também pode ser ajustado em altura e distância. O espaço interno é ponto fraco do Polo, principalmente no banco traseiro, onde se acomodam com relativo conforto apenas duas pessoas. Aliás, ali falta o apoio de cabeça central, confirmando que no meio é melhor não ir ninguém. O porta-malas também é pequeno, suficiente apenas para a bagagem de um casal, sem exageros. Outro ponto negativo do Polo é a visibilidade lateral traseira, prejudicada pelas colunas largas, dificultando em manobra.

Performance
O motor 2.0 flex da VW não é o mais apropriado para versão esportiva, mas não decepciona se o freguês não for muito exigente. Tem boa potência e torque, favorecendo arrancadas no trânsito urbano e retomadas de velocidade nas estradas. O carro anda bem, mas não tem comportamento esportivo, com acelerações rápidas. O câmbio, com engates macios e precisos, e a transmissão, com marchas bem escalonadas, contribuem para o bom aproveitamento da força do motor, favorecendo a performance do modelo.

Equilibrado
O Polo GT é bem ajustado, gostoso de dirigir. As suspensões foram bem calibradas e conseguem filtrar de forma eficiente as imperfeições do solo, apesar dos pneus de perfil baixo, e garantem total segurança em curvas, mesmo em velocidades mais elevadas. A direção também foi bem calibrada, facilitando em manobras e garantindo firmeza em condução mais esportiva. Para segurar o GT, freios com discos nas quatro rodas, ABS e EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem). Para um carro de mais de R$ 50 mil, faltou o ajuste elétrico de altura do facho dos faróis, item importante para ocasiões em que o porta-malas está carregado.

Veja a avaliação técnica, os equipamentos de série, os opcionais e a ficha técnica do VW Polo GT 2.0 no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação