Publicidade

Estado de Minas

Peugeot 207 XS Passion 1.6 flex - Beleza e potência

Sedã compacto seduz pelas linhas atraentes da carroceria, desempenho e porta-malas. Visibilidade lateral traseira é ruim e faltam itens de segurança de série e opcionais


postado em 19/02/2009 09:30

(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D. A Press)
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D. A Press)
Os sedãs conquistaram o consumidor brasileiro, apesar da falta de praticidade em relação a hatch e perua. É que estes levam objetos maiores pela grande abertura da porta traseira. A limitação dos sedãs é o vão pequeno de entrada do porta-malas. A Peugeot acerta o alvo com a transformação do hatch em sedã. O conjunto está bonito e harmonioso. É impossível ficar indiferente, o carro chama a atenção por onde passa. Mas é errado denominar o carro de 207, quando é, de fato, um 206 com alterações significativas de mecânica e estética. Na Europa, o modelo é vendido como 206 , pois lá convive com o 207, que é outro carro. Como se percebe, tratamento é bem diferente.

Interior
Se as linhas da carroceria atraem, o interior ficou melhor com uso de materiais de boa qualidade e textura agradável. A diferença do modelo hatch para o sedã é o porta-malas destacado. Só isso. O espaço interno, bastante limitado no banco traseiro, é o mesmo. O quadro de instrumentos é de fácil leitura com grafismo bem-feito. Os comandos do painel estão bem posicionados e ao alcance das mãos. Um dos inconvenientes era o barulho excessivo do trambulador nas trocas de marchas. Com as várias alterações de ordem mecânicas, o inconveniente é passado. Os bancos deveriam ter melhor anatomia.

Assista ao teste do Peugeot no Vrum na TV


Dirigindo
A alavanca tem boa pega e os engates são suaves e precisos. As relações aproveitam bem a potência e força do motor, proporcionando bom desempenho em todas as situações. Como o momento máximo de torque ocorre em faixa elevada de rotação, é prudente manter o motor em torno de 3.000rpm para realizar ultrapassagens rápidas e seguras. O desempenho é muito melhor com álcool, quando se tem mais torque disponível (ver ficha técnica na página 4). A frente baixa faz com que o carro esbarre fácil em saídas de garagem.

De frente <b>(acima)</b>, o carro impressiona pelos faróis e grade de grandes proporções e a harmonia do conjunto está na traseira
De frente (acima), o carro impressiona pelos faróis e grade de grandes proporções e a harmonia do conjunto está na traseira

Segurança
No banco traseiro, faltam cinto de três pontos e apoio de cabeça central. Nesta versão do Passion não estão disponíveis airbags e sistema ABS de freios nem na lista de opcionais. A versão tem muitos equipamentos de conforto e conveniência, mas peca em segurança. A estabilidade é um dos destaques do carro, transmitindo confiança em curvas. A calibragem da suspensão melhorou e ficou mais agradável, com transferência menor das imperfeições para dentro. A visibilidade lateral traseira é limitada pela largura da coluna C e compensada, em parte, pelos espelhos retrovisores bem dimensionados.

Bagagem
O atrativo dos sedãs é, sem dúvida, o porta-malas. O do Passion tem boa capacidade (ver ficha técnica), apesar de ser menor em relação aos concorrentes (ver quadro na página 4). Há porta-objetos em diversos pontos no interior e rede para prender objetos no porta-malas, o que é funcional e prático.O conjunto é bom e agradável aos olhos. O carro tem tudo para fazer sucesso no Brasil. O senão é o nome de batismo.

Veja a avaliação técnica, os equipamentos de série, os opcionais e a ficha técnica do Peugeot Passion no Veja Também, no canto superior direito desta página

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade