Publicidade

Estado de Minas

Chevrolet Captiva Sport 2.4 16V Ecotec - Barato mexicano

Entusiasmada com sucesso da versão com motor V6, GM importa modelo de menor preço, equipado com motor de quatro cilindros e lista de equipamentos mais modesta


postado em 08/04/2009 14:44

Na traseira destacam-se as lanternas com lentes de duas cores e o pára-choque cinza escuro
Na traseira destacam-se as lanternas com lentes de duas cores e o pára-choque cinza escuro
O mercado brasileiro tem as suas febres. A dos utilitários-esportivos tem durado bastante, e atingiu também nos últimos anos os crossovers, que são uma evolução natural desse tipo de veículo, pois misturam características de utilitário-esportivo e perua, sendo mais voltados para o asfalto do que para a terra. E a GM apostou alto no Captiva, produzido no México. Primeiro (no fim do ano passado), trouxe a versão mais completa, com motor V6 e muitos equipamentos de conforto. Como o carro caiu no gosto do brasileiro, a montadora quer aproveitar a onda para conquistar também o público que "pode menos", trazendo a versão que tem motor de quatro cilindros, lista de equipamentos mais modesta e que custa R$ 10 mil a menos que a V6 de entrada.



Estilo
No Brasil, um dos itens mais observados pelos compradores de carros dessa categoria é a imponência do design. E essa é uma das sensações transmitidas pelas linhas do Captiva, além da esportividade e elegância. Na verdade, o Captiva é a versão americana do europeu Opel Antara, ambos lançados em 2006, sendo um dos primeiros frutos do "novo" projeto estilístico do Grupo GM. Na frente, destaca-se a grade com a barra e a gravatinha. De perfil, o desenho das rodas de liga e a linha de cintura alta dão um toque esportivo. Na traseira, chamam a atenção o para-choque, que é elevado e tem plástico cinza imitando chapa protetora como o dianteiro; as lanternas bicolores, com elementos circulares; e as luzes de localização nas laterais do para-choque.

Veja mais fotos do Chevrolet Captiva!

Diferenças
As diferenças visuais externas dessa versão de entrada, em relação à equipada com motor V6, são os para-choques, saias laterais, molduras dos para-lamas e maçanetas das portas na cor cinza; as rodas de liga, que têm seis raios, em vez de cinco; e a saída simples (e não dupla) do escapamento. Por dentro, em comparação com a opção mais sofisticada, a Ecotec perde por pouca coisa, como o ar-condicionado analógico, no lugar do digital; regulagens elétricas do banco; e revestimento em couro. O acabamento, de boa qualidade, mistura a cor preta (volante, parte alta do painel e descansa-braço da porta), cinza escuro (painel central, parte do console e centro do painel de porta) e cinza claro (parte baixa do painel).
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 16/3/09)
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 16/3/09)

Conforto
De qualquer forma, o nível de conforto é elevado. Quatro adultos e uma criança viajam sem aperto. Mas quem senta no meio é incomodado pelo descansa-braço central embutido e pelo fim do console, e não tem apoio de cabeça. Um pecado, pois o carro oferece pacote de segurança exemplar: airbags frontais, laterais e de cortina; freios ABS; cintos de três pontos para todos os ocupantes; controles de tração e estabilidade; sensor de pressão de pneus; apoios de cabeça dianteiros ativos; sistema de fixação de cadeirinhas (Isofix); e sistema de pedais desarmáveis. O porta-malas tem ganchos para fixação da carga, dois pequenos porta-trecos nas laterais e capacidade compatível com a proposta (cabem 821 litros até o teto, e a capacidade sobe para 1.586 litros com os bancos traseiros rebatidos), mas falta rede para pequenos objetos.

Dirigindo
Mas as maiores diferenças, em relação à Captiva V6, aparecem quando o motorista liga o motor. Embora não faça feio, pois a tropa (de 171 cv) é respeitável, o motor 2.4 tem um desempenho apenas razoável, ou seja, dá conta do recado e ponto final. Por outro lado, o consumo é bem mais em conta (o computador de bordo registrou média de 6,8 km/l na cidade), levando em consideração que se trata de um crossover de mais de uma tonelada e meia (1.678 quilos). O câmbio de quatro marchas também é limitado e não oferece opção de troca esportiva.



Versões do Captiva e concorrentes
Modelo Preço (R$)
Chevrolet Captiva 2.4 Ecotec 86.990
Chevrolet Captiva V6 FWD (4x2) 98.630
Chevrolet Captiva V6 AWD (4x4) 105.750
Suzuki Grand Vitara 2.0 86.590
Nissan X-Trail SE 2.0 87.790
Honda CR-V LX 2.0 94.500

Barulho
A suspensão não absorve bem as irregularidades do piso, não tem um bom equilíbrio entre conforto e estabilidade e é bastante barulhenta, o que incomoda quando se roda em pisos irregulares. A visibilidade é boa em todas as direções, mas o diâmetro de giro muito longo obriga o motorista a realizar várias manobras para sair de uma vaga. Em suma, principalmente pelos pacotes de segurança e conforto, o Ecotec vale os R$ 86.990.

POSITIVO
Design
Segurança
Visibilidade

NEGATIVO
Câmbio
Suspensão barulhenta
Diâmetro de giro longo

Veja a avaliação técnica, os equipamentos de séries, os opcionais e a ficha técnica do Captiva Ecotec no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Aproveite e leia e assista abaixo ao teste do Captiva Sport V6 AWD e do Nissan X-Trail 2.0:


. Chevrolet Captiva Sport V6 3.6 AWD - Força e beleza
. Nissan X-Trail 2.0 16V - Quadrado redondo

Veja outras atrações do Programa Vrum!

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade