Kia Sportage EX 2.0 16V - Vocação urbana

Utilitário-esportivo de linhas robustas agrada pelo bom espaço interno e direção bem calibrada. Mas suspensões transferem irregularidades do solo, causando desconforto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 13/05/2009 07:00 Enio Greco /Estado de Minas
Rodas de liga leve 16 polegadas, saídas de escapamento cromadas e rack de teto conferem estilo esportivo - Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D. A Press - 21/4/09 Rodas de liga leve 16 polegadas, saídas de escapamento cromadas e rack de teto conferem estilo esportivo
Os utilitários-esportivos continuam em alta no Brasil, com um volumoso grupo de admiradores. E existem no mercado diferentes opções, para todos os tipos de gostos e bolsos. O Kia Sportage na versão EX 2.0 4x2 é um dos modelos com preço competitivo, que pode ser equipado opcionalmente com câmbio automático de quatro marchas. Seu desempenho é satisfatório e o espaço interno, um dos pontos positivos. Mas as suspensões não filtram bem as irregularidades do solo e, no banco traseiro, falta o cinto de segurança central de três pontos retrátil.



Estilo
Com dimensões avantajadas, o Kia Sportage segue bem a cartilha do utilitário-esportivo. Tem linhas robustas, com grandes faróis de forma irregular, grade tipo colmeia com faixa cromada e entradas de ar na parte inferior do para-choque. O para-brisa tem inclinação acentuada, melhorando o aspecto aerodinâmico. As laterais são lisas, com molduras que enfatizam a robustez. No teto, o rack, com barras de alumínio, ajuda a compor o visual. A traseira tem lanternas grandes, com detalhes cromados, escapamento com saída dupla e tampa do porta-malas com abertura independente do vidro, facilitando o acesso ao compartimento. A visibilidade traseira não é boa, mas os retrovisores de bom tamanho minimizam o problema.

Veja mais fotos do Kia Sportage!

Espaço
Um dos destaques do Sportage é o espaço interno. O porta-malas não é dos maiores, mas atende satisfatoriamente e conta com cobertura que pode ser recolhida. Para motorista e passageiros, o espaço é bom, inclusive no banco traseiro, que não tem o incômodo túnel central no assoalho, roubando o espaço para as pernas de quem vai no meio. Tem também os três apoios de cabeça, mas o cinto de segurança central é abdominal. Para um veículo desse porte, deveria ser de três pontos retrátil. O único inconveniente do banco traseiro é o fato de ser baixo, não apoiando bem as pernas.
Mesmo com a coluna traseira vazada com vidro, modelo tem visibilidade lateral prejudicada - Mesmo com a coluna traseira vazada com vidro, modelo tem visibilidade lateral prejudicada

Acabamento
O banco do motorista tem ajuste manual de altura e abas laterais, que ajudam a mantê-lo firme na direção. A coluna de direção pode ser regulada em altura, auxiliando o motorista a encontrar a melhor posição de dirigir. Mas o volante é fino, exigindo mais força nas mãos. Todos os comandos podem ser facilmente acessados e o painel tem instrumentos com fundo preto e visor digital. O controlador de velocidade é acionado por comandos no volante. O plástico predomina no acabamento interno, que aparenta boa qualidade. Há detalhes imitando couro e aço escovado. Para fazer o estilo utilitário, vários porta-objetos espalhados no console e portas.



Conjunto mecânico
O motor 2.0 16V não é a melhor opção para um carro grande e pesado, mas, nesse caso, cumpre bem a função. Só é um pouco ruidoso em altas rotações. O carro anda bem no asfalto e na terra, onde a boa altura do solo e bons ângulos de entrada e saída facilitam o rodar sobre pisos irregulares. A versão testada tem tração 4x2 e se comportou bem sobre piso de terra com cascalho. Só não pode abusar, senão fica. Os pneus são mais apropriados para o asfalto, piso preferido do Sportage. O câmbio automático de quatro marchas não é dos mais modernos, mas tem a opção de trocas manuais sequenciais. O bom escalonamento das marchas favorece o desempenho, com trocas suaves. Mas, no kick-down, quando o motorista pisa fundo no acelerador, ele demora um pouco para reagir na retomada de velocidade.

Equilibrado
O utilitário tem direção bem calibrada, com reações balanceadas em velocidades mais altas e bom diâmetro de giro, facilitando as manobras. O sistema de freios atuou de forma eficiente e as suspensões mostraram boa estabilidade em curvas, com pouca inclinação da carroceria. Mas, sobre pisos irregulares, as suspensões transferem as imperfeições do solo, causando certo desconforto. O Kia Sportage na versão 4x2 com câmbio automático tem estilo e se impõe no trânsito, mas está mais para o asfalto do que para a terra.

Veja a avaliação técnica, os equipamentos de série, os opcionais e o preço do Kia Sportage no Veja Também, no canto superior direito desta página.

Leia também

Teste do Hyundai Tucson V6
Lançamento do Volkswagen Tiguan
Segurança - Modinha perigosa

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação