Publicidade

Estado de Minas

Todas as cartas do utilitário coreano - Avaliação técnica do Sportage

O Kia Sportage, equipado com motor 2.0 e câmbio automático de quatro marchas, tem desempenho satisfatório. Confira os detalhes do modelo


postado em 13/05/2009 07:10

(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D. A Press - 21/4/09)
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D. A Press - 21/4/09)
BOM

Altura do solo
Não tem proteção por chapa em aço para a zona
inferior do motor e câmbio, e sim um prolongamento plástico acoplado na base inferior do para-choque, com comprimento e espessura limitados. Não ocorreram interferências com o solo no uso normal sobre estrada de terra batida com algumas imperfeições e no uso misto (rodovia asfaltada/cidade). Os ângulos de ataque e saída satisfazem para uma utilização leve (veículo sem opcional 4x4).

Veja mais fotos do Kia Sportage!

Climatização
É automático digital. Apresentou bom funcionamento, com boa vazão de ar e angulação dos quatro difusores frontais do painel. O nível de ruídos de funcionamento na máxima velocidade é satisfatória. Não tem opção de regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro, nem difusor de ar específico para os passageiros de trás. Não ocorreu entrada de gases/fumaça do externo quando com somente recírculo interno de ar.

Freios
O pedal de freio tem boa sensibilidade e o ABS está bem calibrado para o uso misto (asfalto/terra). O freio de estacionamento está instalado entre os bancos dianteiros e atuou normal. Apresentaram bom comportamento dinâmico, com reações uniformes nos dois eixos, boa desaceleração e resistência térmica satisfatória depois de uso mais severo, em longa descida sinuosa.

Câmbio
É automático, com quatro marchas, e tem opção de uso manual sequencial por meio de toques na própria alavanca principal. No quadro de instrumentos tem display informando o modo e marcha selecionados. Tem tração 4x2 (4x4 opcional). As relações de marchas/diferencial atendem razoavelmente a dinâmica do automóvel e as respostas em kick-down são aceitáveis.

Motor
A performance, em função de estar acoplado a um câmbio automático de quatro velocidades, de ter torque máximo em alta rotação e do peso do veículo, é razoável, mas sem brilho dinâmico. As retomadas de velocidade e aceleração são normais e aceitáveis para a proposta dessa versão. O nível de ruídos de funcionamento é compatível para um cabeçote com arquitetura de quatro válvulas por cilindro.
Propulsor quatro cilindros é ruidoso em altas rotações. Porta-malas não é dos maiores, mas tem boa capacidade
Propulsor quatro cilindros é ruidoso em altas rotações. Porta-malas não é dos maiores, mas tem boa capacidade

Vedação
Boa contra poeira e água.

Direção
A coluna de direção tem regulagem angular somente em altura, com curso satisfatório. O sistema é assistido hidraulicamente e está bem definido, com cargas bem elaboradas para o uso na estrada, onde é firme e tem boa sensibilidade, com reações uniformes; e, na cidade, com boa leveza e conforto em manobras de estacionamento/garagem. A precisão na reta e em curvas é muito boa e é baixo o nível de ruídos em curvas (terra e paralelepípedo), numa utilização severa do conjunto. A velocidade do efeito-retorno é boa, assim como o diâmetro de giro.

Limpador do para-brisa
Os esguichos no para-brisa (seis jatos) têm boa vazão e pressão, assim como o do vidro traseiro (dois jatos). Quando acionados, ativam automaticamente palhetas de boa qualidade, que varrem uma área satisfatória. É fácil a identificação e acesso ao reservatório de água instalado dentro do vão do motor.

Estepe/macaco
O estepe, que está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho, tem roda e pneu iguais aos de uso. O kit de troca está ao seu lado. A operação de troca é normal, com pontos de encaixe do macaco nas soleiras, e são cinco os prisioneiros fixos por cubo, que facilitam na centragem e apoio do conjunto roda/ pneu.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda combinada com Philips.

REGULAR

Acabamento da carroceria
As portas dianteiras e a traseira esquerda estão desniveladas. O capô tem montagem razoável (centralização e nivelamento), assim como a tampa traseira e o vidro basculante. A qualidade final da pintura é boa e tem tonalidade homogênea nas partes em aço e em plástico. A montagem das molduras plásticas que envolvem os para-lamas está bem-feita, menos na extremidade do lado direito, que estava se soltando.

Vão do motor

O isolamento acústico do vão (somente parte do painel do fogo), em relação ao habitáculo, tem resultado discreto, sendo que, em alta rotação do motor, é notória a transferência de ruídos. O acesso à manutenção é bom, apesar de o motopropulsor ser montado transversalmente e estar em um ponto mais baixo em relação ao painel dianteiro. Os componentes têm boa sistematização e os itens de verificação permanente, fácil identificação.

Suspensão
O conforto de marcha é aceitável no uso misto em geral, mas, conforme o tipo de imperfeições do solo, incomoda aos  ocupantes o nível das transferências. A estabilidade é normal numa condução usual do veículo, com boa precisão em curvas e inclinação moderada da carroceria. Em velocidade mais elevada, em asfalto liso e seco, tende a sair de frente em curvas de raio curto e médio, feitas no limite da aderência lateral, mas com fácil correção. Em curvas com imperfeições, do tipo terra com costelas e asfalto ondulado e remendado, perde em estabilidade direcional, principalmente por meio da suspensão traseira. As suspensões apresentaram-se um pouco barulhentas quando sobre piso irregular.

Iluminação
Os faróis dianteiros apresentaram infiltração de água na zona da seta/farolete, deixando a lente úmida. Tem luz de cortesia somente no porta-malas, e, na zona do teto, há uma lanterna no centro e dois spots fixos para condutor e passageiro da frente, junto ao retrovisor. Os faróis têm eficiência normal (refletor único) no baixo e no alto e contam com o auxílio de faróis de neblina, embutidos no para-choque, mas peca por não ter regulagem elétrica de altura em função da carga transportada.

Alarme
Tem proteção perimétrica contra abertura forçada das partes
móveis, mas não tem a volumétrica, contra invasão do habitáculo, através da quebra dos vidros. A chave de ignição codificada não é de série.

RUIM


Nível interno de ruídos
Ao trafegar sobre pisos irregulares surgem vários pequenos ruídos no habitáculo. O efeito aerodinâmico é baixo até 100 km/h.

EXTRA

Volume do porta-malas
O declarado pela fábrica é de 667,4 litros, sendo o encontrado na nossa medição 382 litros, com o banco traseiro na posição normal e com a cortina superior esticada.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade