Publicidade

Estado de Minas

Toyota Hilux SW4 SRV V6 4.0 - Utilitário na linha de tiro

Toyota SW4 passa por verdadeiras provas de fogo


postado em 27/10/2009 15:32

(foto: Fotos Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
(foto: Fotos Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
Avaliação técnica

Positivo

Altura do solo

Os ângulos de ataque e saída atendem bem ao uso off-road leve e ao trafegar em estrada de terra com imperfeições. Não ocorreram interferências com o solo no percurso de prova, inclusive quando com carga útil simulada de cinco adultos e bagagem. Por prevenção, tem proteção inferior por chapa em aço, com ventilação na parte frontal e placas plásticas para a zona inferior do motor, caixa de transferência e tanque de combustível.

Climatização
É automático digital. Apresentou bom funcionamento com boa vazão pelos difusores de ar do painel e tem saídas específicas reguláveis (velocidade e aletas direcionais) para os passageiros de trás, embutidas na zona central do teto, com boa vazão. O nível de ruídos de funcionamento, mesmo na máxima velocidade, é razoável. O sistema está bem vedado contra a admissão de gases/fumaça do externo e o tempo gasto para dar a sensação de conforto no habitáculo após meia hora trancado ao sol foi satisfatório.

Freios

Apresentaram bom comportamento dinâmico no uso cidade/estrada, com boa sensibilidade do pedal, ABS bem calibrado, atuando nas quatro rodas, e ausência de superaquecimento após uso contínuo em longa descida sinuosa com frenagens fortes na entrada das curvas. O freio de estacionamento fica no túnel central, ao lado do banco do condutor e apresentou bom funcionamento.

Câmbio

A transmissão é automática, com quatro marchas (over-drive), com relações que atendem bem no uso misto. O sistema de tração 4x4 é permanente e tem a opção de reduzida, com acionamento manual por meio de alavanca junto à principal. As trocas são suaves, tem display no quadro de instrumentos indicando o modo de condução selecionado e as respostas em kick down são eficientes. Não tem a opção de troca manual seqüencial.

Motor
A performance do motor V6 4.0 é boa para a massa do veículo com 1.920kg em ordem de marcha. As retomadas de velocidade e aceleração são satisfatórias. O seu funcionamento é elástico, sem vibrações e com nível de ruídos de funcionamento aceitável, mas o sistema de arrefecimento com hélice viscosa transfere ruído, quando acoplado.

Vedação

Boa contra água e poeira.

Limpador de para-brisa
Os esguichos são do tipo spray em V com boa vazão e ao acioná-los as palhetas entram em funcionamento automático, varrendo uma área satisfatória. No vidro traseiro a vazão de água é ótima de cima para baixo e a área limpa é boa. É fácil o acesso para reposição de água no reservatório dentro do vão do motor.

Ferramentas
Tem um kit muito bom com uma chave de boca 10 x 8mm, uma chave de boca 12 x 14mm, uma chave de fenda conjugada com Phillips e um alicate tipo bico de papagaio.

Regular



Acabamento da carroceria
A qualidade final da pintura é boa. Os estribos, para-barros, recobrimentos plásticos das curvaturas dos para-lamas, lanternas, faróis, para-choques etc, têm boa montagem. As quatro portas estão desniveladas, o capô descentralizado, mas a tampa traseira tem boa montagem.

Parte superior do motor V6 4.0 é encoberta por plástico
Parte superior do motor V6 4.0 é encoberta por plástico
 


Vão do motor
O resultado do isolamento acústico (somente na parte interna do capô), em relação ao habitáculo, em rotação média/alta é discreto, devido ao nível da transferência do ruído de funcionamento do motor. Toda a zona superior do motor é encoberta por acabamento plástico, deixando um aspecto limpo e organizado. Os acessos laterais ao propulsor são satisfatórios. Os itens de verificação constante têm fácil identificação e manuseio. O capô é sustentado, quando aberto, por vareta manual.

Suspensão
O conforto de marcha é bem limitado e merecia um melhor acerto para essa versão de uso mais familiar. A estabilidade é boa para uso normal, mas requer atenção e cuidado numa condução mais esportiva, apesar da tração 4x4 permanente. O comportamento dinâmico sobre piso irregular satisfaz bem. Não tem controle eletrônico de tração e estabilidade.

Direção

A coluna de direção tem regulagem angular somente em altura e o curso é bem limitado para cima, prejudicando a dirigibilidade para pessoas de maior estatura e os bancos são desconfortáveis. O volante tem boa pega e bom tamanho. Os pneus homologados são do tipo para uso no asfalto e terra batida seca e a calibragem é a mesma, seja com somente condutor, seja completamente carregado. O diâmetro de giro é limitado em manobras de estacionamento e o efeito retorno tem velocidade razoável. Ao andar sobre pisos irregulares, ocorre vibração do sistema de direção com reflexo no volante, o que incomoda bem.

Iluminação
O grupo óptico dianteiro é eficiente no baixo e no alto, mas peca por não ter regulagem elétrica de altura em função da carga transportada, pois incomoda e prejudica os que cruzam e ao andar atrás de um outro veículo. Não tem luz de cortesia em nenhum local. Tem faróis auxiliares de neblina embutidos no para-choque e a iluminação na zona do teto é boa, com três sessões, sendo uma na zona anterior com duplo spot fixo, uma lanterna central e outra em cima do vão de carga. O quadro de instrumentos tem iluminação permanente.

Alarme

A chave de ignição tem sistema de imobilizador do motor. Tem proteção perimetral contra abertura forçada das partes móveis e se tentarem desconectar o terminal da bateria. Não tem proteção volumétrica contra invasão no habitáculo através da quebra dos vidros e ao dar comando, por controle remoto, inserido na própria chave de ignição para travar as portas, os vidros não sobem automaticamente.

Negativo

Nível interno de ruídos
O habitáculo não é silencioso quando sobre pisos irregulares. O efeito aerodinâmico é notório a partir de 110km/h.

Estepe/macaco
O macaco do tipo garrafa está alojado na lateral esquerda do vão de carga, atrás de tampa plástica. Junto dele está a bolsa de vinil com o kit de troca (chave de roda e extensões da manivela). O estepe tem a roda e o pneu iguais aos de uso e está instalado abaixo do vão de carga em suporte basculável. A operação de troca é ruim, cansativa, não é limpa e se for noturna será necessária uma lanterna para localizar o ponto de apoio da extremidade da extensão que ativa o sistema de basculamento do pneu e, também, para abrir o cadeado antifurto, se instalado. Os pontos de apoio do macaco estão sob a travessa da suspensão dianteira e alojamento do eixo traseiro. A única facilidade é que os cubos têm seis prisioneiros fixos, o que ajuda no apoio e centragem da roda/pneu, que é pesado.

Volume do porta-malas
Com a terceira fileira de bancos montada na posição normal e sem ultrapassar o nível do encosto do banco e vidros vigias laterais, o encontrado foi de 238 litros.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade