Fiat 500 - Baixinho de queixo duro

Quem olha para as reduzidas dimensões do Fiat 500 não imagina que o carrinho dê trabalho na hora de estacionar. O diâmetro de giro grande dificulta as manobras em espaços reduzidos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 09/11/2009 11:37 Enio Greco /Estado de Minas
Fotos Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press
Avaliação técnica


Positivo

Freios
O pedal tem boa sensibilidade e relação, e o freio de estacionamento atuou normalmente. Modelo tem sistema Hill Holder, que auxilia bastante em arrancadas em piso inclinado. Apresentaram bom comportamento dinâmico, com reações bem balanceadas nos dois eixos, boa desaceleração e ABS bem calibrado.

Câmbio
A qualidade de engate é boa, em precisão, maciez, curso da alavanca e pega no pomo. Tem mecanismo inibidor de marcha a ré, que fica ao lado da sexta marcha. As relações de marchas/diferencial atendem a dirigibilidade na cidade e em rodovias, mas as trocas são mais constantes em topografia irregular.

Veja mais fotos do Fiat 500 1.4 16V!

Vedação
Boa contra água.

Direção
A assistência elétrica tem cargas bem elaboradas para o uso urbano e em rodovias. A velocidade do efeito/retorno é boa. A coluna de direção tem ajuste em altura, com bom curso, e o volante, boa pega. A precisão na reta é boa, assim como em curvas com boa sensibilidade e reações equilibradas, sem ser do tipo direta.

Limpador do para-brisa
Ao esguichar seis jatos de água no para-brisa, o sistema de limpeza, com palhetas de qualidade, varrem automaticamente uma área razoável. No vidro traseiro, o sistema é também eficiente. É fácil a identificação e manuseio do reservatório de água, instalado dentro do vão do motor. Não tem sensor de chuva.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda combinada com Phillips.

Regular

Acabamento da carroceria

As portas estão desniveladas e a tampa traseira, descentralizada. O capô tem montagem satisfatória. A qualidade final da pintura é boa. O campo de visão dos retrovisores é excelente.

Motor 1.4 é ruidoso, mas trabalha bem com o câmbio manual de seis marchas - Motor 1.4 é ruidoso, mas trabalha bem com o câmbio manual de seis marchas
 

Motor
A performance não tem brilho esportivo. A aceleração é normal e as retomadas de velocidade razoáveis. Na estrada, tem boa dinâmica e justifica o acoplamento ao câmbio de seis marchas. É notório o nível de ruídos de funcionamento em grande faixa de rotação, com alta aspereza. O ganho no rendimento com uso da tecla Sport é discreto.

Suspensão
A tropicalização das suspensões foram mal desenvolvidas e definidas. O conforto de marcha não está bem elaborado, pois é notória a transferência das imperfeições do solo para dentro. Em algumas situações, a suspensão dianteira é ruidosa. A estabilidade é muito boa sobre asfalto liso e seco, onde contorna curvas de raios variados em velocidade elevada, com precisão e inclinação mínima da carroceria. O veículo tem controle eletrônico de estabilidade e tração, que atuaram com eficiência no início da perda da estabilidade lateral e direcional. Os pneus opcionais (na medida 195/45 R16) têm perfil muito baixo para o solo brasileiro (cidade e algumas estradas), auxiliam bem no handling.

Iluminação
Tem luz de cortesia somente no para-sol direito, mas não liga automaticamente ao abaixar o mesmo. Os faróis dianteiros têm um par específico independente para o facho baixo e outro para o alto, sendo o resultado em iluminação satisfatório. Tem regulagem elétrica em altura em função da carga transportada. Na zona do teto tem uma lanterna junto ao retrovisor, de eficiência discreta para todo habitáculo. O quadro de instrumentos e console central têm fácil visualização noturna.

Negativo

Vão do motor

O acesso à manutenção é bem limitado, pois o motor e seus componentes laterais preenchem todo o pequeno vão. O resultado do isolamento acústico (presente em parte do painel de fogo e na parte interna do capô) não impede a transferência de ruído do motor em rotações médias e alta. O layout do vão é racional.

Nível interno de ruídos
É muito alto o nível dos ruídos no habitáculo sobre piso de paralelepípedo, terra e asfalto ruim, deixando a desejar em situação de curva. O efeito aerodinâmico é contido até 110km/h.

Estepe/macaco
O estepe está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho. É específico para pequenos deslocamentos e a baixa velocidade. Ao utilizá-lo em rodovias, o veículo terá o seu comportamento dinâmico totalmente alterado. Essa solução para o Brasil não é prática nem funcional. O conjunto roda/pneu de uso a ser consertado não cabe na área específica, obrigando o motorista a colocá-lo junto com a bagagem. Se o porta-malas, que é pequeno, estiver lotado... A operação de troca é normal, e, em cada cubo, tem dois pinos guia fixos, muito úteis na centralização. Existe porca auto-adaptadora antifurto.

Alarme
A chave de ignição do tipo canivete é codificada. Não tem de série proteção perimétrica das partes móveis, nem a volumétrica dentro do habitáculo. A porta do condutor tem vidro com sistema um toque para descer e para subir, mas não tem prevenção antiesmagamento. Ao dar comando por controle remoto, inserido na própria chave de ignição, os vidros não sobem automaticamente.


Volume do porta-malas
O declarado pela fabrica é de 185 litros, o mesmo encontrado na nossa medição.


(*) Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação