Mini Cooper S Cabrio - A hora e a vez do baixinho

Compacto inglês passa por avaliações técnica e de ergonomia, mostrando que tem muita qualidade, mas também carrega seus pecados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/12/2009 10:54 Enio Greco /Estado de Minas
Fotos Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press
Avaliação técnica

Positivo

Limpador de para-brisa


São quatro os jatos de água no para-brisa, que têm boa vazão e pressão e que, quando acionados, ativam o sistema de limpeza automaticamente. As palhetas varrem uma boa área e é fácil a reposição de água no reservatório instalado dentro do vão do motor. O modelo Cabrio, com capota elétrica, não tem limpador no vidro traseiro. O sistema tem sensor de chuva.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda com Philips e uma chave Halen.

Alarme
A chave de ignição é por telecomando e para ligar e desligar o motor deve-se acionar o botão Start/Stop, instalado no painel ao lado de onde a chave é inserida. Tem proteção perimétrica das partes móveis para esta versão Cabriolet.

Climatização
É automático digital. Os quatro difusores de ar frontais do painel, com formato circular, têm boa vazão e angulação. Não tem a opção de regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro. Apresentou ótimo funcionamento, com baixo tempo para proporcionar a sensação de conforto no habitáculo e sem fuga de ar climatizado pela boa vedação do teto elétrico com a carroceria. O nível de ruídos de funcionamento é razoável e está bem vedado quando com somente recírculo interno de ar.

Freios
Estão muito bem dimensionados e calibrados, com ABS eficiente. O pedal de freio tem ótima sensibilidade e reação. As reações são homogêneas nos dois eixos e em frenagem de emergência simulada, com o veículo em velocidade, sobre pisos seco e molhado de asfalto liso, manteve a trajetória imposta e o espaço percorrido até a imobilização foi coerente com a velocidade. Em uma utilização bem esportiva, com frenagens fortes, na entrada de curvas de raios curto e médio sequenciais, apresentou boa resistência térmica.

Câmbio
É automático de seis marchas e tem a opção de troca manual seqüencial na própria alavanca principal e por meio de aletas incorporadas ao volante, porém ambas com a mesma função crescente e decrescente das marchas. No quadro de instrumentos tem display informando o modo de condução e marcha selecionada. Tem, ainda, o modo de uso esporte, mas não tem para piso de baixo atrito. As relações de marchas atendem bem à ótima dinâmica no uso misto. A troca de marchas ocorre automaticamente no modo seqüencial quando o motor atinge a rotação máxima estabelecida pelo gerenciamento eletrônico do câmbio, o que tira um pouco o prazer numa condução bem esportiva.

Motor
Gera uma excelente potência (177cv) e a curva de torque é plana de 1.600rpm a 5.000rpm, com 26,5kgfm. A performance é ótima, com notável aceleração e eficientes retomadas de velocidade. A entrada do turbo é progressiva, vigorosa, sem trancos e a transferência da força para o eixo dianteiro é instantânea. A dirigibilidade é prazerosa na cidade, com boa dinâmica no trânsito e bastante rápido em rodovias em bom estado de conservação. O nível de ruídos de funcionamento é aceitável.

Iluminação
Tem luz de cortesia na zona dos pés do condutor e passageiro, porta-luvas, porta-malas e base inferior das portas. Os faróis são bi-xenon, com regulagem automática de altura e esguicho para lavar as lentes. Apresentaram ótima eficiência no baixo e no alto e contam com o auxílio de faróis de neblina embutidos no para-choque. Na zona do teto tem uma lanterna junto ao retrovisor, com dois spots fixos integrados nas laterais, com bom resultado final em iluminação. O sistema tem sensor crepuscular e o quadro de instrumentos e o console central têm fácil leitura noturna.

Vedação
Boa contra água e poeira.

Regular

Suspensão

É extremamente rápido em curvas de raios variados quando com asfalto seco e em boa conservação, onde contorna as mesmas numa velocidade elevada, com muita precisão e mínima inclinação da carroceria. Ao atingir o limite da aderência lateral e estabilidade direcional atuaram com eficiência os controles eletrônicos de estabilidade e tração. Os pneus homologados contribuem muito para o ótimo handling nesta condição de piso. Em curvas sobre piso com imperfeições altera bem a trajetória imposta, pois as suspensões não conseguem filtrá-las. O conforto de marcha, mesmo sendo um automóvel esportivo, é muito limitado. Em algumas situações do solo deixa a desejar o nível das transferências das imperfeições para dentro e o de ruídos das suspensões na absorção de impactos usuais.

Direção
A coluna de direção tem ajuste manual em altura e profundidade, com bom curso. O volante tem boa pega. A precisão na reta e em curvas é muito boa e as suas reações são do tipo direta, com ótima sensibilidade. As cargas do sistema assistido estão muito bem definidas para o uso misto. A velocidade do efeito retorno é boa, mas o diâmetro de giro em manobras de garagem/estacionamento é limitado.


Acabamento de carroceria
A pintura tem bom acabamento final. A tampa traseira e o capô têm boa montagem. As portas estão desniveladas em relação a carroceria. Os acabamentos plásticos que envolvem todo o perímetro da carroceria (curvaturas dos para-lamas, soleiras e bases inferiores dos para-choques) têm boa montagem. A capota tem ótimo acabamento, montagem e mecanismo elétrico de abertura/fechamento.

Vão do motor
O motor preenche todo o vão, que é pequeno, limitando bem o acesso à manutenção de vários componentes. Os itens de verificação constante têm boa identificação e a sistematização é bem feita, deixando um aspecto organizado. O resultado do isolamento acústico do vão é razoável em relação ao habitáculo. O capô é sustentado, quando aberto, por dois amortecedores e é ótimo o ângulo de abertura.

Altura do solo
Não tem, de série, proteção inferior por chapa em aço para o cárter do motor e do câmbio automático. Toca com freqüência a aba inferior do para-choque dianteiro em saídas de garagem com desnível e a zona central do chassi raspa levemente ao transpor quebra-molas mais salientes.


Negativo

Nível interno de ruídos

Deixa a desejar o nível dos ruídos em todo o habitáculo quando sobre pisos irregulares. O efeito aerodinâmico é evidente já a 100km/h e causa desconforto auditivo em velocidade alta.

Estepe/macaco
O kit de troca está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho, e vem com porca auto adaptadora antifurto. O estepe não existe, pois os pneus de uso são de emergência do tipo RSC ,que podem rodar mesmo com perda da pressão e são montados em rodas específicas. No quadro de instrumentos tem informação quando ocorre perda de pressão nos pneus. Essa solução para o Brasil não é funcional, nem prática, e deveria ter um estepe de emergência, como em outra versão deste automóvel. Os pneus da série 45 são extremamente vulneráveis a buracos e podem deixar o motorista literalmente na mão, caso ocorra uma deterioração.

Extra

Volume do porta-malas

O declarado pela fábrica é de 160 litros e o encontrado foi de 150 litros, com o banco traseiro na posição normal e sem ultrapassar o nível da tampa do bagagito.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Versão S também conta com carroceria fechada, que sai por R$ 119.500 - Versão S também conta com carroceria fechada, que sai por R$ 119.500


Com telhado fixo

A versão S do Mini Cooper é oferecida também na carroceria de teto rígido (foto), que se difere da Cabrio principalmente no quesito visibilidade, por ter áreas envidraçadas lateral e traseira mais amplas. Além disso, a versão com carroceria fechada tem diferentes detalhes de acabamento interno e externo, como tampa do tanque de combustível cromada. A tampa do porta-malas também é diferente, pois no Cabrio a abertura teve que ser modificada para acomodar a estrutura da capota. Uma abre para cima e a outra para baixo. No mais, os carros são iguais, com a mesma performance estupidamente excitante.

Notas (0 a 10)

Desempenho 10
Espaço interno 5
Porta-malas 4
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 7
Itens de série/opcionais 9
Segurança 9
Estilo 10
Consumo 7
Tecnologia 8
Acabamento 10

Quanto custa?

O Mini Cooper Cabrio (conversível) é vendido apenas com a opção de câmbio automático, sendo a versão mais barata por R$ 114.900 e a S por R$ 134.900.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação