Chevrolet Camaro SS V8 6.2 - Som de filarmônica

Releitura de modelo da década de 1960, carro preserva tração traseira, motor V8 e linhas da carroceria, reunindo tecnologia e segurança. Desempenho é o melhor

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/03/2010 10:39 Paulo Eduardo /Estado de Minas
Fotos Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press
Uma das lendas da indústria automotiva mundial, o Chevrolet Camaro foi lançado em 1967, nos EUA, para ser o Corvette dos menos abonados. Concorrente direto do Ford Mustang, seguia a receita dos pony-cars, carros "compactos" na cultura americana. Modelo faz parte dos Muscle Cars, esportivos de dimensões generosas, motores potentes, com a frente longa e a traseira curta. O Camaro saiu de linha em 2002, retornando em 2009 ao mercado mundial e a partir deste ano será vendido no Brasil.

Som de filarmônica

Veículos/Vrum testou a versão SS equipada com motor V8. O Camaro foi um dos carros de teste que mais chamou a atenção nas ruas. Não faltaram exclamações e suspiros femininos e masculinos por onde o carro passava. O frentista não resistiu e perguntou o motivo da escolha da cor até saber que o motorista era apenas um jornalista e, não, o proprietário. Ao sair da garagem, um lavador apresentou-se como o melhor da região Centro-Sul e teceu elogios ao próprio serviço, dizendo que até as caixas de rodas ficariam limpinhas. Não era para menos, com aparência de Batmóvel e exemplar único na cidade, por enquanto, o Camaro é literalmente peça rara no trânsito.

Veja mais fotos do Chevrolet Camaro SS V8 6.2!

Design

O desenho da carroceria atual é fiel ao modelo original. O aspecto clássico foi mantido: formato em V da dianteira, aletas nos paineis laterais traseiros e para-lamas largos também atrás. As rodas enormes aro 20 não passam despercebidas. Os dois mostradores no quadro de instrumentos em formato retilíneo e profundo evocam as raízes e os paineis de porta têm iluminação suave. No console central, há grupo de instrumentos como no modelo de 1969: pressão de óleo, temperaturas de óleo do motor e da transmissão e voltímetro.
O interior tem acabamento simples, com plástico duro nos paineis central e de portas. Além da forração em couro e regulagens elétricas dos bancos dianteiros, chamam a atenção os comandos de som e de telefonia no volante.

Conforto

Trata-se de um carro rude, em que a força física é imperativo desde a abertura das duas portas enormes à calibragem mais pesada da direção assistida variável. Esportivo é assim mesmo. O espaço no banco traseiro é apenas para crianças de idade inferior a 10 anos. O porta-malas é bom para a proposta do carro. A visibilidade é péssima tanto na dianteira, pela altura limitada do para-brisa, quanto na traseira, o que torna difícil dirigir na cidade e os retrovisores são pequenos.

Saída dupla de escape enfatiza vocação esportiva do modelo de traseira curta; visibilidade é ruim - Saída dupla de escape enfatiza vocação esportiva do modelo de traseira curta; visibilidade é ruim


Velocidade

O melhor do Camaro é o som de filarmônica do motor V8. Acima de 4.000rpm, os coxins não absorvem a vibração, que é transferida para a carroceria e faz o carro, quando parado, chacoalhar. O câmbio automático de seis marchas, com opção de troca manual por meio de aletas no volante, forma par perfeito e o desempenho é estonteante. Acelerar sempre é palavra de ordem. O habitat não são as ruas e tampouco a maioria das estradas brasileiras, mas pistas de corrida.

Leia aqui a avaliação e ficha técnica e de equipamentos do Chevrolet Camaro SS V8 6.2

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação