Chevrolet Classic LS – Velha roupa nova

O Classic é opção de compra para famílias que precisam de bom porta-malas e valorizam baixo consumo de combustível. Há poucos opcionais e muitos acessórios nas revendas. Confira a avaliação ponto a ponto.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/05/2010 12:38 Paulo Eduardo /Estado de Minas
Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press
AVALIAÇÃO TÉCNICA

POSITIVO

Freios

Estão muito bem dimensionados e calibrados para esta versão. Apresentaram um bom comportamento dinâmico no uso misto apesar de não ter ABS. As suas reações são bem equilibradas nos dois eixos, e é boa a desaceleração sem alteração da trajetória em simulação de frenagem de emergência, sem travar as rodas sobre piso seco. O freio de estacionamento sustenta bem o veículo em aclive/declive.

Câmbio
Merece destaque o conjunto homologado de engrenagens da caixa (eixo primário e secundário) e a relação coroa x pinhão do diferencial, pois são fundamentais pela ótima dinâmica do carro. Proporciona uma aceleração rápida e os giros do motor sobem rápido, sendo a queda da rotação nas trocas de marchas satisfatória. A qualidade de engate é boa em precisão e maciez. E o curso da alavanca é longo, assim como um pouco para trás o seu posicionamento no túnel central.

Motor
Os números gerados pela sua curva são muito bons para motor 1.0 com cabeçote 8V, porém as rotações correspondentes de potência (6.400rpm) e torque (5.200rpm) máximos não são funcionais no uso misto e muito pouco utilizados numa dirigibilidade normal. Para ter uma dinâmica mais ágil, é necessário usufruir bem do câmbio e acelerar mais do que o normal para manter o giro alto. Nessas condições a performance surpreende pela aceleração e retomadas de velocidade em função da massa do automóvel e com ar-condicionado ligado. O sistema flex funcionou bem e rende igual com somente gasolina ou álcool.

Veja mais fotos do Chevrolet Classic LS 2011!

Vedação
Boa contra água e poeira.

Suspensão
O conforto de marcha teve pequeno ganho em relação ao último modelo testado, sendo aceitável o nível das transferências das imperfeições do solo para dentro. A estabilidade agrada bem pela precisão em curvas de raios variados, com inclinação moderada da carroceria.

Iluminação
Os para-lamas dianteiros têm luzes de posição incorporadas, muito úteis. Há luz de cortesia no porta-malas e no porta-luvas. O farol tem construção com parábola simples, e apresentou eficiência normal no baixo e no alto. Não tem faróis auxiliares de neblina, nem regulagem elétrica de altura em função da carga transportada. No habitáculo há dupla lanterna no teto junto ao retrovisor com eficiência razoável.

Estepe/ macaco
O estepe fica dentro do porta-malas, o pneu é igual aos de uso e fabricado no Brasil. O kit de troca está encaixado em base isopor e instalado dentro do aro. A operação de troca é normal.

Alarme
A chave de ignição é codificada e tem opcionalmente proteção perimétrica das partes móveis e volumétrica dentro do habitáculo contra invasão pela quebra dos vidros.

REGULAR

Vão do motor

É muito bom o acesso à manutenção e identificação dos itens de verificação constante. O leiaute é benfeito e racional. O vão é totalmente desprovido de isolantes acústicos, por isso é evidente a transferência do ruído de funcionamento do motor em alta rotação para dentro do habitáculo, que incomoda.

Altura do solo
Com carga máxima, raspa levemente a proteção inferior em aço para o motopropulsor em saídas de garagem com desnível, e a zona central do chassi quando se trafega sobre estrada de terra com algumas imperfeições e também ao transpor quebra-molas mais salientes.

Climatização
É boa a vazão e a angulação dos difusores de ar do painel. O acoplamento do compressor é ouvido dentro do habitáculo e incomoda um pouco em rotações mais altas. Ocorreu pequena admissão de gases/fumaça com o recírculo de ar fechado.

Nível interno de ruídos
Ao trafegar sobre paralelepípedo, asfalto ruim e terra com algumas imperfeições surgem vários ruídos no habitáculo. O efeito aerodinâmico é contido até 110km/h, sendo crescente a partir dessa velocidade.

Direção
A coluna de direção é fixa, descentralizada e não está bem definida em altura, devido à posição de dirigir em que ocorre interferência do aro do volante com as pernas do condutor de estatura média/alta. E o banco não tem regulagem em altura. A precisão na reta e em curvas é boa. O diâmetro de giro satisfaz em manobras apertadas de garagem, assim como a velocidade do efeito/retorno. As cargas do sistema assistido hidraulicamente estão com boa definição para o uso misto (cidade/estrada).

Limpador do para-brisa
O campo de visão do lado do condutor é bem prejudicado pela pequena área de varredura, junto à coluna A (dianteira). As palhetas apresentaram boa qualidade, e é fácil o acesso ao reservatório d’água instalado dentro do vão motor. Ao esguichar quatro jatos, que tem boa vazão e pressão, o sistema de limpeza atua automaticamente.

Ferramentas
Tem uma chave de fenda simples, sem a opção de Phillips conjugada.

NEGATIVO

Acabamento da carroceria

O acabamento da pintura não é bom, pois contém vários pontos com impurezas. As quatro portas estão desniveladas entre si e a carroceria. A tampa do porta-malas está descentralizada e o capô tem montagem razoável.

ITEM EXTRA

Volume do porta-malas

O declarado pela fábrica é de 390 litros, o mesmo encontrado na nossa medição, apesar de ser prejudicado pelo triângulo de segurança, alto-falantes e o mecanismo com a curvatura que sustenta a tampa e invade as laterais do porta-malas quando fechado.


Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Além dos para-choques mais volumosos, o perfil exibe novas rodas e repetidores de setas nos pára-lamas - Além dos para-choques mais volumosos, o perfil exibe novas rodas e repetidores de setas nos pára-lamas


NOTAS (0 A 10)


Desempenho 8
Espaço interno 6
Porta-malas 8
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 6
Itens de série/opcionais (custo/benefício) 8
Segurança 6
Estilo 6
Consumo 9
Tecnologia 7
Acabamento 7

FICHA TÉCNICA
Motor

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, oito válvulas, 999cm³ de cilindrada, que desenvolve potências máximas de 77cv (gasolina) e de 78 (álcool) a 6.400rpm e torques máximos de 9,5kgfm (gasolina) e de 9,7kgfm (álcool) a 5.200rpm

Transmissão
Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas

Suspensão/rodas/pneus
Dianteira, independente, do tipo McPherson; e traseira, semi-independente, com braços oscilantes / 5 x 13 polegadas, em aço / 165/70 R13

Direção
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica (opcional)

Freios
Discos sólidos na dianteira e tambores na traseira

Capacidades
Tanque, 54 litros; de carga (passageiros e bagagem), 440kg

EQUIPAMENTOS

De série
Conforto/Conveniência - Retrovisores externos com comando manual interno, instrumentos do painel com conta-giros e relógio digital, para-sol do passageiro com espelho integrado, tomada de força e direção hidráulica.

Aparência - Vidros verdes com para-brisa laminado, calotas, maçaneta externa na cor do veículo, trava suplementar nas portas traseiras e para-choques na cor da carroceria.

Segurança - Imobilizador de motor, limpador/lavador do vidro traseiro, desembaçador do vidro traseiro, protetor de cárter e terceira luz de freio.

Opcionais
Ar-quente, ar-condicionado, direção hidráulica, alarme antifurto e sonoro de faróis ligados, vidros dianteiros elétricos com um toque na descida e travas elétricas nas quatro portas.

QUANTO CUSTA
O Chevrolet Classic 1.0 é vendido na versão LS R$ 28.294 e, com todos opcionais, por R$ 34.534.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação