Publicidade

Estado de Minas

Ford New Fiesta Sedã - Ele queria ser um Focus

Novo sedã compacto tem estilo Kinetic, bom acabamento, boa relação custo/benefício e dirigibilidade agradável. Mas nível de ruídos é elevado e espaço interno, reduzido


postado em 21/08/2010 17:53

(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press)
(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press)
Trata-se do novo sedã compacto premium da Ford, desenvolvido sobre uma nova plataforma global, que será produzido em cinco fábricas no mundo: México (que abastece o Brasil), Espanha, Alemanha, China e Tailândia. Chamado de New Fiesta para diferenciar do modelo brasileiro, rebatizado de Fiesta RoCam, o sedã tem motor 1.6 Sigma Flex, que proporciona bom fôlego; câmbio bem ajustado, com engates precisos e macios e boas relações de marcha; e acabamento bem cuidado. A suspensão garante boa estabilidade, mas não absorve bem as irregularidades do piso e é barulhenta, assim como o sistema de direção. O espaço interno também é bem acanhado e o nível de ruídos elevado não combina com um carro dessa categoria.



Segurança sofisticada
Ao ouvir falar no lançamento do New Fiesta, muita gente vai estranhar, já que a Ford fez recentemente pequenas alterações de estilo na linha Fiesta no Brasil, tanto no hatch quanto no sedã. Mas trata-se de um novo carro, que vai competir no segmento dos sedãs compactos premium, disputando um lugar ao sol com modelos como Honda City e VW Polo. O New Fiesta foi desenvolvido sobre uma nova plataforma global da Ford e é produzido em cinco fábricas no mundo: em Cuautilán (México), que abastece as três Américas; em Valência (Espanha) e Colônia (Alemanha), que alimentam o mercado europeu; e em Nanjing (China) e Rayong (Tailândia), que fabricam para a Ásia. O modelo, que já é vendido na Europa, Estados Unidos, México e Canadá, chega no fim do mês ao Brasil. O sedã compacto que é produzido em Camaçari (BA) passará a se chamar Fiesta RoCam.

DESIGN As linhas do novo sedã foram inspiradas no estilo Kinetic, que busca a ideia de energia em movimento e que foi adotado pela marca do oval para quase todos os seus modelos. Na frente destacam-se a grande tomada de ar inferior (na cor preta); a grade com três barras cromadas; os faróis, que, de tão espichados, chegam quase a tocar a base da coluna A, invadindo literalmente os para-lamas; e os ressaltos laterais do capô, que dão a ideia de um prolongamento da coluna A. De perfil, o New Fiesta incorpora a tendência dos sedãs em formato cupê, com o teto bem curvado e a linha de cintura ascendente. Outros detalhes que chamam a atenção são as ranhuras na parte superior do retrovisor, que têm função aerodinâmica; as bonitas rodas de liga leve de 15 polegadas; e os vincos bem salientes. Na traseira, as linhas dão um toque de robustez e as lanternas parecem flutuar.

POR DENTRO Um dos atrativos do New Fiesta é o acabamento, que é bem cuidado, com materiais de boa aparência e de toque agradável, como o que reveste a parte de cima do painel. O desenho do painel também é inovador, com instrumentos bem visíveis, e envolvente, com comandos voltados para o motorista. Pecado: falta termômetro de temperatura do motor. Destaque para os comandos do som, na cor cinza, com desenho inspirado em telefones celulares. A tela central fornece informações do sistema multimídia e status do veículo. O computador de bordo informa autonomia, consumos instantâneo e médio e velocidade média. O espaço interno deixa a desejar e fica no limite para oferecer conforto para quatro adultos de estatura mediana. No banco de trás cabem dois adultos e uma criança. O porta-malas também não é dos maiores, mas fica no nível de um sedã compacto.

PACOTE Na opção mais equipada, o pacote de segurança é bem completo, incluindo sete airbags (frontais, laterais, de cortina e de joelho para o motorista), que disparam com base em informações de sensores de classificação do ocupante, de carga e de posição do banco; sistema de limitação dos cintos de segurança dianteiros; três apoios de cabeça e três cintos de três pontos no banco traseiro; freios ABS; pontos de fixação para cadeiras infantis; e travamento automático das portas a 15km/h.

RODANDO A primeira impressão ao volante do New Fiesta – uma viagem de mais de 600 quilômetros – foi bastante positiva. A começar pela posição de dirigir, facilitada pelas regulagens de distância e altura da coluna de direção e de altura do banco do motorista, que é confortável e prende bem o corpo. Porém, a regulagem do encosto do banco tem manuseio difícil e incômodo. O motor Sigma 1.6 16V (o mesmo do Focus) proporciona bom ritmo de viagem em estradas e agilidade no trânsito urbano, com boas retomadas e bom fôlego acima das 2.500rpm, e consumo moderado. O câmbio manual tem engates precisos e macios e relações de marchas bem adequadas. A suspensão mostrou boa estabilidade, mas não absorve bem as imperfeições e é barulhenta em pisos ruins, assim como a direção. A Ford afirma que trabalhou bastante no isolamento do habitáculo (para-brisa acústico, isolamento das portas em dois níveis e trabalho aerodinâmico na carroceria, que incluiu até os retrovisores), mas, na prática, o barulho do motor em rotações mais elevadas incomoda.

VEREDICTO O New Fiesta é um carro gostoso de dirigir, que tem atrativos interessantes, como acabamento bem cuidado, linhas modernas e um amplo pacote de equipamentos de conforto e segurança oferecidos em três níveis (três catálogos), que faz valer o investimento. Por outro lado, o espaço interno não é dos mais generosos e está longe de modelos como Kia Cerato, que tem preço semelhante e oferece um habitáculo mais folgado; e o nível de ruídos internos é alto para um carro dessa categoria.

Veja a galeria completa de fotos do Ford New Fiesta Sedã!


Linha de cintura ascendente dá um ar de cupê e as lanternas traseiras parecem flutuar
Linha de cintura ascendente dá um ar de cupê e as lanternas traseiras parecem flutuar


Confira a avaliação técnica e as notas do New Fiesta Sedã

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade