Peugeot Hoggar Escapade 1.6 16V - Com pinta de brava

Com estilo marcante, picape compacta agrada pelo bom desempenho, suspensões bem calibradas e ampla caçamba. Porém, só é fabricada com cabine simples. Leia o teste

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/09/2010 18:20 Enio Greco /Estado de Minas
Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A. Press
O segmento de picapes compactas é praticamente uma exclusividade do mercado brasileiro e por aqui vem sendo disputado com afinco pelas montadoras. Para abocanhar uma fatia do bolo, a Peugeot tem a Hoggar, derivada do hatch 207, que é comercializada em três versões. A topo de linha é a Escapade 1.6 16V, com estilo que mescla aventura e esportividade, enfatizado pela frente agressiva. O modelo está mais para o lazer do que para o trabalho – apesar da ampla caçamba – e se destaca pelo bom desempenho proporcionado pelo conjunto mecânico. As suspensões garantem equilíbrio nas curvas, sem sacrificar o conforto. Mas a Peugeot perde para a concorrência por oferecer apenas a cabine simples, quesito que pode pesar na decisão de quem compra.

Equilíbrio dinâmico

Se beleza é fundamental, a Peugeot Hoggar Escapade tem tudo para agradar. O modelo tem a mesma frente do hatch 207, com faróis espichados de duplo refletor e fundo preto. A frente em cunha tem uma pequena grade praticamente encoberta pelo leão cromado, símbolo da marca. No para-choque, uma moldura de plástico imita o quebra-mato nos tons prateado e preto, no mais puro estilo aventureiro. Contornando as caixas de rodas, molduras pretas, que formam conjunto com os frisos laterais, finalizadas pelos apoios de pé para acesso à caçamba. A traseira é marcada por grandes lanternas que invadem as laterais.

Veja a galeria de fotos completa do Peugeot Hoggar Escapade!

DETALHES Os estribos laterais cromados têm detalhes de plástico para não deixar escorregar e no teto o rack com barras serve de suporte para o transporte de objetos longos. A caçamba é espaçosa e com boa capacidade de carga, levando facilmente uma moto. Tem seis pontos externos e quatro internos para amarração de objetos. Vem equipada de série com capota marítima, proteção de plástico no assoalho e tampa removível com chave. O estepe fica sob a caçamba e a operação de troca não é das mais fáceis e limpa. O vidro traseiro da cabine tem janela corrediça e duas barras de proteção, para impedir possível invasão de carga solta.

POR DENTRO O interior da picape Escapade segue os mesmo padrão das outras versões, com plástico de boa aparência e detalhes imitando alumínio. O painel tem no centro um visor digital com calendário, relógio e termômetro. Os instrumentos com fundo branco e iluminação alaranjada são de fácil visualização. Porém, a Peugeot peca em um detalhe: o velocímetro destaca os números ímpares e os limites de velocidade no Brasil são na sua maioria pares (40, 60, 80, 120km/h). O volante tem aro mais fino, mas conta com ajuste de altura. Os comandos do painel estão bem localizados e os dos vidros no console central, em posição questionável. Os bancos são revestidos com tecido de boa qualidade.

ESPAÇO Outro pecado cometido pela Peugeot foi lançar a Hoggar apenas com cabine simples, enquanto suas concorrentes oferecem as opções de estendida ou dupla. O espaço interno na Escapade não é dos maiores, principalmente atrás dos bancos, onde é possível levar apenas pequenos objetos ou bolsas. Ali tem uma rede para prender sacolas ou revistas e jornais. Os bancos são do tipo esportivo, mantendo motorista e passageiros bem firmes em curvas. Falha também nos cintos de segurança, que não contam com ajuste de altura. Não é muito difícil encontrar uma boa posição de dirigir, porém a visibilidade traseira é limitada pela caçamba alta e os retrovisores externos poderiam ser um pouco maiores.

ESPERTA E se o negócio é agilidade no trânsito ou na estrada, a Hoggar Escapade é boa opção. O motor 1.6, apesar de ser multiválvulas, tem bom torque em baixas rotações, garantindo respostas rápidas nas acelerações. Com isso, arrancadas e retomadas de velocidade são feitas sem vacilo, garantindo uma dirigibilidade prazerosa. O câmbio também ajuda, com marchas bem escalonadas e bons engates. A picape é esperta estando abastecida com etanol ou gasolina. A direção foi bem calibrada e garante firmeza em velocidades mais elevadas, mas o diâmetro de giro é grande, dificultando as manobras em espaços mais apertados. As suspensões são equilibradas, garantindo boa estabilidade nas curvas e relativo conforto de marcha, filtrando bem as imperfeições do solo. O sistema de freios, mesmo sem ABS – que não é vendido nem como opcional – funcionou de forma eficiente. Para uma picape de proposta aventureira, a Escapade se saiu bem em estrada de terra com imperfeições moderadas, mas poderia ser mais ousada se a altura em relação ao solo fosse um pouco maior.

Assista a reportagem que Emílio Camanzi fez sobre o Peugeot Hoggar



NOTAS (0 A 10)
Desempenho 8
Espaço interno 7
Caçamba 9
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais (custo/benefício) 7
Segurança 7
Estilo 9
Consumo 8
Tecnologia 7
Acabamento 8

QUANTO CUSTA
A picape Peugeot Hoggar é vendida nas versões X-Line 1.4 (R$ 31.400), XR 1.4 (R$ 35.350) e Escapade, com preços que vão de R$ 43.500 a R$ 46.100 (com os opcionais).

Clique aqui e veja o teste ponto a ponto do Peugeot Hoggar Escapade

Tampa da caçamba tem chave para evitar furto e pode ser removida - Tampa da caçamba tem chave para evitar furto e pode ser removida

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação