Peugeot 3008 - Por caminhos desconhecidos

Marca francesa entra no terreno dos crossovers com modelo importado da França, que tem visual arrojado, bom desempenho, amplo espaço interno e vários itens de segurança

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 16/11/2010 18:16 Eduardo Aquino /Estado de Minas
Fotos: Peugeot/Divulgação
Acompanhe também o Vrum pelo Twitter

De Puerto Iguazú, Argentina - Quem está acostumado com monovolumes, hatches e peruas da marca do leão, certamente vai estranhar um crossover da Peugeot, pronto para concorrer com modelos como Chevrolet Captiva, Toyota RAV4, Hyundai ix35, Kia Sportage, Honda CR-V, entre outros. Mas, mesmo entrando em um segmento inédito, o novo francês chega com atrativos interessantes, como linhas arrojadas e modernas; suspensão que equilibra bem conforto e estabilidade; câmbio automático, com mudanças suaves e rápidas e possibilidades de trocas manuais; e motor 1.6 turbo, com injeção direta e comando de válvulas de admissão variável, que proporciona um desempenho próximo de um esportivo.

Veja a galeria de fotos do Peugeot 3008

Crossover diferente
O 3008 é mais um fruto da nova arquitetura P2 do Grupo PSA Peugeot Citroën, que gerou outros modelos para a marca do leão, como o hatch 308, a perua 308 SW e o monovolume 5008 (com essa plataforma mais alongada). O modelo pode ser classificado como um crossover, ou seja, um modelo familiar voltado para o trânsito urbano, mas que permite pequenas aventuras por estradas de terra, reunindo características de hatch, perua, utilitário-esportivo e van. Dentro da denominação usada pela Peugeot, o 3 identifica que se trata de um médio, o duplo zero indica um modelo diferente e original, e o 8 aponta a geração. O 3008 terá como concorrentes Chevrolet Captiva, Toyota RAV4, Hyundai ix35, Kia Sportage, Honda CR-V, entre outros.

ESTILO Produzido na unidade de Sochaux, no Leste da França, o 3008 incorpora um visual bem arrojado. Para remeter ao universo dos utilitários-esportivos, a frente é bem focinhuda e, assim como em outros modelos da marca francesa, tem a enorme grade frontal quadriculada e cortada pelo para-choque, que reforça a aspiração aventureira. Também se destacam os faróis espichados, que acompanham a saliência dos para-lamas (reforçando a sensação de robustez); o para-brisa bem inclinado, a linha de cintura alta e ascendente; as lanternas traseiras em forma de bumerangue; e o para-choque traseiro alto, com a parte inferior pintada de preto. Mesmo tendo uma área frontal de 2,56m², devido à altura e largura, o 3008 consegue ser eficiente para cortar o vento (o que contribui para a redução do consumo e, em consequência, da emissão de poluentes): tem coeficiente de arrasto aerodinâmico (Cx) de apenas 0,296 e índice de penetração no ar de 0,760.

A BORDO Com boa distância entre-eixos, o novo crossover privilegia o espaço interno e a modularidade. Os assentos dianteiros oferecem conforto e o banco traseiro acomoda bem três adultos, sendo que o passageiro do meio não é incomodado pela extensão do console, embora o descanso de braço central embutido no encosto não permita um bom apoio para as costas. O porta-malas pode ser considerado um capítulo à parte, pois, além da tampa traseira dividida em duas seções, que facilita o acesso, e da boa capacidade (512 litros), o motorista pode racionalizar o espaço por meio de uma prateleira móvel. Se isso não for suficiente, pode-se dobrar o banco traseiro (de forma automática e em 1/3 e 2/3) e transformar o veículo em um verdadeiro furgão, aumentando o volume para 1.604 litros (do piso até o teto). Outros detalhes interessantes do compartimento de carga são a rede para pequenos objetos e uma lanterna destacável, com bateria que dura 45 minutos e recarrega assim que o motorista liga a chave de ignição.

CONFORTO O acabamento interno é de boa qualidade e tem aspecto elegante, com detalhes cromados nos aros dos instrumentos, nas molduras das saídas de ar e na base da alavanca de marchas. O painel tem desenho interessante, como se formasse um cockpit para o motorista, e os instrumentos são analógicos e de fácil visualização. O interior é bem iluminado e pode ficar ainda mais com o teto panorâmico em vidro, presente somente na versão topo de linha (a Griffe), que dispõe também de cortinas para-sol nas janelas traseiras. Mas o grande barato é o sistema Head Up Display, que projeta numa lâmina translúcida, localizada na parte de baixo do campo de visão do motorista, a velocidade e informações do controle automático de velocidade, evitando que ele tire os olhos da estrada. Outra tecnologia interessante é o acionamento elétrico (e automático) do freio de estacionamento, que é ativado quando se desliga o motor ou desativado quando se pisa no acelerador.

SEGURANÇA O pacote do 3008 é bem completo, incluindo oito airbags, sendo dois frontais, dois laterais e quatro de cortina; freios ABS, com assistência de frenagem de emergência e distribuição da força entre as rodas; controle de estabilidade; e acendimento automático das luzes de emergência depois de uma frenagem brusca. A posição de dirigir é boa e, devido à grande área envidraçada, o motorista tem ampla visão do trânsito em quase todas as direções. Não faltam porta-trecos, com destaque para o que fica sob o apoio de braço, que é refrigerado e tem capacidade de 13,5 litros.

DIRIGINDO Numa primeira impressão, em um trajeto de pouco mais de cem quilômetros, por ruas e estradas argentinas, o motor 1.6 16V, de 156cv (com turbo, injeção direta e comando de válvulas de admissão variável), mostrou que tem bom torque em baixas rotações e é eficiente, tanto em arrancadas como em retomadas de velocidade, tornando as ultrapassagens bastante seguras. O câmbio automático de seis marchas, que tem opções de trocas manuais (faltam apenas as borboletas para as mudanças no volante) e no modo esportivo, também impressiona pelas trocas suaves. A versão com transmissão manual, por enquanto, não vem. A suspensão mostrou bom equilíbrio entre conforto e estabilidade e não é barulhenta quando o carro roda sobre calçamento.

PREÇOS O 3008 será vendido, a partir do dia 20, em apenas duas versões, sem opcionais, que se diferem pelo nível de equipamentos. A Allure tem preço básico sugerido de R$ 79.900 e a Griffe, topo de linha, R$ 86.900. O problema é que a Peugeot vai trazer apenas 200 unidades por mês. Se o novo crossover cair nas graças do consumidor brasileiro...

Lanternas traseiras têm formato de bumerangue e a tampa do porta-malas é dividida em duas partes, facilitando o acesso - Lanternas traseiras têm formato de bumerangue e a tampa do porta-malas é dividida em duas partes, facilitando o acesso


O Jornalista viajou a convite da Peugeot do Brasil.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação