Fluence Privilège 2.0 16V flex CVT

O novo trunfo da Renault

Equipamentos de segurança e câmbio de variação contínua são os principais apelos do novo sedã da marca francesa. Visual agrada, mas consumo é elevado. Leia o teste

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 31/01/2011 15:45 / atualizado em 31/01/2011 16:13 Paulo Eduardo /Estado de Minas

Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS
O Fluence foi desenvolvido inicialmente para países emergentes, nos quais a carroceria de três volumes faz sucesso, apesar de ser a menos prática. Porém, há até versão com motor elétrico do modelo. Na terceira geração do Mégane não há carroceria sedã e o Fluence preenche a lacuna, sendo vendido também no mundo desenvolvido. Modelo está equipado de série com airbags frontais, laterais, de cortina e sistema ABS de freios.

 

Veja a galeria de fotos completa do Renault Fluence Privilège 2.0 16V flex CVT

 

Influência japonesa

A Renault tomou emprestado da Nissan o motor 2.0, que usa corrente na distribuição em vez de correia dentada, e o câmbio CVT, de variação contínua, com infinitas relações de transmissão. O câmbio tem funcionamento suave e as trocas são imperceptíveis, estando sempre na faixa de rotação ideal. Basta pressionar o acelerador para se ter a melhor relação de transmissão em todos os momentos. O Fluence é o sucessor do Mégane sedã no Brasil e encara adversários indigestos (ver quadro de concorrentes) no segmento dos médios. A perua Mégane Grand Tour continua sendo produzida no Paraná.

VISUAL As linhas da carroceria agradam à primeira vista e a frente alargada com faróis horizontalizados causa impacto. A traseira elevada e lanternas também na horizontal completam o visual da carroceria. O senão são as folgas irregulares entre as partes móveis e o monobloco (ver avaliação técnica), que dão impressão de desleixo na montagem. O interior é agradável, com acabamento de qualidade, mas sem refinamento. Chama a atenção a posição inclinada do quadro de instrumentos, que foge ao convencional, e os bancos forrados em couro de tonalidade clara. Apesar do clima tropical, a maioria dos brasileiros prefere forração escura por não aparentar sujeira.

TECNOLOGIA O sistema de navegação (GPS) integrado ao painel é muito eficiente e de série nesta versão topo de linha. Para poder ligar o carro, usa-se cartão em vez de chave, como no Mégane. A diferença é que o cartão não precisa estar inserido na fenda do painel central. Basta colocá-lo no bolso que o sistema permite, além da partida no motor por meio do comando localizado no painel, abrir as portas e também fechá-las, estando o motorista a mais de quatro metros de distância do veículo.
GPS fica em local visível no centro do painel central e não comete equívocos - GPS fica em local visível no centro do painel central e não comete equívocos


ESPAÇO
Se os ocupantes da frente desfrutam de bom espaço para a cabeça, o mesmo não ocorre no banco traseiro pela caída abrupta da curvatura do teto. Ocupante de maior estatura esbarra a cabeça no teto. Em compensação, as pernas ficam sempre em posição confortável. Outro senão é que o desenho das portas traseiras dificulta entrar e sair do carro (ver avaliação ergonômica). O porta-malas comporta muita bagagem e o encosto do banco traseiro é rebatível, facilitando colocar objeto comprido.

SEGURANÇA
São de série airbags frontais, laterais e de cortina e ABS em todas as versões. Há ainda apoios de cabeça e cinto retráteis de três pontos para todos, incluindo o passageiro do assento central traseiro. A boa calibragem dos sistema de suspensão mescla conforto e estabilidade, proporcionando firmeza nas curvas. Porém, os pneus de perfil baixo transferem mais as irregularidades do piso para dentro por ter menos borracha e mais metal no conjunto formado com a roda.

DIRIGINDO A maioria dos comandos está ao alcance das mãos do motorista. A melhor posição de dirigir é logo encontrada. Basta acelerar para sentir a disposição do Fluence, que tem desempenho muito bom em todas as situações por causa também do câmbio CVT. Entretanto, o consumo com etanol ou gasolina é elevado. Na cidade, a média registrada pelo computador de bordo variou de 5,7km/l a 6,2 km/l com gasolina e com etanol, de 4km/l a 5km/l, com motorista e passageiro e ar-condicionado desligado. Na estrada, depende muito da velocidade e topografia, variando de 7km/l a 10km/l com etanol, rodando em velocidades inferiores a 100km/h.

CONCLUSÃO Os amantes da carroceria sedã têm mais uma boa opção no segmento. O Fluence agrada na maioria dos quesitos, principalmente segurança e desempenho.

 

Um argentino na espreita

Renault Fluence tem muitos atributos para disputar mercado no concorrido segmento dos sedãs médios. Veja como o carro se comportou no teste e suas principais qualidades frente aos adversários.

 

AVALIAÇÃO TÉCNICA

 

Acabamento da carroceria
A pintura tem alguns pontos com impureza. Os frisos protetores estão instalados na base inferior das portas e terão eficiência limitada contra amassados que ocorrem em estacionamentos apertados. A tampa do porta-malas está descentralizada e desnivelada. As quatro extremidades dos para-choques estão desalinhadas na união com a carroceria. As portas estão desniveladas em relação à carroceria e as traseiras têm folgas fixas diferentes entre os dois lados. O capô está descentralizado em relação aos faróis/para-lamas e desalinhado em relação ao para-choque dianteiro, que tem folga fixa bem diferenciada. NEGATIVO

Vão do Motor

É muito bom o resultado da insonorização em relação ao habitáculo. O motor e os seus componentes externos preenchem bem o vão, limitando bastante o acesso à manutenção. O capô tem bom ângulo de abertura. O reservatório de gasolina da partida a frio está instalado dentro do painel de fogo, lado direito, e há luz espia no quadro de instrumentos indicando quando vazio. Os itens de verificação permanente têm fácil identificação e acesso. REGULAR

Altura do Solo

Toda a parte inferior do motor e câmbio tem proteção por chapa em aço de boa espessura. A altura do solo é razoável para condução usual sobre pisos mistos (asfalto, terra batida e paralelepípedo), saídas de garagem em desnível e ao transpor quebra-molas padronizados. POSITIVO

Climatização

É automática digital, com opção de regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro. A caixa de ar é de oito velocidades e há tecla específica para refrigeração lenta e rápida. Para os passageiros de trás, há dois pequenos difusores de ar, com boa vazão, instalados no fim do console central. A rumorosidade de funcionamento é satisfatória e está bem vedado. POSITIVO

Freios

O pedal de freio tem ótima sensibilidade e relação. Os conjuntos dianteiro e traseiro estão bem dimensionados. O freio de estacionamento atuou normalmente. É boa a desaceleração com reações uniformes nos dois eixos, e na manutenção da trajetória. Depois de uso severo em longa descida sinuosa, a resistência térmica foi positiva. POSITIVO

Câmbio

Merece destaque o funcionamento deste câmbio CVT. A Renault oferece duas opções inteligentes de condução com câmbio CVT, de variação contínua, e no uso manual sequencial com seis marchas, por meio de toques na alavanca principal (não há aletas atrás dos raios do volante). É extremamente funcional, confortável, com suavidade de marcha e produz dinâmica muito boa para o peso do carro, sendo muito superior o comportamento dinâmico em relação ao câmbio automático convencional. POSITIVO

Motor

A sua performance é muito boa para a cilindrada e massa do veículo, com aceleração e retomadas de velocidade eficientes no uso misto (cidade/estrada). O seu funcionamento é elástico e com ruído baixo para cabeçote 16V. A sua curva (potência/toque x rpm) é honesta com boa potência máxima disponível e torque máximo atuando numa rotação bem mais usual para multiválvulas. O sistema flex funcionou bem e há pequeno ganho na dinâmica abastecido com álcool. POSITIVO

Vedação

Boa contra água. POSITIVO

Nível interno de ruídos

O efeito aerodinâmico é contido mesmo em alta velocidade, mas ao trafegar sobre piso de paralelepípedo, terra e asfalto ruim, surgem vários ruídos no habitáculo. REGULAR

Suspensão

Está muito bem elaborada e definida a relação entre conforto e comportamento dinâmico na calibragem das suspensões, geometria e pneus homologados. O conforto de marcha é bem razoável para a baixa qualidade de algumas ruas urbanas e rodovias estaduais e federais. A estabilidade surpreende pela precisão e rapidez em que contornam curvas de raios variados com inclinação moderada da carroceria.POSITIVO

Frisos nas portas têm mais função estética do que de proteção - Frisos nas portas têm mais função estética do que de proteção


Direção

O volante tem boa pega e a coluna de direção, ajuste manual em distância e altura, ambos com bom curso. A assistência é elétrica e variável com a velocidade do veículo. É bem confortável, leve e ágil no uso urbano, sendo firme em estradas e com boas reações, trazendo segurança. A velocidade do efeito/retorno agrada e o diâmetro de giro deveria ser menor. A precisão na reta e em curvas é muito boa, e é baixo o ruído do conjunto em curva sobre piso irregular. POSITIVO

Iluminação
O sistema tem sensor crepuscular. Na partes frontal e central do teto há lanterna e dois spots fixos integrados, com resultado positivo em iluminação para a área do habitáculo. Os faróis eficientes têm xenônio no baixo, duplo refletor com lâmpadas halógenas para o facho alto e auxiliares de neblina embutidos no para-choque. A regulagem de altura em função da carga transportada é automática e há lavador das lentes. As luzes de cortesia estão presentes nos para-sóis, porta-luvas, porta-malas e base inferior das portas dianteiras. POSITIVO

Limpador de para-brisa

Há sensor de chuva. As palhetas têm boa qualidade e os quatro esguichos, ótima vazão. A área varrida no para-brisa é satisfatória no lado direito e insuficiente no lado do condutor, diminuindo o campo de visão. É fácil o acesso ao reservatório d’água instalado dentro do vão do motor. REGULAR

Estepe/Macaco
A operação de troca é normal, mas, ao utilizar o estepe (roda em aço e pneu diferente dos de uso), deve-se instalar os parafusos específicos de roda que vêm no kit. Essa solução de pneu reserva diferente dos de uso não é funcional no Brasil, além de alterar o comportamento dinâmico do veículo, o que incomoda em viagem longa. O estepe fica dentro do porta-malas. Não há porca autoadaptadora antifurto. REGULAR

Alarme
A chave de ignição foi substituída pelo cartão, que pode ser inserido no console ou permanecer no bolso do condutor. O sistema reconhece a proximidade e libera o botão de partida start/ stop. Vidros de todas as portas são abertos e fechados por um toque, com sistema antiesmagamento eficiente. Não existe proteção no habitáculo contra invasão pela quebra dos vidros nem contra abertura forçada das partes móveis.REGULAR

Volume do porta-malas
O declarado é 530 litros, mas a medição aponta 480 litros, com o banco traseiro na posição normal, triângulo de segurança dentro do vão e prejudicado pelo mecanismo com largas curvaturas de sustentação da tampa, que invadem as áreas laterais no porta-malas e das barras transversais que fazem o efeito mola.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

 

FICHA TÉCNICA
Motor

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, com comando de válvulas variável e distribuição por corrente, de 1.997cm³ de cilindrada que desenvolve potências de 140cv (gasolina) e 143cv (álcool) a 6.000rpm e torques máximos de 19,9kgfm (gasolina) e 20,3kgfm (etanol) a 3.750rpm

Transmissão
Tração dianteira e câmbio CVT com opção de trocas sequenciais de seis marchas

Suspensão/Roda/Pneu
Dianteira, independente, do tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira eixo soldado em “H” de deformação programada e barra estabilizadora integrada / 6,5 x 17 polegadas (em liga leve)/ 205/55R17

Direção
Elétrica com assistência variável

Freios
Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com sistema ABS e distribuição eletrônica de frenagem (EBD)

Capacidades
Tanque, 60 litros; carga (passageiros e bagagem), 413kg

 

 

 

EQUIPAMENTOS

De série
Conforto/conveniênci
a – Ar-condicionado automático digital com saídas na traseira; acendimento automático dos faróis; banco do motorista com regulagem de altura; banco traseiro rabatível; bluetooth; comando satélite de áudio e celular na coluna de direção; coluna de direção regulável em altura e distância; comandos internos de abertura da tampa do tanque de combustível e do porta-malas; computador de bordo; console central traseiro com porta-objetos e acendedor de cigarro; chave-cartão mãos livres com fechamento/abertura de portas por meio de sensores de reconhecimento; partida do motor e desligamento por meio do comando no painel; console central traseiro com porta-latas; direção elétrica com assistência variável; fechamento automático dos vidros e teto solar por meio de comando de travamento das portas na chave-cartão; iluminação externa de acompanhamento; limpador de para-brisa com temporizador e cadência variável de controle inteligente; espelho de cortesia nos para-sóis; desembaçador e rebatíveis eletricamente e sinalizadores de direção integrados; retrovisor interno eletrocrômico; sensor de chuva e de estacionamento traseiro; vidros dianteiros e traseiros com função um toque e sistema antiesmagamento; spots de leitura dianteiro; rádio CD MP3 3D Sound ARKAMYS com conexão USB/iPOD e AUX e quatro alto-falantes e quatro tweeters, retrovisores externos elétricos, eletrorretráteis, com indicador de direção; sistema de nevageção Carminat TOM TOM integrado ao painel com controle remoto e tela colorida de cinco polegadas.

Estética – Retrovisores e para-choques na cor da carroceria; acabamento cromado nos faróis de neblina, quadro de instrumentos, grade, ponteira de escapamento, porta-malas e vidros laterais; volante, manopla do câmbio e da alavanca de freio de estacionamento em couro; forração em couro dos bancos e rodas de liga leve.

Segurança – Aviso sonoro de chave na ignição, de luzes acesas, não travamento do cinto de segurança e reserva de combustível, desembaçador do vidro traseiro, airbags frontais, laterais e duplos de cortina; alarme; farol de neblina; freios ABS com distribuição de frenagem e auxílio de frenagem de urgência; cinco apoios de cabeça; controles de estabilidade (ESP) e de tração (ASR); faróis com duplo refletor; lanternas de neblina; regulador e limitador de velocidade e travamento automático das portas.

Opcionais
Faróis de xenônio, com regulagem de altura e lavador e teto solar elétrico com sistema antiesmagamento.

NOTAS (0 A 10)
Desempenho 9
Espaço interno 8
Porta-malas 9
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais (custo/benefício) 9
Segurança 10
Estilo 8
Consumo 5
Tecnologia 8
Acabamento 7

QUANTO CUSTA
O Renault Fluence Privilège tem preço sugerido de R$ 75.990 e com todos opcionais, R$ 79.990; a versão Dynamique com câmbio manual, R$59.990 e CVT, R$ 64.990.

Traseira elevada dificulta visão, que é compensada pelo sensor de obstáculos - Traseira elevada dificulta visão, que é compensada pelo sensor de obstáculos

 

Tags: teste

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe