Peugeot 408 Griffe - Falta ritmo nesse tango

Novo sedã médio chega com linhas modernas, amplo espaço interno e muitos itens de conforto e segurança. Mas transmissão automática de quatro marchas limita desempenho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 15/04/2011 23:31 Eduardo Aquino /Estado de Minas

Fotos: Maria Tereza Correia/EM/D.A PRESS

 

O segmento dos sedãs médios é um dos mais disputados nichos no Brasil, com concorrentes de peso, como Ford Focus, Honda Civic, Kia Cerato, Renault Fluence, Toyota Corolla e Volkswagen Jetta. Em 2010, essa fatia representou 12% do mercado brasileiro. Cansado de amargar um fraco desempenho nessa faixa com o 307, que era na verdade uma derivação do hatch, a Peugeot quer virar o jogo com o novo 408, fruto de um projeto específico de sedã (sobre a plataforma 2 do Grupo PSA Peugeto Citroën, que já gerou C4, 308, 3008, RCZ e 5008) e que também está sendo produzido na fábrica de Palomar, na Região Metropolitana de Buenos Aires, na Argentina. O modelo é bonito, espaçoso e recheado de equipamentos de conforto e segurança, mas o câmbio limita o desempenho do motor 2.0.

 

Confira a galeria completa de fotos do Peugeot 408 Griffe!

 

MODERNO Embora o 408 tenha mantido alguns elementos em comum (como a enorme grade frontal) com as linhas do 307, não há como negar a evolução da sua identidade visual. O novo sedã tem a frente mais “focinhuda”, com o novo logo (o primeiro modelo da marca a usá-lo no Brasil) estampado bem no “nariz”; amplo para-brisa, que traz mais luminosidade ao habitáculo; e faróis bem espichados, que entram pelos para-lamas.

 

De perfil, destacam-se os vincos acentuados, que percorrem toda a lateral, tocando as lanternas traseiras; a curva suave do teto, que dá um ar de elegância ao sedã; e as rodas de liga bem vazadas, que misturam um pouco de esportividade na receita. Na traseira, as lanternas de cor rubi, atravessadas por três “garras” de cristal, se harmonizam bem com o conjunto; mas a dupla saída de escape é falsa.

Versão Griffe tem sistema GPS, com tela escamoteável no painel - Versão Griffe tem sistema GPS, com tela escamoteável no painel
ACABAMENTO
Um dos pontos fortes no novo Peugeot é o acabamento, que é bem cuidado, com material de boa qualidade. A predominância da cor preta contrasta com detalhes de plástico cinza imitando metal no painel central, na base da alavanca de marchas e nos cinco aros das saídas de ar, que se agrupam em três no centro. As forrações, assim como os itens de conforto e segurança, variam de acordo com a versão. Na de entrada, a Allure, os bancos são forrados em tecido e, na Feline e Griffe, em couro. Os bancos são confortáveis e o motorista encontra fácil uma confortável boa posição de dirigir, com boa visibilidade em todos os sentidos (respeitando, é claro, os limites de visão traseira que os sedãs geralmente têm). Para ajudar nas manobras, o 408 tem sistema que mostra visualmente na tela central e alerta por meio de aviso sonoro, quando o carro se aproxima de algum objeto.

ESPAÇOSO Além de ser maior e mais largo, o 408 tem, principalmente, maior distância entre-eixos (10cm) em relação ao 307, o que melhorou sensivelmente o espaço interno. Quatro adultos viajam com muito conforto e podem esticar as pernas à vontade. Infelizmente, como acontece em outros modelos, o passageiro do meio do banco de trás é incomodado pelo apoio de braço embutido e pelo prolongamento do console central. Também há espaço suficiente para uma longa viagem de férias no porta-malas, que tem capacidade para 526 litros, uma das melhores do segmento. Os porta-trecos também são abundantes e o porta-luvas refrigerado ajuda bem no verão. Assim como o de conforto, o pacote de segurança é bem completo na versão Griffe, incluindo seis airbags, freios ABS, controles de tração e estabilidade.
Cinto de três pontos e apoio de cabeça para quem senta no meio - Cinto de três pontos e apoio de cabeça para quem senta no meio


RODANDO O motor 2.0 tem bom fôlego e saúde (143cv com gasolina e 151cv com etanol), mas o desempenho e o conforto ficam limitado, pelo câmbio automático de apenas quatro marchas, que, mesmo sendo uma evolução em relação ao anterior (foram aprimorados o conversor de torque e o software), não casa bem com o propulsor. Mesmo recorrendo à tecla S ou às trocas manuais (somente na alavanca), o motorista não consegue boas arrancadas e retomadas. Com certeza, a nova versão que chega em julho, com motor 1.6 (turbo e injeção direta), de 156cv, atrelado à transmissão automática de seis marchas, vai oferecer um desempenho à altura do carro. Devido ao uso de pneus de perfil baixo (225/45 R17), a suspensão favorece mais a estabilidade, prejudicando bastante o conforto por ser barulhenta e não absorver bem as irregularidades do piso.

 

Emílio Camanzi, do programa Vrum, também testou o 408. No vídeo abaixo, veja o que ele achou:

 

 

VEREDITO Com design moderno, bom acabamento, amplo espaço para pessoas e bagagens e três anos de garantia, o novo Peugeot 408 tem bons argumentos para convencer o comprador e derrotar alguns concorrentes de peso, desde que o motorista seja paciente, não tenha pressa e não se irrite com o desconforto da suspensão.

 

FICHA TÉCNICA
MOTOR

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.997cm³ de cilindrada, 16 válvulas, que desenvolve potências de 143cv (gasolina) a 6.250rpm e de 151cv (etanol) a 6.000rpm e torques de 20kgfm (gasolina) e de 22kgfm (álcool) a 4.000rpm

TRANSMISSÃO
Câmbio automático sequencial de quatro velocidades

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, rodas independentes, pseudo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira, rodas independentes, com travessa deformável / em liga leve, de 17 polegadas / 225/45 R17

DIREÇÃO

Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência eletro-hidráulica

FREIOS
A disco ventilado na dianteira e traseira, com ABS e EBD

CAPACIDADES
Tanque, 60 litros; de carga (passageiros e bagagem), 420 quilos

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE

 

Conforto/conveniência - Travamento automático das portas, direção com assistência eletro-hidráulica, para-brisa acústico, controle automático de velocidade, coluna de direção com regulagem de altura e distância, apoios de braços dianteiros, comando elétrico para vidros, travas e retrovisores, rádio CD Player com MP3, Bluetooth e entrada USB, comando de áudio no volante, chaves com abertura a distância das portas e porta-malas, bancos em couro, teto solar elétrico, acendimento automático dos faróis, sistema de ajuda em manobras, navegação por satélite, ar-condicionado de duas zonas e banco do motorista com regulagens elétricas.

Segurança - Airbags frontais, laterais e de cortina, freios ABS com EBD e BAS, faróis de neblina dianteiros, controles de estabilidade e tração.

Aparência - Rodas em liga leve com aro de 17 polegadas, frisos cromados na grade frontal e na base das janelas, detalhes cromados nos para-choques dianteiro e traseiro, retrovisores e maçanetas na cor da carroceria, volante em couro esportivo, mostradores com fundo branco, soleiras das portas e pedaleira em alumínio.

OPCIONAIS
Não tem.


NOTAS (0 A 10)
Desempenho 7
Espaço interno 9
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 9
Segurança 9
Estilo 8
Consumo 7
Tecnologia 8
Acabamento 8
Custo/benefício 8

QUANTO CUSTA
A versão Griffe 2.0, que é a topo de linha, tem câmbio automático e preço sugerido de R$ 79.900. O Peugeot 408 também é comercializado nas opções Allure (manual), R$ 59.500; Allure (automático), R$ 64.500; e Feline (automático), R$ 74.900.

AVALIAÇÃO TÉCNICA
ACABAMENTO DA CARROCERIA

Pintura tem bom acabamento. As quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. A tampa do porta-malas está descentralizada, mas o capô tem montagem razoável. Não há frisos protetores nas portas. A montagem dos vários componentes (para-choques, retrovisores, pestanas, lanternas, faróis etc.) é boa. REGULAR

VÃO DO MOTOR

O capô, que é pesado, tem ótimo ângulo de abertura e é sustentado aberto por vareta manual. O motor preenche bem o vão, e a sua zona posterior invade a cobertura do painel de fogo, limitando o acesso à manutenção de vários componentes. Os itens de verificação constante têm fácil identificação e acesso. O reservatório de partida a frio tem manuseio aceitável (a tampa do gargalo está muito próxima da curvatura do painel de fogo), mas não há luz de advertência no quadro de instrumentos quando ele está vazio e é difícil a visualização do nível da gasolina, devido à tonalidade opaca do plástico do reservatório. REGULAR

ALTURA DO SOLO
Toca com frequência a aba inferior do para-choque dianteiro em saídas de garagem com desnível, e ao transpor quebra-molas mais salientes. Toda a zona inferior do motopropulsor tem proteção por chapa em aço vazada. REGULAR

CLIMATIZAÇÃO

É automático com função digital para o ajuste de temperatura para o condutor e passageiro. São oito as opções de regulagem da velocidade da caixa de ar, e três para o direcionamento do fluxo de ar. Existem cinco difusores de ar no formato circular, com o corpo fixo, no quadro de instrumentos; e dois no fim do console central, para os passageiros de trás. Apresentou bom funcionamento, com baixo tempo para dar a sensação de conforto no habitáculo. Sistema está bem vedado e o nível de ruído de funcionamento é satisfatório. POSITIVO

FREIOS

Apresentaram bom comportamento dinâmico. Estão muito bem dimensionados e calibrados com ABS eficiente. O pedal de freio tem ótima sensibilidade. O conjunto dianteiro e traseiro apresentou reações balanceadas, boa desaceleração e resistência térmica. Em frenagem simulada de emergência (asfalto seco e molhado), não ocorreu o afundamento exagerado do eixo dianteiro, mantendo-se trajetória imposta. POSITIVO


CÂMBIO

É automático, com somente quatro marchas, mas há opção de uso manual sequencial, com toque somente na alavanca principal. Conjunto tem programação para uso esporte e sobre piso de baixo atrito, com teclas junto à alavanca. O quadro de instrumentos registra a informação da marcha e opção selecionada. Proporciona uma dirigibilidade sem muito brilho no uso misto, e as respostas em kick-down são apenas aceitáveis em algumas situações devido ao retardo de resposta. No modo manual seqüencial, ao atingir a rotação máxima preestabelecida pelo gerenciamento eletrônico do câmbio, as trocas são automáticas. REGULAR

MOTOR

O sistema flex funcionou bem com etanol e gasolina, com boa partida a frio, aceleração progressiva e marcha lenta linear. É significativo a sua superioridade em rendimento quando com somente álcool, com ganhos relevantes de potência ( 8cv) e torque ( 2kgfm). A rotação correspondente ao torque máximo é de 4.000rpm e o peso do veículo de mais de 1,5 tonelada limita o brilho na performance, além do câmbio com somente quatro marchas. A sua dirigibilidade é bem razoável, com a retomada de velocidade e aceleração aceitáveis. POSITIVO

VEDAÇÃO

Boa contra água. POSITIVO

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS

O efeito aerodinâmico é satisfatório, mesmo em alta velocidade. O habitáculo não é silencioso quando se roda sobre piso de paralelepípedo e asfalto ruim. REGULAR

SUSPENSÃO

O conforto de marcha não é bom por causa da transferência exagerada das imperfeições do solo para dentro, e os pneus da série 45 não contribuem em nada, principalmente na suspensão traseira. Com o veículo carregado (quatro adultos) e com pneus calibrados para esta condição, é inaceitável o funcionamento da suspensão traseira. A estabilidade agrada bem em velocidade elevada, pela precisão no contorno de curvas de raios variados, com pouca inclinação da carroceria. Numa utilização esportiva, conta com auxílio do sistema eletrônico de estabilidade, que atuou com eficiência no limite da aderência lateral. REGULAR

DIREÇÃO

Coluna tem regulagem em altura e distância, com bom curso e o volante, boa pega. Os pneus homologados para esta versão (na medida 225/45 R17) são muito limitados e vulneráveis para o uso em várias rodovias mistas e ruas urbanas. O diâmetro de giro é razoável e a velocidade do efeito/retorno satisfaz. A precisão na reta e em curvas é muito boa. POSITIVO

ILUMINAÇÃO

Grupo óptico dianteiro é bi xenônio, com sistema auto direcional e tem com auxílio de faróis de neblina, embutidos no para-choque. Há regulagem automática de altura do facho e esguichos para lavar as lentes. Apresentaram eficiência muito boa no baixo e no alto. Existe luz de cortesia no porta-malas, para-sóis e porta-luvas. No teto, há um plafonier nas zonas anterior e posterior, com lanterna e dois spots fixos integrados, com bom resultado em iluminação. O quadro de instrumentos, console central e interruptores nos painéis de porta têm boa identificação noturna. POSITIVO

ESTEPE/MACACO

Estepe tem roda em aço e pneu diferente dos de uso, em medidas, índice de carga e índice de velocidade (estepe, 205/55 R16 91V; e de uso, 225/45 R17 94W). Tem adesivo fixado no aro indicando a velocidade máxima de 80km/h. Essa solução não é pratica e funcional no Brasil pela alteração do ritmo da viagem, pois altera o handling e obriga a reparação mais breve do pneu/roda danificado, o que nem sempre é possível em rodovias. A operação de troca é normal. REGULAR

LIMPADOR DE PARA-BRISA

As palhetas trabalham cruzadas, têm boa qualidade e varrem uma área razoável. Os esguichos são do tipo spray em V, que atingem toda a área do para-brisa. O sistema tem sensor de chuva e é fácil o acesso ao reservatório de água instalado dentro do vão do motor. POSITIVO

ALARME

Sistema é completo, com chave de ignição do tipo canivete codificada, proteção perimétrica das partes móveis e volumétrica dentro do habitáculo. As quatro portas têm função de abertura/fechamento dos vidros por um toque. A função antiesmagamento atuou com precisão. POSITIVO

VOLUME DO PORTA-MALAS

O declarado é 526 litros, e o encontrado foi 496 litros, com o banco traseiro na posição normal, triângulo de segurança dentro do porta-malas e com fechamento suave da tampa.

As lanternas horizontalizadas têm lentes na cor rubi e as duas saídas do escape são falsas - As lanternas horizontalizadas têm lentes na cor rubi e as duas saídas do escape são falsas



Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan.

 

Tags:

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe