Publicidade

Estado de Minas

Peugeot 308 2.0 Allure - Para tirar o atraso

Mesmo desembarcando aqui quase três anos depois da Europa, o hatch chega com estilo ainda atual, motor com bom fôlego, câmbio bem acertado e acabamento de boa qualidade


postado em 11/04/2012 17:10 / atualizado em 11/04/2012 18:11

Tomada de ar inclui parte do para-choque e para-brisa funde-se com teto(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS)
Tomada de ar inclui parte do para-choque e para-brisa funde-se com teto (foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS)
O berço não é a Europa e sim a fábrica de El Palomar, na Argentina, mas o 308 hermano está no mesmo nível do modelo que é produzido e vendido no Velho Continente. A começar pelo estilo, já que o carro que está sendo comercializado aqui também passou pela mesma reforma no visual feita em 2011 e apresentada no Salão de Genebra do mesmo ano, e está em sintonia com os modelos que competem em um dos mais disputados segmentos do mercado brasileiro: o dos hatches médios. Além do visual, o modelo tem uma lista bem atual de equipamentos de conforto e segurança, bom nível de acabamento, motor que proporciona bom desempenho e um câmbio bem acertado, proporcionando boa dirigibilidade.

 

Clique aqui e veja a galeria de fotos completa do Peugeot 308 2.0 Allure!

 

Um equilíbrio do barulho
A suspensão do Peugeot 308 proporciona muita segurança em qualquer situação, mesmo em curvas fechadas. Mas ela é barulhenta e não absorve bem as irregularidades do piso.

O segmento dos hatches médios no Brasil tem concorrentes do quilate de Ford Focus, VW Golf, Hyundai i30, Citroën C4, Fiat Bravo e Nissan Tiida. Para manter-se competitivo num segmento tão disputado como esse, a Peugeot deu uma boa atualizada no estilo do 308 e caprichou no acabamento. O bom desempenho é outro atrativo do hatch francês. Mas a suspensão privilegia a estabilidade e sacrifica um pouco o conforto.

ESTILO Como o próprio número indica, o 308 veio para aposentar o 307. O novo modelo mantém uma identidade com o antecessor, mas a evolução no design fica evidente na moldura prateada e mais verticalizada dos faróis de neblina; na nova tomada de ar, que inclui um pedaço do para-choque; no teto de vidro panorâmico, que parece fundir-se com o para-brisa; nas rodas esportivas, de desenho mais “vazado”, deixando as pinças de freio à mostra; nos dois vincos acentuados das portas, sendo que o de cima se estende até a lanterna traseira; na linha de cintura bem ascendente; no perfil traseiro, que deixou o carro com um “bumbum” mais avantajado; nas lanternas traseiras, que entram pelos para-lamas; na curvatura do vidro traseiro; e no encaixe de plástico preto no para-choque traseiro. Por outro lado, a frente continua baixa e raspando com facilidade em entradas e saídas de rampas.

A traseira continua com linhas simples, mas ganhou bumbum avantajado
A traseira continua com linhas simples, mas ganhou bumbum avantajado


POR DENTRO O que mais chama a atenção quando se entra no 308 é o nível de acabamento, pois os plásticos são de boa qualidade e se apresentam bem encaixados. Ele é quase todo na cor preta, mesclando detalhes em plástico imitando metais na cor cinza-escura (no painel central e console) e na cor prata (nos aros dos instrumentos e das saídas do sistema de climatização, no pomo da alavanca de marchas e nas maçanetas internas). O painel é o mesmo do sedã 408, com instrumentos analógicos de fundo preto e grafismos brancos, de fácil visualização de dia ou de noite. Os bancos, que prendem bem o corpo e apoiam corretamente as pernas, são revestidos em tecido (de tear na parte central) de toque agradável e compatível com o nosso clima tropical. O do motorista tem regulagem manual de altura, o que, aliado ao ajuste em altura e distância da coluna de direção, possibilita encontrar facilmente uma boa posição de dirigir.

CONFORTO O espaço interno do 308 é um pouco limitado e passageiros com mais de 1,80m vão se sentir desconfortáveis no banco traseiro. Aliás, lá somente viajam com conforto dois adultos, pois quem senta no meio é incomodado pelo túnel central e pelo prolongamento do console. Por outro lado, eles viajam em uma posição um pouco mais elevada, o que melhora o visual da estrada. Devido à grande área envidraçada, a visão do motorista para a frente e para os lados é boa, mas a visibilidade traseira merecia a ajuda de sensores de estacionamento. A Peugeot divulga que o porta-malas tem capacidade para 430 litros. Essa medida usa o método que preenche o espaço com água. Pelo padrão VDA, usado no Brasil (que usa blocos de isopor), cabem 360 litros, que é um volume compatível com o de um hatch médio. A versão Allure tem uma lista bem ampla de itens de conforto, incluindo ar-condicionado de dupla zona, sensores de chuva e crepuscular, controle automático de velocidade, entre outros.
Banco traseiro tem apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos
Banco traseiro tem apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos


SEGURANÇA Todos os ocupantes que viajam no 308 estão protegidos por apoios de cabeça e cintos de segurança de três pontos. Mas os airbags laterais e de cortina e os controles de tração e estabilidade somente estão disponíveis na versão topo de linha: a Feline, que também vem equipada com sensor de estacionamento traseiro. A suspensão favorece a estabilidade, possibilitando ao motorista abusar um pouco nas curvas, mesmo naquelas mais fechadas e de piso irregular. Por outro lado, o conforto é um pouco prejudicado, pois o conjunto não absorve bem as irregularidades do piso e é muito barulhento ao rodar sobre piso de calçamento e asfalto irregular. Outro ponto negativo são os pneus de perfil baixo, que não combinam com o péssimo estado de nossas vias públicas.

DESEMPENHO O motor 2.0 é suave e proporciona bom fôlego em qualquer situação. Basta cutucar o acelerador para que ele reaja prontamente. As retomadas de velocidade são eficientes e possibilitam ultrapassagens seguras. Na estrada, com gasolina no tanque, quatro adultos, bagagem e ar-condicionado ligado, o computador de bordo registrou média de 10,2km/l. O bom desempenho é ajudado pelo câmbio manual de cinco marchas, que tem uma relação de marchas bem acertada, engates precisos e macios, embora o curso seja um pouco longo. Também se destaca a boa calibragem da direção, que facilita as manobras de estacionamento e tem peso adequado em velocidades elevadas.


AVALIAÇÃO TÉCNICA

 

ACABAMENTO DA CARROCERIA
As quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. A tampa traseira está desnivelada no lado esquerdo. O capô tem montagem razoável. A qualidade da pintura não é boa, pois contém alguns pontos com impurezas. NEGATIVO



VÃO DO MOTOR
O resultado do isolamento acústico em relação ao habitáculo é bom. O acesso à manutenção é limitado na zona posterior do conjunto motopropulsor, que invade a cobertura do painel de fogo. A sistematização está benfeita, com fácil identificação e manuseio dos itens de verificação constante. O capô é sustentado por vareta manual e tem bom ângulo de abertura. REGULAR

ALTURA DO SOLO
Toda a zona inferior do conjunto motopropulsor tem proteção com chapa em aço vazada. Toca com frequência a zona anterior em saídas de garagem com desnível. REGULAR

CLIMATIZAÇÃO
Sistema é automático digital. O painel tem cinco difusores de ar de formato circular, que, somados a mais dois no final do console central, distribuem bem o ar climatizado, favorecendo o conforto a bordo. O nível de ruídos de funcionamento é satisfatório, mesmo na velocidade máxima, e a vedação é boa. POSITIVO

FREIOS
Apresentaram bom comportamento dinâmico em geral. O pedal de freio tem boa sensibilidade e os conjuntos dianteiro e traseiro têm reações homogêneas, com boa desaceleração e manutenção da trajetória. O sistema ABS atuou com eficiência e o freio de estacionamento funcionou normalmente. POSITIVO

CÂMBIO
É manual, com cinco marchas. As relações de marchas/diferencial estão bem definidas em função da curva do motor e do peso do automóvel, favorecendo a dirigibilidade. A qualidade de engate é muito boa em precisão, maciez posição da alavanca, e o trambulador não é barulhento. POSITIVO

MOTOR
A curva e distribuição da potência/torque em função da rotação é boa. O torque máximo ocorre na faixa de 4.000rpm (16V), mas mesmo abaixo disso ainda é agradável e segura a sua dirigibilidade. As retomadas de velocidade e aceleração são eficientes, ajudadas pela definição do câmbio. Apresentou boa partida a frio com somente etanol no tanque e o nível de ruídos de funcionamento é razoável para um motor multiválvulas. POSITIVO

VEDAÇÃO
Boa contra água e poeira. POSITIVO

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS
O efeito aerodinâmico é contido, mesmo em alta velocidade. Os ruídos no habitáculo são vários e surgem ao trafegar sobre pisos irregulares. REGULAR

SUSPENSÃO
O conforto de marcha é limitado, com destaque para a aspereza da suspensão traseira e os pneus da série 45, que não contribuem em nada neste quesito. A estabilidade é ótima, possibilitando o contorno de curvas de raios variados com muita precisão, velocidade constante e mínima inclinação da carroceria. REGULAR

DIREÇÃO
A assistência é eletro-hidráulica, com cargas diferenciadas que favorecem o uso urbano em manobras e também em rodovias. A coluna de direção tem ajuste manual em altura e distância, com bom curso. Apresentou reações equilibradas, boa rapidez de resposta e sensibilidade. O diâmetro de giro e a velocidade do efeito-retorno satisfazem. POSITIVO

ILUMINAÇÃO
Sistema tem sensor crepuscular. Tem luz de cortesia no porta-malas e porta-luvas. Na zona do teto, há duas lanternas com spots fixos integrados junto ao retrovisor e no final do teto, com resultado satisfatório. Os faróis têm duplo refletor e são eficientes no baixo e alto e têm auxílio de faróis de neblina, que estão inseridos no para-choque. Falta ajuste elétrico de altura em função da carga transportada, mas é fácil a alteração do facho por meio de regulagens que ficam atrás do corpo dos faróis. POSITIVO

ESTEPE/MACACO
O estepe tem a roda em aço e o pneu diferente dos de uso, com a velocidade limitada a 80km/h. Está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho. O kit de troca fica abaixo do aro. A operação de troca é normal, mas é necessário retirar as tampas plásticas que encobrem as cabeças dos parafusos de roda. REGULAR

LIMPADOR DO PARA-BRISA
Sistema tem sensor de chuva. As palhetas trabalham cruzadas, são eficientes e varrem uma área satisfatória no para-brisa. Os esguichos no vidro da frente são do tipo spray, com boa abertura e pressão. No vidro traseiro, o sistema de limpeza e os esguichos também são eficientes. O acesso ao reservatório de água dentro do vão do motor é fácil. POSITIVO

ALARME
A chave de ignição é codificada. Tem proteção perimétrica das partes móveis, mas falta a volumétrica, contra a invasão do habitáculo pela quebra dos vidros. Ao dar comando para travar as portas, os vidros não sobem automaticamente e há função “um toque” nas quatro portas. O sistema antiesmagamento atuou com precisão. REGULAR

VOLUME DO PORTA-MALAS
O declarado é 430 litros e o encontrado foi 360, com a tampa do bagagito fechada e banco traseiro na posição normal.

PALAVRA DE ESPECIALISTA
Bem-vindo aos hatches médios

 

DANIEL RIBEIRO FILHO
Engenheiro

 

O 308 com motor 2.0 flex e câmbio manual certamente vai conquistar uma bela fatia do seu segmento de mercado. A dirigibilidade é prazerosa, com ótima integração entre o câmbio e o motor em relação ao seu peso em ordem de marcha (de 1.328 quilos). A calibragem das suspensões é satisfatória somente para o uso sobre piso em bom estado de conservação, fato que não ocorre em várias ruas, avenidas e rodovias do Brasil. Em pisos irregulares se torna um automóvel desconfortável. A Peugeot errou ao homologar pneus com aro de 17 polegadas e da série 45 e 40 para utilização no Brasil, mesmo em nome do visual esportivo. Considero-os impróprios devido à altíssima vulnerabilidade a impactos médios/altos e buracos em geral e ao alto custo de reposição. O ideal para esta versão com esta motorização seria aro 15 da série 60, com pneu reserva igual aos de uso, sendo a perda no design e estilo desprezível. O acabamento interno e habitabilidade são razoáveis e o traço da carroceria, moderno e agradável de ver. O volume do porta-malas (360 litros), obtido com medição por método VDA, é satisfatório para um hatch médio.

FICHA TÉCNICA
MOTOR

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.997cm³ de cilindrada, 16 válvulas, que desenvolve potências máximas de 143cv (gasolina) a 6.250rpm e de 151cv (etanol) a 6.000rpm e torques máximos de 20kgfm (gasolina) e de 22kgfm (etanol), ambos a 4.000rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência eletro-hidráulica

FREIOS
A disco nas quatro rodas, sendo ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com sistema ABS (de série)

SUSPENSÕES/RODAS/PNEUS
Dianteira, com rodas independentes, do tipo pseudo-McPherson, e barra estabilizadora; e traseira, com rodas independentes, com travessa deformável e barra estabilizadora / rodas em liga leve, com aro de 17 polegadas / 225/45 R17.



CAPACIDADES
Do tanque, 60 litros; e de carga (ocupantes e bagagem), 368 quilos.

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE

Conforto/conveniência - Acendimento automático dos faróis, ar-condicionado automático de duas zonas, banco do motorista com regulagem de altura, CD Player, MP3, Bluetooth, coluna de direção com regulagem de altura e distância, computador de bordo, direção eletro-hidráulica, faróis com sistema siga-me, sensor de chuva, controle automático de velocidade, porta-luvas refrigerado e vidros, travas e retrovisores externos com comando elétrico.
Com plásticos de boa qualidade, o painel é o mesmo do sedã 408
Com plásticos de boa qualidade, o painel é o mesmo do sedã 408


Aparência - Teto panorâmico em vidro, detalhes cromados no painel e câmbio, maçaneta externa e retrovisores na cor da carroceria, grade do para-choque com contorno cromado, painel de instrumentos com fundo preto, rodas de liga leve e volante revestido em couro.

Segurança - Acendimento automático das luzes de emergência depois de frenagem brusca, duplo airbag frontal, apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos os ocupantes, indicador de manutenção do veículo, cintos de segurança dianteiros e laterais traseiros com limitador de esforço, freios ABS com repartidor eletrônico de frenagem, protetor de cárter e travamento automático das portas e porta-malas acima de 20km/h.

OPCIONAL
Não tem.

NOTAS (0 A 10)

Desempenho 9
Espaço interno 7
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 8
Segurança 8
Estilo 7
Consumo 7
Tecnologia 8
Acabamento 9
Custo/benefício 8

QUANTO CUSTA
O Peugeot 308 2.0 Allure é vendido com câmbio manual (R$ 59.990) ou automático (R$ 63.990). O hatch também é comercializado nas opções: Active 1.6 16V, manual, R$ 53.990; Allure 1.6 16V, manual, R$ 56.990; e Feline 2.0 16V, automático, R$ 70.990.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade