PEUGEOT 408 Griffe 1.6 THP - A pimenta que faltava

Sedã médio ganha opção com o eficiente conjunto motor 1.6 turbo e câmbio automático de seis velocidades, que garante desempenho bem mais picante, mas sem gastar muito

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 19/05/2012 13:56 Eduardo Aquino /Estado de Minas

Marcelo Ney Vidal/EM/D.A Press

Cansada de amargar um fraco desempenho no disputadíssimo segmento dos sedãs médios no mercado brasileiro com o 307, que era na verdade uma derivação do hatch, a marca francesa resolveu desenvolver um projeto específico de um três volumes, usando a plataforma 2 do Grupo PSA Peugeot Citroën (que já gerou modelos como C4, 308, 3008, RCZ e 5008). Além de linhas bem modernas, o modelo ganhou amplo espaço interno e muitos itens de conforto e segurança. Mas o sedã foi lançado no Brasil, em fevereiro do ano passado, apenas com motor 2.0 e câmbio automático de quatro marchas, que proporciona um desempenho mais familiar do que esportivo. Agora, a marca do leão dá um rugido mais alto ao lançar a opção com motor 1.6 turbo e câmbio automático de seis velocidades, que agrada àqueles que adoram cutucar mais o pedal da direita.

Na frente, destacam-se a tomada de ar inferior, com barras horizontais, e os faróis autodirecionais com luzes de xênon - Marcelo Ney Vidal/EM/D.A Press Na frente, destacam-se a tomada de ar inferior, com barras horizontais, e os faróis autodirecionais com luzes de xênon


Para tentar se dar bem num segmento que tem muitas opções de peso (Ford Focus, Honda Civic, Kia Cerato, Renault Fluence, Toyota Corolla e Volkswagen Jetta), a Peugeot resolveu apostar suas fichas também em uma versão mais esportiva, disputando espaço com versões mais apimentadas da concorrência, como Fiat Linea T-Jet e Volkswagen Jetta Highline. Assim como seus competidores, o novo conjunto (motor 1.6 THP e câmbio automático de seis velocidades) somente está disponível na versão Griffe, a topo de linha. Mas, por outro lado, a opção mais esportiva tem o mesmo preço da Griffe equipada com motor 2.0 16V flex e câmbio automático de quatro marchas: R$ 81.490. A ideia é conquistar tanto aqueles que apreciam um desempenho mais familiar quanto aqueles que curtem um motor com mais fôlego.

DESIGN Mesmo guardando algumas semelhanças com o antecessor 307, as linhas do 408 são muito mais modernas e elegantes. Alguns detalhes chamam a atenção, como a frente mais “focinhuda”, que traz o novo logotipo do leão (o primeiro modelo da marca a usá-lo no Brasil) estampado bem no “nariz”; o amplo para-brisa, que deixou o habitáculo bem mais iluminado; e os faróis (autodirecionais no caso da versão Griffe), que ficaram bem mais espichados e entram pelos para-lamas. Nas laterais, os vincos são acentuados, percorrem toda a lateral e “tocam” as lanternas traseiras; a curva do teto é suave e dá um ar de elegância ao sedã. As rodas de liga têm desenho bem esportivo, com raios duplos. A traseira tem linhas simples e as lanternas de cor rubi, atravessadas por três “garras” de cristal, se harmonizam bem com o conjunto. Assim como nas outras versões, a dupla saída de escape é falsa.

Lanternas de lentes vermelhas têm desenho elegante e a dupla saída de escape é falsa - Marcelo Ney Vidal/EM/D.A Press Lanternas de lentes vermelhas têm desenho elegante e a dupla saída de escape é falsa


QUALIDADE Basta entrar no Peugeot 408 para perceber que o acabamento é bem cuidado e os materiais são de boa qualidade. Para quebrar a hegemonia da cor preta, presente no revestimento em couro (dos bancos, volante e puxadores de porta), no painel frontal, painéis de porta e console, a marca francesa usou detalhes em plástico imitando cromado na parte de baixo do volante, na base da alavanca de marchas, nas maçanetas internas das portas e nos aros dos instrumentos do painel e das saídas do sistema de climatização; e a cor cinza-escura, presente no console. Os instrumentos do painel são grandes e têm fundo branco, o que facilita a visualização diurna. Os bancos dianteiros prendem bem o corpo e apoiam bem as pernas e é fácil encontrar uma boa posição de dirigir. A visibilidade frontal é boa e o motorista conta com sensores de estacionamento (com infografia do carro na tela central) na dianteira e na traseira.

CONFORTO Uma das formas de ampliar o espaço interno é aumentando a distância entre os eixos. Para se ter uma ideia de como o 408 é mais espaçoso que o 307, essa medida foi aumentada em 10cm. Daria para acomodar cinco adultos com muito conforto se não fosse o apoio de braço embutido no centro do encosto do banco traseiro e o prolongamento do console, que incomoda quem senta no meio. Mas para os outros há espaço de sobra e os passageiros de trás podem esticar as pernas sem problemas. O porta-malas de 526 litros leva tranquilamente toda a bagagem de férias. Outra vantagem desse sedã é a boa quantidade de porta-trecos, com destaque para o porta-luvas refrigerado, capaz de manter bebível uma garrafa de água mineral durante um engarrafamento sob um sol escaldante. Outro ponto positivo é a lista de equipamentos de segurança, que inclui seis airbags, freios ABS e controles de tração e estabilidade.

RODANDO Ao contrário das versões equipadas com motor 2.0, cujo desempenho fica limitado pela transmissão automática de quatro marchas, na Griffe 1.6 THP o câmbio automático sequencial de seis velocidades sabe explorar bem todo o fôlego do motor 1.6 turbo, proporcionando uma “tocada “ agradável e segura em qualquer situação, seja nas arrancadas, retomadas, aceleradas ou mesmo para um passeio com os filhos no domingo. As trocas ficam mais rápidas ao se acionar a tecla S (na base da alavanca). Existe ainda a opção para pisos escorregadios. O turbo também entra sempre de forma suave e progressiva, sem trancos. Tudo isso sem beber muito: com três adultos e ar ligado, o computador de bordo registrou médias de 8,5km/l na cidade e 14,3km/l em estrada com poucas subidas e pouco tráfego. O principal ponto negativo desse 408 é a suspensão, que é barulhenta e não absorve bem as irregularidades do piso. Mas o motorista pode abusar em qualquer curva. A direção também merecia uma melhor calibragem, pois é um pouco dura.

VEREDITO Na lista de bons argumentos do Peugeot 408 Griffe 1.6 THP figuram o bom desempenho na hora de acelerar e de economizar combustível, o design moderno, o bom acabamento, o amplo espaço para quatro adultos e as respectivas bagagens e os três anos de garantia. Já na relação dos pontos negativos, a “dureza” e os ruídos da suspensão e do habitáculo podem pesar para quem aprecia mais conforto e a falta de sistema flex no motor 1.6 pode desanimar quem gosta de ter duas opções na hora de abastecer.

FICHA TÉCNICA
MOTOR

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.598cm³ de cilindrada, 16 válvulas, turbo, que desenvolve 165cv de potência a 6.000rpm e 24,5kgfm de torque a 1.400rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, câmbio automático sequencial de seis velocidades

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência eletro-hidráulica

FREIOS
A disco nas quatro rodas, sendo ventilados na dianteira e sólido na traseira, com sistema ABS (de série)

SUSPENSÕES/RODAS/PNEUS
Dianteira, semi-independente, pseudo- McPherson, com barras estabilizadoras; e traseira, rodas independentes, com travessa deformável / 7,5 x 17 polegadas, em liga leve / 225/45 R17

CAPACIDADES
Do tanque, 60 litros; de carga (ocupantes e bagagem), 415 quilos

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE

Conforto/conveniência – Travamento automático das portas, direção com assistência eletro-hidráulica, para-brisa acústico, controle automático de velocidade, coluna de direção com regulagem de altura e distância, apoios de braços dianteiros, comando elétrico para vidros, travas e retrovisores, rádio CD Player com MP3, Bluetooth e entrada USB, comando de áudio no volante, chaves com abertura a distância das portas e porta-malas, bancos em couro, teto solar elétrico, acendimento automático dos faróis, sistema de ajuda em manobras, navegação por satélite e ar-condicionado de duas zonas.

Segurança – Airbags frontais, laterais e de cortina, freios ABS com EBD e BAS, faróis de neblina dianteiros, controles de estabilidade e tração.

Aparência – Rodas em liga leve com aro de 17 polegadas, frisos cromados na grade frontal e na base das janelas, detalhes cromados nos para-choques dianteiro e traseiro, retrovisores e maçanetas na cor da carroceria, volante em couro esportivo, mostradores com fundo branco, soleiras das portas e pedaleira em alumínio.

OPCIONAL
Banco do motorista com regulagens elétricas.

QUANTO CUSTA
O Peugeot 408 Griffe THP 1.6 tem preço sugerido de R$ 81.490. O sedã também é vendido com motor 2.0 16V nas versões Allure (manual), R$ 59.990; Allure (automático de quatro marchas), R$ 64.990; Feline, R$ 74.900; e Griffe, R$ 81.490 (automático, de quatro marchas).

NOTAS (0 A 10)
Desempenho 9
Espaço interno 9
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 8
Segurança 9
Estilo 9
Consumo 8
Tecnologia 8
Acabamento 9
Custo/benefício 8

 

Instrumentos têm fundo branco e tela no centro do painel pode ser escamoteada - Marcelo Ney Vidal/EM/D.A Press Instrumentos têm fundo branco e tela no centro do painel pode ser escamoteada
 

 

AVALIAÇÃO TÉCNICA
ACABAMENTO DA CARROCERIA

A pintura tem bom acabamento. As quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. O capô está desalinhado em relação às bases das colunas A. A tampa do porta-malas está descentralizada e desnivelada. O acabamento adesivado que encobre a coluna B está desalinhado em relação às portas do lado direito. Os outros componentes da carroceria (para-choques, faróis, pestanas dos vidros, lanternas traseiras, retrovisores, etc.) têm boa montagem. REGULAR

VÃO DO MOTOR
O motor preenche todo o vão e invade a cobertura do painel de fogo, limitando bastante o acesso à manutenção de vários componentes. Os itens de verificação constante têm fácil visualização e manuseio. O capô tem bom ângulo de abertura e é sustentado, quando aberto, por vareta manual. REGULAR

ALTURA DO SOLO

Toca com frequência a aba inferior do para-choque dianteiro e raspa a proteção do cárter e câmbio em saídas de garagem com desnível e ao transpor quebra-molas mais salientes. Toda a parte inferior do motopropulsor tem proteção por chapa em aço vazada. REGULAR

CLIMATIZAÇÃO

Sistema é automático e digital, com opção de regulagem de temperatura para condutor e passageiro. São cinco difusores de ar de formato circular com o corpo fixo e, no fim do console central, há dois difusores para os passageiros de trás. Apresentou bom funcionamento, com baixo tempo para dar a sensação de conforto no habitáculo. Sistema está bem vedado e o nível de ruídos é satisfatório. POSITIVO

FREIOS
Apresentaram bom comportamento dinâmico. Eles estão muito bem dimensionados e calibrados, com sistema ABS eficiente. O pedal de freio tem ótima sensibilidade. Os conjuntos dianteiro e traseiro apresentaram reações balanceadas, boa desaceleração e resistência térmica. Em frenagem simulada de emergência (asfalto seco e molhado), não ocorreu o afundamento exagerado do eixo dianteiro e o veículo manteve a trajetória imposta. POSITIVO

CÂMBIO
É automático e há opção de uso manual sequencial com toque somente na alavanca principal. Sistema tem programação para uso esportivo e sobre piso de baixo atrito, com teclas junto à alavanca. O quadro de instrumentos informa a marcha e opção selecionada. Proporciona uma boa dirigibilidade no uso misto e as respostas em kick-down são eficientes. REGULAR

MOTOR
Merece destaque a sua performance para a cilindrada e peso. A sua curva de potência e torque é muito boa. A condução no uso misto é prazerosa. O turbo está bem dimensionado e calibrado, com entrada suave e resposta rápida e bem progressiva. O nível de ruídos de funcionamento é baixo. POSTIVO

 

Banco traseiro tem apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos - Marcelo Ney Vidal/EM/D.A Press Banco traseiro tem apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos
 

 

VEDAÇÃO
Boa contra água. POSITIVO

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS
O efeito aerodinâmico é satisfatório mesmo em alta velocidade. O habitáculo não é silencioso quando se roda sobre piso de paralelepípedo e asfalto ruim. REGULAR

SUSPENSÃO
O conforto de marcha não é bom, devido à alta transferência das imperfeições do solo para dentro (na qual os pneus da série 45 não contribuem em nada), principalmente pela suspensão traseira. A estabilidade é boa e o veículo contorna com precisão curvas de raios variados, com pouca inclinação da carroceria. Numa utilização esportiva, o motorista tem o auxílio do sistema eletrônico de estabilidade, que atua com eficiência no limite da aderência lateral.REGULAR

DIREÇÃO
A coluna de direção tem regulagem em altura e distância, com bom curso, e o volante, boa pega. Os pneus homologados para esta versão (na medida 225/45 R17) são muito limitados e vulneráveis para o uso em várias rodovias mistas e ruas urbanas. O diâmetro de giro é razoável e a velocidade do efeito-retorno satisfaz. A precisão na reta e em curvas é muito boa. REGULAR

ILUMINAÇÃO
O grupo óptico dianteiro tem xênon no baixo com sistema autodirecional e conta com auxílio de faróis de neblina. Existe regulagem automática de altura do facho e esguichos para lavar as lentes. Apresentaram uma eficiência muito boa no baixo e no alto. Há luzes de cortesia no porta-malas, para-sóis e porta-luvas. Há lanterna e dois spots fixos integrados na frente e para os passageiros do banco traseiro, com bom resultado em iluminação. O quadro de instrumentos, console central e interruptores nos painéis de porta têm boa identificação noturna. POSITIVO

ESTEPE/MACACO
O estepe tem a roda em aço e o pneu diferente dos de uso, em medidas, índice de carga e índice de velocidade (205/55 R16 91V no estepe e 225/45 R17 94W nos de uso). Existe um adesivo fixado no aro, indicando a velocidade máxima de 80km/h. Essa solução não é prática nem funcional no Brasil pela alteração do ritmo da viagem e do handling, além de obrigar a reparação mais breve do pneu/roda danificado, o que nem sempre é possível em rodovias. A operação de troca
é normal. REGULAR

LIMPADOR DO PARA-BRISA

As palhetas que trabalham cruzadas têm boa qualidade e varrem uma área razoável. Os esguichos são do tipo spray em V, que atingem toda a área do para-brisa. O sistema tem sensor de chuva. É fácil o acesso e manuseio do reservatório de água instalado dentro do vão do motor. POSITIVO

ALARME
O sistema é completo, com chave de ignição do tipo canivete codificada e proteção perimétrica das partes móveis e volumétrica dentro do habitáculo. As quatro portas têm função de abertura/fechamento dos vidros por um toque. A função antiesmagamento atuou com precisão. POSITIVO

VOLUME DO PORTA-MALAS
O declarado é de 526 litros, e o encontrado foi de 496 litros, com o banco traseiro na posição normal, triângulo de segurança dentro do porta-malas e fechamento suave da tampa.


Porta-malas tem capacidade para 496 litros - Marcelo Ney Vidal/EM/D.A Press Porta-malas tem capacidade para 496 litros

 

Três saídas circulares de ar no painel central - Marcelo Ney Vidal/EM/D.A Press Três saídas circulares de ar no painel central
 

 

Palavra de especialista
Upgrade bem-vindo
DANIEL RIBEIRO FILHO
ENGENHEIRO

Merece destaque o novo conjunto motopropulsor com este moderno motor de 1.6 litro com turbo, acoplado ao câmbio automático de seis marchas. É muito gostosa a sua dirigibilidade no uso misto, com aceleração e retomadas de velocidade muito eficientes. O 408 com o motor 2.0 flex e câmbio com somente quatro marchas não tem parâmetros de comparação em dinâmica com o 408 avaliado.

Tags:

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação