Publicidade

Estado de Minas

Renault Fluence GT - De comportado, nem a cara

Preparada pela divisão Sport da Renault, a versão apimentada do sedã ganhou visual esportivo e fôlego e equilíbrio suficientes para não deixar dúvidas na hora de acelerar


postado em 01/02/2013 15:29

Embora tenha algumas mudanças no visual, como o spoiler integrado ao para-choque, a diferença em relação à versão normal aparece quando se pisa no acelerador(foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS)
Embora tenha algumas mudanças no visual, como o spoiler integrado ao para-choque, a diferença em relação à versão normal aparece quando se pisa no acelerador (foto: Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS)
Para tentar turbinar as vendas do Fluence, a Renault levou a expressão ao pé da letra, criando a versão esportiva GT, que tem motor 2.0 16V turbo de 180cv. Dada a importância da missão, a marca francesa deixou a preparação do carro a cargo da sua divisão Sport Technologies, que se destaca na Europa pela excelência técnica na transferência de tecnologia de carros de competição para os modelos de rua. Trata-se do primeiro veículo com esse selo vendido no Brasil. O Fluence GT, que foi um dos destaques do Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro do ano passado, chega para encarar Peugeot 408 Griffe THP e VW Jetta Highline 2.0 Turbo DSG.

 

Clique aqui e veja mais fotos do Renault Fluence GT!

 

ESTILO A roupagem esportiva externa e interna foi concebida pela equipe do Renault Design América Latina (RDAL), que é o primeiro estúdio de design da marca francesa no continente americano. Por fora, a versão apimentada difere da “normal” pelo spoiler dianteiro integrado ao para-choque, logo abaixo da tomada de ar; faróis de neblina com moldura circular cromada; faróis de xênon, o defletor de ar incorporado à tampa traseira; escapamento cromado; extrator de ar na cor preta; friso cromado sobre a placa; rodas de cinco raios e 17 polegadas (que têm partes pintadas de preto e que deixam à mostra parte do disco e das pinças de freio); e o selo que dá legitimidade esportiva ao sedã: a inscrição GT Reanult Sport, que fica abaixo da lanterna do lado direito.

POR DENTRO As mudanças internas incluem um exclusivo conjunto de instrumentos que, como convém a um bom esportivo, traz em destaque do lado esquerdo o conta-giros (analógico) e do lado direito velocímetro e marcadores do nível de combustível e da temperatura do líquido de arrefecimento do motor, todos digitais. Para os motoristas que gostam de dirigir de forma econômica, há indicadores do momento de trocar as marchas dentro do conta-giros. Mas o símbolo da “alavanquinha” é pequeno e obriga o condutor a desviar a atenção do trânsito. O mostrador do tanque é pouco preciso, pois as barrinhas que mostram a quantidade são muito grandes, o que obriga o motorista a ficar ligado na autonomia dada pelo computador de bordo para não ficar sem gasolina.

CONFORTO Devido à generosa distância entre-eixos (de 2,70m), o espaço interno do Fluence é suficiente para acomodar com conforto cinco pessoas. Por outro lado, as que têm mais de 1,80m são incomodadas pela pouca altura do teto no banco traseiro. Porta-malas tem capacidade familiar. O pacote esportivo interno inclui bancos com costura vermelha, que apoiam bem o corpo e as pernas; pedaleiras em alumínio; e as soleiras das portas com a inscrição Renault Sport. Entre os itens de conforto, destacam-se a chave do tipo cartão, que basta estar “por perto” para que o motorista acione o motor por meio do botão start/stop no painel e que trava e destrava a porta à medida que ele se aproxima ou se afasta do carro; o eficiente sistema de navegação, com tela de fácil visualização; e a qualidade do sistema de áudio (que tem Bluetooth e conexões USB/iPod e auxiliar).
Banco traseiro tem cinto de três pontos e apoios de cabeça para todos
Banco traseiro tem cinto de três pontos e apoios de cabeça para todos


MANDANDO VER Quem aprecia um sedã, mas não quer fica naquele zero a zero típico de um carro dessa categoria, vai curtir muito o Fluence GT. Graças ao turbo (que é compacto e de última geração), quase 80% da força do motor 2.0 16V já aparece aos 1.500rpm. Ou seja, o motorista já sente o fôlego na arrancada, sendo que o torque máximo chega logo aos 2.250rpm. Em qualquer situação, a resposta ao comando do acelerador é imediata. Contribuem bastante para a boa performance os engates macios e precisos e o bom escalonamento do câmbio manual de seis marchas, que casou perfeitamente com esse motor. A suspensão também acompanha o ritmo esportivo, segurando bem o sedã, mesmo nas curvas mais fechadas e de piso irregular, sem sacrificar demais o conforto. A direção está bem calibrada, proporcionando leveza nas manobras e firmeza em velocidades elevadas.

SEGURANÇA Também é digno de elogio o nível de segurança do GT. A começar pelos três apoios de cabeça e cintos de três pontos no banco traseiro, passando pela regulagem automática de altura dos fachos dos faróis. Se o motorista errar numa curva, ele é ajudado pelos controles de tração e estabilidade e pelo freio ABS. Na segurança passiva, o pacote engloba seis airbags (frontais, laterais e de cortina). Para completar, os sensores de estacionamento evitam problemas nas manobras em marcha a ré, pois a visibilidade traseira não é das melhores e o comprimento exagerado (4,64m) o torna meio desajeitado.

 

AVALIAÇÃO TÉCNICA
ACABAMENTO DA CARROCERIA
A pintura tem bom acabamento. A tampa do porta-malas está descentralizada e desnivelada. As portas do lado esquerdo têm montagem razoável, mas as do lado direito estão desniveladas entre si e a carroceria. As folgas fixas estão bem diferentes entre os dois lados. O capô está desalinhado em relação ao para-choque dianteiro, que tem folga fixa bem diferente na união com a extremidade do para-lama direito.
REGULAR

VÃO DO MOTOR
O resultado do isolamento acústico em relação ao habitáculo é bom. O motor de quatro cilindros turbo e os seus componentes externos preenchem totalmente o compartimento, limitando bastante o acesso à manutenção. O capô tem bom ângulo de abertura e, quando aberto, é sustentado por vareta manual. Os itens de verificação permanente têm fácil identificação e acesso.
REGULAR

ALTURA DO SOLO
Com 430 quilos de carga útil, o carro raspa a frente em saídas de garagem com desnível e a zona central do chassi ao transpor quebra-molas mais salientes e curtos. Toda a parte inferior do conjunto motopropulsor (motor e câmbio) tem proteção por chapa em aço de boa espessura.
REGULAR

CLIMATIZAÇÃO
Sistema é do tipo automático digital e tem opção de regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro. A caixa de ar tem oito velocidades e tecla específica para uso soft e fast. Para os passageiros de trás, há dois pequenos difusores de ar (instalados no console central), que apresentaram boa vazão. O nível de ruídos de funcionamento é satisfatório. Está bem vedado.
POSITIVO

FREIOS
O pedal tem ótima sensibilidade e relação. Os conjuntos dianteiro e traseiro estão bem dimensionados para a massa do veículo e o rendimento do motor. Apresentaram boa desaceleração, com reações uniformes nos dois eixos e manutenção da trajetória. O sistema ABS tem boa calibração. O freio de estacionamento atuou normalmente. Depois de uso esportivo severo em longa descida sinuosa, a resistência térmica foi positiva.
POSITIVO

CÂMBIO
Em sexta marcha, a 110km/h, o motor gira suave a 2.300rpm. As relações de marchas/diferencial atendem bem a proposta desta versão com motor potenciado. As trocas de marchas são pouquíssimas, graças ao turbo e a ampla curva de torque do motor. A qualidade de engate é boa em precisão, maciez, curso da alavanca e pega no pomo. O nível de ruído de funcionamento do trambulador é baixo.
POSITIVO

MOTOR
Ele proporciona uma excelente dirigibilidade. A calibragem do turbo está bem definida, com entrada suave, bem progressiva e ótima resposta. No trânsito urbano, ele é muito ágil e tem boa fuidez, sendo bastante rápido, dinâmico e seguro em rodovias. Com o veículo carregado e ar-condicionado ligado, a perda no rendimento é mínima.

Motor 2.0 turbo tem bom fôlego em qualquer situação
Motor 2.0 turbo tem bom fôlego em qualquer situação

POSITIVO

VEDAÇÃO
Boa contra água.
POSITIVO

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS
O efeito aerodinâmico inicia-se a 100km/h e é crescente com a velocidade. Ao trafegar sobre piso de paralelepípedo, terra e asfalto ruim surgem vários ruídos no habitáculo.
NEGATIVO

SUSPENSÃO
A relação entre conforto e handling está muito bem elaborada e definida na calibragem das suspensões, geometria e pneus homologados (aro 17 da série 55). O conforto de marcha é bem razoável para um automóvel esportivo, mas perde bastante com carga máxima e os pneus calibrados para essa condição. A estabilidade surpreende pela precisão e rapidez com que contorna curvas de raios variados com mínima inclinação da carroceria. No limite da aderência lateral e estabilidade direcional, os controles eletrônicos de tração e estabilidade atuaram com precisão.
REGULAR

DIREÇÃO
O volante tem boa pega e a coluna de direção, ajuste manual em distância e altura, ambos com bom curso. A assistência é elétrica e variável com a velocidade do veículo. No uso urbano, ela é bem confortável, leve e ágil; e em estradas, firme e com boas reações, o que traz segurança nas várias situações avaliadas. A velocidade do efeito retorno agrada e o diâmetro de giro é bom. A precisão em reta e curvas é muito boa.
POSITIVO

ILUMINAÇÃO
O quadro de instrumentos tem iluminação permanente e boa visualização. A identificação dos interruptores instalados nos painéis de porta é fácil. O sistema tem sensor crepuscular. No teto há um plafonier na dianteira com lanterna e dois spots fixos integrados, e no centro, o mesmo conjunto. O resultado para a iluminação da área do habitáculo é positivo. Os faróis apresentaram boa eficiência e têm xênon no baixo e duplo refletor com lâmpadas halógenas para o facho alto, e os auxiliares estão embutidos no para-choque. A regulagem de altura em função da carga transportada é automática e há esguichos para lavar as lentes. As luzes de cortesia estão presentes nos para-sóis, porta-luvas, porta-malas e base inferior das portas dianteiras.
POSITIVO

LIMPADOR DE PARA-BRISA
Tem sensor de chuva. As palhetas apresentaram boa qualidade e os (quatro) esguichos, boa vazão. A área varrida no para-brisa é satisfatória. O acesso ao reservatório de água (instalado dentro do vão do motor) é fácil.
POSITIVO

ESTEPE/MACACO
A operação de troca é normal, mas ao utilizar o estepe (roda em aço e pneu Pirelli 205/65R15-94H, diferente dos de uso normal, que são Continental 205/55R17-91V), deve-se instalar os parafusos específicos de roda que vem no kit. Essa solução de pneu reserva diferente dos de uso não é funcional no Brasil, além de alterar o comportamento dinâmico do veículo, o que incomoda em viagem. O estepe fica no assoalho do porta-malas. Falta porca autoadaptadora antifurto.
REGULAR

ALARME
A chave de ignição foi trocada por um cartão, que pode ser inserido no console ou permanecer no bolso do condutor, pois o sistema reconhece a sua proximidade e libera o botão de partida start/stop. O alarme tem abertura e fechamento dos vidros das quatro portas por um toque, com dispositivo antiesmagamento. O sistema tem proteção contra a abertura forçada das partes móveis, mas falta aquela dentro do habitáculo contra invasão pela quebra dos vidros.
REGULAR

VOLUME DO PORTA-MALAS
O declarado é 530 litros, e o encontrado foi 480 litros, com o banco traseiro na posição normal e triângulo de segurança dentro do vão. Mas a capacidade é prejudicada pelo mecanismo (com largas curvaturas) de sustentação da tampa, que invadem as áreas laterais no porta-malas.

(*) Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan.

www.danieltecnodan.wordpress.com

FICHA TÉCNICA
MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, turbo (“twin scroll”), 1.998cm³ de cilindrada, a gasolina, que desenvolve 180cv de potência a 5.500rpm e 30,6kgfm de torque a 2.250rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual de seis velocidades

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira independente, do tipo McPherson, com braço inferior triangular e barra estabilizadora; e traseira com eixo soldado em H, de deformação programada e barra estabilizadora / de liga leve de 17 polegadas/ 205/55 R17
Rodas de 17 polegadas têm desenho esportivo e pintura na cor preta
Rodas de 17 polegadas têm desenho esportivo e pintura na cor preta


DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica variável

FREIOS
A disco nas quatro rodas, sendo ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com sistema ABS, acompanhado de auxílio de frenagem de urgência (AFU) e distribuição eletrônica da força de frenagem (EBD)

CAPACIDADES
Do tanque, 60 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 430 quilos

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE
Aberturas elétricas do bocal do tanque e do porta-malas, ar-condicionado de duas zonas, bancos esportivos, chave do tipo cartão, computador de bordo, direção elétrica, teto solar elétrico, coluna de direção com regulagem de altura e distância, airbags frontais, laterais e de cortina; alarme, controles de estabilidade e tração, regulagem automática de altura dos fachos dos faróis, freios ABS, sensores de chuva, crepuscular e de estacionamento traseiro; CD player com Bluetooth, comando na coluna de direção e conexões USB, iPod e auxiliar.

OPCIONAIS
Não tem.

 

Notas (0 a 10)
Desempenho 9
Espaço interno 8
Porta-malas 8
Suspensão/direção 9
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 8
Segurança 9
Estilo 8
Consumo 8
Tecnologia 9
Acabamento 9
Custo/benefício 8

Na traseira, defletor de ar incorporado à tampa do porta-malas e escapes cromados
Na traseira, defletor de ar incorporado à tampa do porta-malas e escapes cromados
Quanto custa
O Renault Fuence GT é vendido com um único pacote de equipamentos (sem opcionais), por R$ 80.540.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade