Toyota Etios XLS 1.5 - Bom de andar

Compacto da marca japonesa tem estilo sóbrio, mas convence pela eficiência do motor e câmbio. Faltam itens básicos de segurança e acabamento precisa evoluir

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 02/02/2013 19:03 / atualizado em 03/02/2013 10:16 Enio Greco /Estado de Minas

Com três barras cromadas, a grade dianteira lembra o formato de uma barca - Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS Com três barras cromadas, a grade dianteira lembra o formato de uma barca
A Toyota entrou no concorrido segmento de hatches compactos com o seu discreto Etios, vendido com motores 1.3 e 1.5, ambos flex. O carro não chama tanta atenção pelo estilo, já que tem desenho convencional e bem comportado, mas traz o peso da marca japonesa, sempre associada a qualidade e durabilidade, além de atrativos como um eficiente conjunto mecânico e espaço que atende. Testamos a versão topo de linha, a XLS 1.5, que peca por não ter alguns itens básicos, como o terceiro apoio de cabeça no banco traseiro e o computador de bordo. Mas é um carro equilibrado e bom de dirigir.

 

 Clique aqui e veja mais fotos do Toyota Etios XLS 1.5!

 

 

DESIGN Estilo nunca foi o ponto forte dos modelos Toyota e o Etios não foge à regra. O hatch tem desenho simples, desprovido de ousadia, com linhas que reforçam a sobriedade. Na dianteira, destaque para a grade de três barras cromadas paralelas, que lembra o formato de uma barca. E encaixados nas extremidades dela os faróis com ponta triangular. Na parte inferior do para-choque, uma abertura com barras mais finas, tendo de cada lado os faróis de neblina. O detalhe é que o para-choque tem uma aba que raspa em entradas e saídas de rampas.
O para-brisa inclinado se funde com o teto, que tem fendas paralelas que parecem mais um recurso estético do que aerodinâmico. As laterais são limpas, sem frisos, e trazem apenas um vinco que marca a linha de cintura elevada. A traseira é mais chapada, com lanternas verticais largas e um friso cromado na tampa do porta-malas. A versão traz de série um defletor de ar instalado na parte superior do vidro traseiro. Detalhe negativo é o dispositivo de abertura da tampa do porta-malas, que apesar de ser emborrachado não é muito prático.

ESPAÇO Para um hatch compacto, o Toyota Etios tem bom espaço interno, mas com uma ressalva: o porta-malas poderia ser um pouco maior. E não tem iluminação. Para motorista e passageiros o espaço atende bem, até mesmo para quem senta no banco traseiro, onde o assoalho é praticamente plano, ampliando a área para as pernas. Porém, ali faltam o apoio de cabeça central e o cinto de segurança de tres pontos. Os bancos dianteiros também não têm ajuste de altura nem lombar, mas contam com abas laterais que mantêm o corpo firme. A coluna de direção só pode ser ajustada em altura, porém tem boa pega. 

Faltam apoio de cabeça e cinto de três pontos para quem senta no meio - Faltam apoio de cabeça e cinto de três pontos para quem senta no meio


ACABAMENTO  Os materiais usados no acabamento interno parecem ser de boa qualidade, com plásticos de padronagem diferente no painel, que tem montagem benfeita. Porém, a Toyota pecou ao deixar algumas cabeças de parafusos aparentes no console e em outras partes, em uma demonstração de descuido desnecessário. O tecido que reveste os bancos é de boa qualidade e favorece a transpiração e ventilação. Os instrumentos situados no centro do painel não são a melhor opção, pois dificulta a visualização. É no mínimo estranho.
A localização central do painel de instrumentos dificulta a visualização - A localização central do painel de instrumentos dificulta a visualização
E mais estranho ainda é constatar que a versão topo não tem computador de bordo, os faróis não apagam quando se desliga o carro e as portas só destravam individualmente. Outro detalhe fora do convencional é que as saídas de ar no painel ficaram concentradas no lado direito. Os comandos elétricos dos vidros (o do motorista não tem um toque) estão bem posicionados e o dispositivo para a abertura do capô lembra o saudoso afogador. Os retrovisores externos têm regulagem apenas manual. O da esquerda está próximo ao motorista, mas a regulagem do direito exige diversas tentativas.

 

MECÂNICA Um dos principais atrativos do Toyota Etios é sem dúvida o seu conjunto mecânico. O motor 1.5 16V flex é eficiente, proporcionando boas arrancadas e retomadas de velocidade, com respostas rápidas tanto no trânsito urbano quanto na cidade. O câmbio manual de cinco marchas, com bom escalonamento e engates macios e precisos, ajuda no bom desempenho. Apesar de o carro não ter computador de bordo, é possível perceber que o consumo de combustível é relativamente baixo. As suspensões receberam um ajuste equilibrado, favorecendo o conforto e a estabilidade. O compacto contorna bem as curvas e não transfere tanto as irregularidades do solo.

BUZINA CHATA É um carro gostoso de dirigir, na mão, que deixa o motorista com vontade de esticar alguns quilômetros a mais. A direção com assistência elétrica também contribui para a boa dirigibilidade, com bom diâmetro de giro, porém em baixas velocidades o efeito-retorno é ruim, obrigando o motorista a voltar o volante em manobras. O sistema de freios com ABS e distribuidor eletrônico de frenagem (EBD) atuou de forma eficiente, sem sustos. Um detalhe incômodo no carro é o aviso sonoro estridente emitido todas vez que se abrem ou fecham as portas por meio do alarme da chave. A buzina toca alto duas vezes e certamente incomoda quem está por perto, principalmente em ambientes silenciosos. Outro “esquecimento”: o aparelho de som permite regular o volume traseiro (“fading”). Mas não existem alto-falantes lá atrás...

VEREDITO Em resumo, o Toyota Etios XLS 1.5 é um modelo interessante que atrai pelo prestígio da marca e pela boa qualidade de construção e dos componentes usados. Mas o preço é salgado para o pacote de itens de série oferecido. 

 

Com o hatch na mira

Linha de cintura alta e para-brisa que se funde com o teto - Linha de cintura alta e para-brisa que se funde com o teto
Avaliação técnica
ACABAMENTO DA CARROCERIA

As quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria, além de folgas fixas diferentes entre os dois lados. A tampa traseira está descentralizada. As extremidades superiores dos para-lamas dianteiros estão desalinhados em relação às bases das colunas A. O capô tem montagem satisfatória e a qualidade final da pintura é boa. REGULAR

VÃO DO MOTOR

Quando aberto, o capô é sustentado por vareta manual, com bom ângulo de abertura. O acesso à manutenção é satisfatório e os itens de verificação constante têm fácil identificação e manuseio. O resultado do isolamento acústico (interno do capô e painel de fogo) em relação ao habitáculo é discreto quando o motor está em alta rotação. REGULAR

ALTURA DO SOLO

Não tem de série proteção por chapa em aço para toda a zona do motopropulsor. A aba inferior do para-choque raspa dianteiro em saídas de garagem com desnível e na transposição de quebra-molas mais salientes. A situação piora quando o veículo está com carga útil (465 quilos), raspando também a zona central do chassi. REGULAR

CLIMATIZAÇÃO

O sistema tem comando manual e quatro difusores de ar no painel que têm formato circular e giram 360°. A caixa de ar tem quatro velocidades e quatro opções de direcionamento do fluxo. O conjunto apresentou um bom funcionamento, com boa vazão de ar, nível de ruídos de funcionamento razoável, bem vedado e pouco tempo para dar a sensação de conforto no habitáculo. POSITIVO

FREIOS

O pedal de freio tem boa sensibilidade e relação. O ABS está bem calibrado e atuou com eficiência. A desaceleração, com manutenção da trajetória mesmo em frenagem de emergência e com o veículo em velocidade, é boa. O freio de estacionamento atuou normalmente. POSITIVO

CÂMBIO

Manual, com cinco marchas à frente. As trocas são poucas, o que favorece o conforto. A embreagem é macia e tem boa progressividade. As relações de marchas/diferencial estão muito bem definidas para o peso do automóvel e a curva do motor. Em 3ª marcha a 60km/h, a rotação correspondente do motor é a de torque máximo (3.100rpm), o mesmo ocorrendo em 5ª marcha a 110km/h. A qualidade de engate é ótima em precisão, maciez, curso e posicionamento da alavanca e pega no pomo, além de o trambulador ser silencioso. POSITIVO

MOTOR

A performance é boa e proporciona uma dirigibilidade agradável e segura no uso misto. Ele vai bem em baixo regime de rotação, apesar das 16V. As retomadas de velocidade e aceleração são eficientes. Com o veículo carregado e o ar-condicionado ligado, a perda no rendimento é bem sentida, mas ainda satisfaz bem. POSITIVO
Motor 1.5 16V tem bom desempenho mesmo em baixas rotações - Motor 1.5 16V tem bom desempenho mesmo em baixas rotações


VEDAÇÃO

Boa contra água e poeira. POSITIVO

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS

Os ruídos no habitáculo surgem principalmente no painel quando o carro roda sobre piso de paralelepípedo, terra e asfalto mal conservado. NEGATIVO

SUSPENSÃO

O conforto de marcha agrada com apenas o condutor devido a boa leitura que ela faz do solo, com baixo nível de transferência para dentro. Com carga útil máxima (465 quilos), a perda é pequena e ela mantém um bom nível. A estabilidade é boa no uso em geral para a proposta de uso desse veículo. A precisão na curva é satisfatória, com pouca inclinação da carroceria. POSITIVO

DIREÇÃO

A coluna de direção tem ajuste de altura, com curso razoável, e o volante, boa pega. O diâmetro de giro é bom, assim como a velocidade do efeito retorno. A assistência é elétrica, com cargas bem definidas para o uso na cidade e em rodovias. A posição de dirigir para os condutores de maior estatura não é a ideal, pois o banco não tem regulagem de altura e está fixo numa posição mais alta. A precisão na reta e em curvas é satisfatória, inclusive com o veículo carregado. As suas reações são uniformes, com boa sensibilidade e rapidez de resposta razoável. O nível de ruídos do conjunto em curvas sobre piso irregular é baixo. POSITIVO

ILUMINAÇÃO

O sistema não tem nenhuma luz de cortesia. O grupo óptico dianteiro tem construção com refletor simples e conta com o auxílio de faróis de neblina (embutidos no para-choque). O resultado final em iluminação é normal. Na zona do teto, há uma lanterna pequena junto ao retrovisor que proporciona claridade discreta para a área do habitáculo. Não tem ajuste elétrico de altura dos fachos em função da carga transportada para essa versão XLS. O quadro de instrumentos está instalado no centro, sobre o painel principal, e a sua visualização é apenas aceitável. REGULAR

ESTEPE/MACACO

O estepe tem roda de aço, mas o pneu é igual aos de uso. Ele está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho. Ao seu lado está a chave de rodas e a alavanca de acionamento do macaco, que está instalado sob o banco do condutor. Já o triângulo de segurança fica sob o banco do passageiro. A operação de troca é normal, auxiliada por quatro prisioneiros fixos por cubo, que proporcionam um melhor apoio e centralização da roda. POSITIVO

LIMPADOR DE PARA-BRISA

São três esguichos do tipo jato no pára-brisa e um do tipo spray no vidro traseiro, todos com boa vazão que quando acionados ativam automaticamente o sistema de varredura. A palheta do pára-brisa é única, com sistema pantográfico acoplado no braço, mesmo assim a área limpa junto à coluna A do lado do condutor é limitada, sendo satisfatória no vidro traseiro. Não tem sensor de chuva e é fácil o acesso ao reservatório de água instalado dentro do vão motor. REGULAR
  
FERRAMENTAS

O veículo tem uma chave de fenda combinada com Philips. POSITIVO

ALARME

A chave de ignição é codificada. Existe proteção perimétrica das partes móveis, mas falta a volumétrica, contra invasão pela quebra dos vidros. Ao dar comando para travar as portas, os vidros não sobem automaticamente. A função um toque não existe nem para a porta do condutor. NEGATIVO

VOLUME DO PORTA-MALAS

O declarado é 270 litros, o mesmo encontrado com o banco traseiro na posição normal, tampa do bagagito fechada e fechamento normal da tampa traseira.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan
www.danieltecnodan.wordpress.com


FICHA TÉCNICA
MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.496cm³ de cilindrada, que desenvolve 92cv (gasolina)/96,5cv (etanol) de potência a 5.600rpm e torque máximo de 13,9kgfm a 3.850rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica progressiva

FREIOS
Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira, eixo de torção com barra estabilizadora/liga leve/5,5 x15 polegadas/185/60 R15


CAPACIDADES
Tanque de combustível de 45 litros; carga útil (não disponível)


EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE
Aerofólio traseiro, airbag frontal duplo, alarme de advertência de portas abertas, alarme de advertência dos cintos de segurança (motorista e passageiro), ar-condicionado com filtro antipólen, banco traseiro rebatível, chave com comando de abertura e fechamento das portas, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador e limitador de força, console central com dois porta-copos dianteiros e um traseiro, desembaçador do vidro traseiro, direção eletroassistida progressiva, faróis de neblina dianteiros, freios ABS com EBD, imobilizador eletrônico do motor, limpador e lavador do vidro traseiro, luz auxiliar de freio (brake light), para-choques na cor da carroceria, rádio CD player com função MP3 e entrada USB, rodas de liga leve aro 15 polegadas, travas elétricas, vidros elétricos.

OPCIONAIS
Não tem.

 

Notas (0 a 10)
Desempenho 8
Espaço interno 7
Porta-malas 7
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 7
Itens de série/opcionais 6
Segurança 8
Estilo 5
Tecnologia 6
Acabamento 7
Custo/benefício 7

Quanto custa
O Toyota Etios XLS 1.5 é vendido por R$ 42.790. 

 

 

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação