VW Fox Bluemotion 1.0 - Quando um a menos é mais

Modelo compacto da marca alemã traz como principal novidade o moderno motor de três cilindros, o mesmo que vai equipar o up!, substituto do veterano Gol geração IV

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/06/2013 15:50 / atualizado em 29/06/2013 15:59 Enio Greco /Estado de Minas
Na dianteira do hatch, a grade ganhou desenho mais aerodinâmico - Ricardio Hirae/Volkswagen/Divulgação Na dianteira do hatch, a grade ganhou desenho mais aerodinâmico
Depois de muito insistir com seus ultrapassados motores 1.0 e 1.6 de quatro cilindros, a Volkswagen surpreende e lança no mercado nacional um produto realmente moderno. Trata-se do motor EA211, um três cilindros 1.0 flex mais leve, eficiente e que agrada tanto no desempenho quanto na economia de combustível. Inicialmente, ele equipa o Fox BlueMotion, que traz ainda detalhes que favorecem a aerodinâmica, pneus “verdes” (de baixa resistência ao rolamento) e um pacote tecnológico interessante.

Para uma pessoa leiga pode parecer estranho um motor de três cilindros ser mais eficiente do que um de quatro. Mas é a pura verdade. Os engenheiros das montadoras trabalham pesado no sentido de desenvolver propulsores cada vez mais compactos e que apresentem eficiência energética para proporcionar melhores desempenho e consumo, associados a redução significativa das emissões. E foi exatamente o que a VW conseguiu fazer com o EA211. Desenvolvido e produzido na fábrica de São Carlos, no interior de São Paulo, o motor está sendo introduzido na família VW no Fox BlueMotion, mas certamente vai equipar outros modelos em breve, como o compacto up!. Depois a VW vai produzir na mesma fábrica o motor 1.4 turbo (que equipa o Audi A1), que deve substituir o 1.6.

Os pneus verdes, de baixa resistência ao rolamento, são de série - Ricardio Hirae/Volkswagen/Divulgação Os pneus verdes, de baixa resistência ao rolamento, são de série
E o que traz de tão inovador esse motor? Além de ter apenas três cilindros, trata-se de um flex mais compacto e leve, já que tem o bloco feito de alumínio, virabrequim e bielas mais leves, resultando em uma redução de 24 quilos em relação ao de quatro cilindros. O comando de válvulas é variável na admissão e o coletor de escape é integrado ao cabeçote. São quatro válvulas por cilindro e o motor conta com duplo circuito de refrigeração, que garante melhor eficiência térmica. O curso e o diâmetro dos cilindros foram aumentados e a fixação das velas na posição central contribui para a otimização da queima da mistura ar/combustível, evitando o tão comum problema da pré-ignição ou batida de pino.

A Volkswagen optou por não substituir a correia dentada por corrente e garante que fez a melhor opção. Com o uso de polias de acionamento dos eixos de comando de válvulas com desenho trioval, a montadora afirma que reduz o atrito e a vibração, fazendo com que a correia tenha durabilidade de 120 mil quilômetros, devendo ser substituída então juntamente com o tensionador. O cárter tem tampa removível de ferro e dispensa o uso de protetor. O motor conta ainda com o sistema de partida a frio que dispensa o tanquinho auxiliar (como o do Polo E-Flex), aquecendo o combustível em câmaras ao lado das válvulas injetoras, sendo acionado em temperatura ambiente abaixo de 17,5 graus. A VW informa que o novo EA211 tem durabilidade de 400 mil quilômetros, comprovada nos testes realizados em condições adversas.

O EA211, desenvolvido e produzido na fábrica da VW em São Carlos, é construído com materiais mais leves, resultando em uma redução de peso de 24 quilos - Ricardio Hirae/Volkswagen/Divulgação O EA211, desenvolvido e produzido na fábrica da VW em São Carlos, é construído com materiais mais leves, resultando em uma redução de peso de 24 quilos
EFICIENTE
Com tudo isso, o três cilindros da VW desenvolve 75cv com gasolina e 82cv com etanol a 6.250rpm, e torque de 9,7kgfm (g) e 10,4kgfm (e) entre 3.000rpm e 3.800rpm. É o mais potente do segmento. A taxa de compressão é de 11,5:1. Mas o motor não é o único fator que torna o Fox BlueMotion uma opção interessante. Seguindo a linha de outras versões eficientes da família VW essa também tem grades frontais com desenho que favorecem a aerodinâmica, direção eletro-hidráulica e pneus 175/70 R14 de baixa resistência ao rolamento, chamados de “pneus verdes”. Eles recebem uma calibragem mais alta em relação aos pneus convencionais (36/34 libras), exatamente para diminuir a resistência.

Visor no painel indica qual a marcha que deve ser engatada - Ricardio Hirae/Volkswagen/Divulgação Visor no painel indica qual a marcha que deve ser engatada
No painel, o Fox BlueMotion conta com indicadores instantâneo de consumo e de melhor opção de marcha a ser engatada. São instrumentos interessantes que ajudam o motorista a alcançar uma condução econômica. Basta dirigir o compacto para perceber que o carro mudou muito em relação ao equipado com motor de quatro cilindros. O desempenho é bem melhor, com respostas mais rápidas em arrancadas e retomadas de velocidade, tornando o modelo mais ágil na cidade e na estrada. Dirigimos o carro nas proximidades de Campinas, com equipamento apropriado para fazer a medição de consumo. O tanque estava abastecido com gasolina. Na cidade, à velocidade média de 38km/h, o consumo foi de 15,9km/l. Já na estrada foi de 21,1km/l, com média de 84km/h.

O modelo traz de série direção eletro-hidráulica, air bags frontais, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), computador de bordo e banco do motorista com regulagem de altura, entre outros. Os itens opcionais são ar-condicionado, sensor de estacionamento, rádio integrado, volante muitifuncional e pacote Eco Comfort. O Fox BlueMotion já está à venda nas carrocerias duas e quatro portas e as demais versões do hatch continuam sendo oferecidas, exceto a 1.6 BlueMotion, que sai de linha.

QUANTO CUSTA?
O VW Fox BlueMotion 1.0 duas portas tem preços que vão de R$ 32.590 a 38.238. Já o quatro portas custa de R$ 34.090 a R$ 43.464

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação