COMPARATIVO

Renault Fluence GT x Citroën C4 Lounge THP - A briga dos franceses turbinados

Os dois entraram na era dos sedãs turbinados, oferecem conforto para toda a família e têm uma condução prazerosa e esportiva. Qual deles é merecedor de ocupar uma vaga em sua garagem? Acompanhe o teste comparativo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 13/02/2014 16:49 / atualizado em 14/02/2014 13:16 Marcello Oliveira /Portal Vrum , Thiago Ventura /Portal Vrum

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS
Antigamente, a definição de um sedã era tipicamente de um carro familiar. Em nenhuma hipótese seria confundido com um carro esportivo e o alvo no mercado seriam os pais e mães de família. Este comparativo é a prova de que tudo mudou e que um carro de propostas familiares também pode ter um temperamento esportivo, sem perder o conforto e o estilo executivo, características universais em um sedã.

 

Veja mais fotos do C4 Lounge e Fluence GT

 

Renault Fluence GT e Citroën C4 Lounge THP Exclusive são dois representantes deste segmento. De origem francesa, os sedãs se destacam pelo conforto, praticidade e pelo excelente desempenho do motor turbo. O C4 tenta disfarçar sua vocação esportiva, mesmo com números de dar inveja a qualquer carro médio que se diz esportivo. Já o Fluence desenvolvido pela Renault Sports, a divisão esportiva da montadora, escancara a esportividade, não só pela roupagem, mas pelo ótimo desempenho do motor 2.0 turbo com torque descomunal.
Thiago Ventura/EM/D.A PRESS
Thiago Ventura/EM/D.A PRESS


Motor
O propulsor 2.0 16V turbo do Fluence GT, que rende 180 cv, é puro prazer, ainda mais acoplado ao câmbio manual de seis marchas de engates precisos, um legítimo esportivo. O bom desse motor é que 80% do torque está disponível aos 1.500 rpm, sendo o máximo (30,6 kgfm) aos 2.250 rpm, ou seja, já no arranque, o motorista sente a força do propulsor e as retomadas são ligeiras.

A versão testada do Citroën conta com o moderno bloco fruto de uma parceria do grupo PSA com a BMW. O THP 1.6 turbo a gasolina rende 165 cv de potência e mostra seu vigor tanto na cidade quanto na estrada, pois o os 24,5 kgfm de torque ficão inteiramente ao seu dispor aos 1.450 rpm. Na estrada, supera fácil os 200 km/h e deixa fácil motores 2.0 convencionais comendo poeira. Nenhum dos dois franceses 'gritam' como um esportivo nato e o 'espirro' do turbo é quase imperceptível.

C4 Lounge 8,0
Fluence GT 9,5



Câmbio
O Renault oferece apenas a opção do câmbio manual de seis marchas. Não há ressalvas para o sistema, que permite ao condutor sentir o carro na mão, algo importantíssimo para um esportivo. Há o sistema GSI (Gear Shift Indicator) que avisa o motorista o momento certo de trocar de marcha. Porém, quem escolhe um sedã de R$ 80 mil geralmente quer o conforto de um câmbio automático ou automatizado. Poderia ter essa opção também.

A Citroën fez o caminho inverso e disponibiliza o C4 Lounge 1.6 turbo apenas com o câmbio automático de seis velocidades. Há opção de troca manual, mas nada que se compare com a esportiva da caixa verdadeiramente manual do Fluence. Em um declive, o sistema mantém o câmbio travado em marcha forte, inclusive em estradas, o que prejudica o consumo e gera um incômodo ruído.

C4 Lounge 7,0
Fluence GT 9,0

 

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS
 

 

Direção
Com assistência eletro hidráulica, a direção do C4 consegue manter melhor o equilíbrio entre conforto e rigidez, o que deixa a condução mais agradável sem fazer o motorista perder a sensibilidade. A coluna de direção em ambos tem ajuste de altura e distância.

 

O Fluence conta com assistência elétrica. Poupa energia do motor, mas às vezes passa a impressão de um joystick.

 

C4 Lounge 9,5
Fluence GT 9,0



Conforto e espaço interno
Folga para o motorista, para o passageiro, para quem vai atrás, folga para todos! Assim é o C4. O Renault também conquista famílias inteiras pelo bom espaço, mas o ambiente no C4 ainda é mais aconchegante e requintado. No caso do Renault, o ponto negativo é a altura. Como o carro é muito baixo, o embarque/desembarque pelas portas traseiras requer um certo contorcionismo para quem tem mais de 1,80m.

A chave-cartão do Fluence é uma tecnologia prática, útil e fácil de usar. Não é preciso tirá-la do bolso ou da bolsa para abrir as portas (ou porta-malas) e nem para dar a partida no motor. Todos os comandos estão ao alcance fácil do motorista e o excelente navegador Tom Tom integrado ao painel com uma tela de LCD multifunções é de manuseio descomplicado.

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS
Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS


No Citroën, a quantidade de botões no volante acaba confundindo o motorista e o distrai do trânsito em algumas situações. Ao ganhar intimidade com o carro, logo percebemos que os comandos do som estão estrategicamente localizados na direção, com direito a roleta seletiva de estações de rádio, faixas e volume do som. A chave também pode ficar oculta, mas não tão prática quanto o cartão do concorrente.

Por ser um esportivo assumido, o Fluence GT tem uma suspensão mais firme e a carroceria quase não rola em curvas. A rigidez não chega a prejudicar o conforto em ruas mal pavimentadas. O C4, que dispensa o rótulo esportivo, faz jus à categoria de sedã médio e a Citroën preferiu manter o conforto adotando uma suspensão mais mole. O rodar só não é mais confortável por causa das rodas de aro 17 calçadas com pneus de perfil baixo.

C4 Lounge 8,0
Fluence GT 7,5



Ergonomia
Ambos contam com ajustes de altura e profundidade da coluna de direção, mas achar a melhor posição para guiar é mais fácil no Lounge, especialmente pelos ajustes elétricos. No GT, por ser muito baixo, a tarefa fica mais complicada, independentemente da altura do motorista.

A ignição do C4 lounge fica à esquerda do volante. Leva um tempinho a mais para se acostumar. Já o Renault não tem controles de áudio no volante: ficam numa haste atrás da direção e também requer um pouco de prática.

C4 Lounge 9,0
Fluence GT 8,0


Chave cartão do Fluence GT é o maior charme! - Thiago Ventura/EM/D.A PRESS Chave cartão do Fluence GT é o maior charme!

 

Consumo
Os dois sedãs apresentam consumo na cidade compatível com a categoria. O 2.0 turbo da Renault cobra no posto de gasolina a conta dos seus 180 cv, mas apresentou um bom resultado. A grande surpresa do teste foi o desempenho do C4 Lounge na estrada. O motor turbo garante bom desempenho com baixa rotação acima dos 110 km/h e apresentou um excelente índice! Mas no trânsito urbano, ficou aquém do esperado.

C4 cidade: 6,8 km/l
C4 estrada: 14,0 km/l

Fluence Cidade: 8,0 km/l
Fluence estrada: Não aferido


Estilo
O visual esportivo fez muito bem ao Fluence. Para-choques dianteiros e traseiros mais agressivos, spoilers laterais e aerofólio rejuvenesceram o sedã, tirando um pouco a cara de carro de tio. Rodas de liga-leve de 17 polegadas com acabamento branco e preto têm desenho bonito. A versão também oferece faróis de xenon de série e só pode ser montada nas cores branco, preto e vermelho. O pacote faz com que o carro se destaque e chame bastante atenção onde anda.

No interior, os bancos dianteiros chamam atenção: são de couro com costura em vermelho e com o logo GT no encosto. Os assentos têm suporte lateral, semelhante aos carros de competição. O interior é basicamente preto, com detalhes em couro, costuras vermelhas no volante e manopla de câmbio. E claro, pedaleiras cromadas.

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS


O Citroën C4 Lounge ficou muito bonito, com design contemporâneo e linhas fluidas. No entanto, faltou uma opção esportiva como na rival. A THP Exclusive é a versão topo de linha, mas sem diferenças externas expressivas das outras opções, com exceção das belas rodas de liga-leve de 17”. O sedã oferece luzes diurnas de LED e faróis direcionais de xenon.

Se o C4 Lounge não empolga com visual esportivo, dá o troco com requinte. O interior é rico em detalhes, começando com o volante com diversos controles de mídia e do veículo. O console central é em resolvido e termina na tela multimídia, que não é touch, um grande porém. Há ainda uma firula interessante: o motorista pode escolher as cores do fundo dos instrumentos.


C4 Lounge 8,5
Fluence GT 8,0
Thiago Ventura/EM/D.A PRESS
Thiago Ventura/EM/D.A PRESS


Segurança
Os dois modelos apresentam ótimo pacote de equipamentos de segurança, com seis airbags (motorista, passageiro, laterais e de cortina), controles eletrônicos de estabilidade (ESP), tração e freios com ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD). Tanto C4 Lounge como Fluence GT possuem cintos de três pontos com pré-tensionadores e encostos de cabeça para todos os ocupantes, mas só sedã da Citröen oferece sistema IsoFix para cadeiras infantis.

Vidros e teto elétrico dos dois modelos têm o sistema One Touch com anti-esmagamento e as portas travam quando o veículo começa a andar. Os dois oferecem alarme de série, mas o C4 leva vantagem também em oferecer sensor de estacionamento, na dianteira e traseira e câmera de ré.

C4 Lounge 10,0
Fluence GT 9,0

 

Porta-malas

Além de comportar 80 litros a mais do que o compartimento de cargas do C4, o Fluence ainda conta com uma prática rede divisória que pode ser usada para transportar pequenos objetos. 

 

C4: 450 litros
Fluence: 530 litros


C4 Lounge 7,5
Fluence GT 10,0

 

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS
 

 

Acabamento
Os dois modelos apresentam bom nível de acabamento, requisito essencial no segmento dos sedãs-médios. Os plásticos utilizados são de qualidade e os bancos recebem bem os ocupantes. O C4 Lounge, ao final, fica com aspecto superior, tanto pelos materiais empregados quanto nos arremates bem feitos.

 

C4 Lounge 9,0
Fluence GT 8,5



Relação custo/benefício

Situados em faixa de preço similar, ambos são topo de linha e chamam atenção por onde passam. O GT é manual e o C4 automático. O modelo da Renault custa R$ 85.599 e o Citroën R$ 83.790, incluídos como opcionais faróis de xenon e teto solar elétrico. Um condutor purista vai adorar domar os 180 cv do GT com seis marchas na mão, prazer que o rival não oferece, mesmo no modo manual. Se quiser um legítimo esportivo, vá de Fluence GT. Mas em relação ao mercado, um modelo câmbio automático pode valer mais no bolso e na revenda.

C4 Lounge 8,0

Fluence GT 7,0


Resultado final:

 

C4 Lounge: 84,5
Fluence GT: 85,5



Renault Fluence GT

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS

 

FICHA TÉCNICA
MOTOR

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, turbo (“twin scroll”), 1.998cm³ de cilindrada, a gasolina, que desenvolve 180cv de potência a 5.500rpm e 30,6kgfm de torque a 2.250rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual de seis velocidades

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira independente, do tipo McPherson, com braço inferior triangular e barra estabilizadora; e traseira com eixo soldado em H, de deformação programada e barra estabilizadora / de liga leve de 17 polegadas/ 205/55 R17

 

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica variável

FREIOS
A disco nas quatro rodas, sendo ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com sistema ABS, acompanhado de auxílio de frenagem de urgência (AFU) e distribuição eletrônica da força de frenagem (EBD)

CAPACIDADES
Do tanque, 60 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 430 quilos

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE

Aberturas elétricas do bocal do tanque e do porta-malas, ar-condicionado de duas zonas, bancos esportivos, chave do tipo cartão, computador de bordo, direção elétrica, teto solar elétrico, coluna de direção com regulagem de altura e distância, airbags frontais, laterais e de cortina; alarme, controles de estabilidade e tração, regulagem automática de altura dos fachos dos faróis, freios ABS, sensores de chuva, crepuscular e de estacionamento traseiro; CD player com Bluetooth, comando na coluna de direção e conexões USB, iPod e auxiliar.

OPCIONAIS

Não tem.

Citroën C4 Lounge Exclusive THP

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS

 

FICHA TÉCNICA
MOTOR

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, turbo, 1.6, a gasolina, que desenvolve 165cv de potência a 6.000rpm e 24,5kgfm de torque a 1.450rpm

 

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio automático de seis marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, do tipo McPherson, barra estabilizadora; e traseira deformável e barra estabilizadora / de liga leve de 17 polegadas / 225/45 R17

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência eletro-hidráulica

FREIOS
A disco nas quatro rodas, sendo ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com sistema ABS, acompanhado de auxílio de frenagem de urgência (AFU) e distribuição eletrônica da força de frenagem (REF) e controles de estabilidade e de tração

CAPACIDADES
Do tanque, 60 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 410 quilos


EQUIPAMENTOS DE SÉRIE
Ar-condicionado de duas zonas, computador de bordo, teto solar, coluna de direção com regulagem de altura e distância, airbags frontais, laterais e de cortina; alarme, controles de estabilidade e tração, freios ABS, sensores de chuva, crepuscular e de estacionamento traseiro; CD player com Bluetooth, comando na coluna de direção e conexões USB, iPod e auxiliar, câmera de ré, navegador com tela colorida de 7 polegadas, sensor de ponto cego, entre muitos outros.

OPCIONAIS
Teto solar elétrico e faróis bixênon direcionais.

Thiago Ventura/EM/D.A PRESS


Veja mais fotos do C4 Lounge e Fluence GT

Tags: renault

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe