VOLKSWAGEN WHITE UP!

Em teste, Volkswagen up! se revela um pão-duro dos sonhos

O menor modelo da marca à venda no país é o mais seguro e o de mais baixo custo de reparação. Desempenho, estabilidade, prazer de dirigir, motor e consumo se destacam

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 30/03/2014 14:46 / atualizado em 30/03/2014 16:27 Paulo Eduardo /Estado de Minas

Leandro Couri/EM/D.A PRESS
O up! é o carro mais seguro do Brasil, com cinco estrelas na proteção aos ocupantes e quatro para crianças nos teste do LatinNCap. A carroceria é construída com aços de ultra e alta resistência e o carro inaugura a plataforma global PQ12. O up! destronou o C3 do primeiro posto de menor custo de reparação do país, segundo o Cesvi, instituto que faz esse estudo para as seguradoras antes de o carro chegar ao mercado.

 

Veja mais fotos do white up!

 

De dimensões reduzidas, o up! acomoda confortavelmente quatro adultos, apesar de o espaço apenas suficiente para as pernas no banco traseiro. Está homologado para cinco pessoas, mas essa possibilidade somente em percurso curto e criança porque é estreito. Testamos a versão topo de linha, que tem apenas um opcional.


As linhas são robustas como convém aos modelos de origem germânica e não inovam, mas agradam. A capacidade do porta-malas é coerente com as dimensões. Uma prateleira móvel divide o espaço de bagagem conforme as necessidades e forma uma plataforma reta quando o encosto do banco traseiro está rebatido.

CONFORTO Os bancos são envolventes e acomodam bem, apesar de não terem regulagem lombar. A visibilidade é boa, exceto a de 3/4 traseira pela largura da coluna C. É fácil o acesso aos bancos dianteiros e traseiro. O painel simples lembra o do Fusca e até o aro do volante é fino. Por isso, não passou pelo crivo da análise ergonômica (ver na página 2). A posição de dirigir é muito boa e encontrada facilmente, apesar de a coluna de direção ser regulável apenas em altura.

Três apoios de cabeça, mas conforto somente para dois ocupantes - Leandro Couri/EM/D.A PRESS Três apoios de cabeça, mas conforto somente para dois ocupantes


MOTOR É o 1.0 flex de três cilindros, que equipou primeiro o Fox. É incrível o desempenho. Nem parece os lerdos 1.0 de quatro cilindros tradicionais. Funciona melhor com etanol, pois os números de torque e potência são melhores (ver ficha técnica). A durabilidade prevista é de 400 mil quilômetros e a troca da correia dentada aos 120 mil quilômetros, sem levar em consideração serviço pesado.
Leandro Couri/EM/D.A PRESS


AO VOLANTE O melhor é dirigir o up! A paixão é imediata. Difícil não apreciar. As respostas ao acelerador surpreendem, principalmente de segunda e terceira marchas, mesmo com o ar-condicionado ligado. A quarta e a quinta são de economia. O engates são fáceis, rápidos e precisos. A direção com assistência elétrica tem boa calibragem, sendo leve em baixas velocidades e na medida certa nas mais elevadas. Impressiona o comportamento dinâmico. A carroceria praticamente nem inclina nas curvas de alta e de baixa. O senão da suspensão são os pisos irregulares. Por causa da distância entre-eixos curta, há transferência das imperfeições para o habitáculo. Os ocupantes do banco traseiro sentem mais. Não existe milagre, um carro alto e de dimensões reduzidas precisa de suspensão mais rígida.
O consumo registrado no computador de bordo com etanol variou de 9km/l a 10km/l na cidade e de 13km/l a 14km/l na estrada. Há indicador de troca de marcha para obter números ainda melhores. A garantia é de três anos para todo o carro.

PRECISA EVOLUIR O up! é um automóvel e tanto, mas nem tudo é perfeito. Os interruptores dos vidros elétricos não têm iluminação; o cinto do assento traseiro central é abdominal e apoio de cabeça lá apenas na versão testada, a topo de linha. E o encosto do banco traseiro é rebatível totalmente. Se fosse bipartido, seria possível levar bagagem e um ou dois ocupantes, o que torna o carro mais prático. As dimensões reduzidas fazem com que tenha apenas um concorrente (ver na página 2) e também com motor de três cilindros.
Volante fino e painel com aplique fazem menção ao Fusca - Leandro Couri/EM/D.A PRESS Volante fino e painel com aplique fazem menção ao Fusca


AVALIAÇÃO TÉCNICA
Acabamento da carroceria
A qualidade da pintura é boa. As portas do lado direito têm boa montagem, mas as do esquerdo têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria, além de a folga fixa da traseira esquerda estar maior do que nas outras portas. O capô tem boa montagem, mas a tampa traseira está descentralizada. Os faróis, lanternas, frisos, retrovisores, para-choques, pestanas dos vidros, etc. estão muito bem instalados. REGULAR

Vão do motor
O vão é muito pequeno e o motor, mesmo com três cilindros, o preenche totalmente, dificultando bastante o acesso à manutenção de vários componentes. O capô tem bom ângulo de abertura e é sustentado aberto por vareta manual. O vão tem aspecto organizado e limpo e os itens de verificação constante têm fácil acesso e manuseio. REGULAR

Altura do solo
Não ocorreram interferências com o solo, inclusive com carga máxima. POSITIVO

Climatização
É por comando manual. No painel, são dois difusores de ar nas laterais, que giram 360 graus, além de um difusor na parte superior do painel com aletas fixas direcionando o fluxo para o condutor e passageiro, mas não pode ser fechado individualmente, e tem bloqueio/desvio parcial da vazão no corpo do retrovisor e tela multimídia (opcional) fixada à sua frente. Funciona bem e proporciona conforto em baixo tempo, favorecido pela pequena área da cabine. A caixa de ar tem quatro velocidades e são quatro as opções de direcionamento do fluxo. POSITIVO

Freios
O pedal de freio não tem uma fina calibração em relação e sensibilidade. O ABS apresentou uma calibragem e resposta razoável, apesar do maior espaço percorrido até parar, e o ruído mais alto no seu funcionamento. Em frenagem de emergência, com o veículo em velocidade no asfalto seco, a desaceleração foi satisfatória e com boa manutenção da trajetória, seja carregado ou vazio. O freio de estacionamento atuou normalmente. REGULAR

Câmbio
A embreagem tem acionamento suave e boa progressividade. Em 3ª, a 60km/h, 4ª a 80km/h e 5ª a 100km/h o motor gira bem próximo da rotação de torque máximo, o que auxilia na dirigibilidade, em geral, seja com o ar-condicionado ligado ou com carga máxima. A qualidade de engate é ótima em precisão, maciez, curso da alavanca e pega no pomo, além do funcionamento silencioso do trambulador. As relações de marchas/diferencial atendem satisfatoriamente a proposta dinâmica em função do peso (958kg) e curva do motor. A indicação no quadro de instrumentos da marcha ideal a ser selecionada quase nunca é a realidade em função da topografia, carga e situação no trânsito. POSITIVO

Motor
É o novo, moderno e funcional três cilindros 1.0. A performance é muito boa, com retomadas de velocidade e aceleração eficientes. POSITIVO

Vedação
Boa contra água e poeira. POSITIVO

 

Emílio Camanzi também testou o up!, mas na versão red. Confira: 

 

Nível interno de ruídos
O efeito aerodinâmico é bem contido, mas a partir de 140km/h passa a se manifestar intensamente. Ao trafegar sobre piso de paralelepípedo, asfalto em má conservação e estrada de terra batida com algumas imperfeições surgem vários pequenos ruídos no habitáculo. NEGATIVO

Suspensão
O conforto de marcha não tem um bom acerto e tem perda significativa com carga máxima e pressão dos pneus para essa condição. A estabilidade é alta, proporcionando um excelente handling, com uma dirigibilidade prazerosa e segura em rodovias. REGULAR

Direção
O veículo em prova está equipado com pneus Dunlop alemães. A coluna de direção tem ajuste em altura, com bom curso. As cargas do sistema eletromecânico estão muito bem calibradas, seja para o uso na estrada com boa leveza e agilidade, seja em estrada com ótima sensibilidade e reações seguras e rápidas. A velocidade do efeito retorno é razoável e o diâmetro de giro muito bom, de apenas 9,7 metros. A precisão na reta e em curvas é muito boa. É baixa a rumorosidade do conjunto em curvas sobre piso irregular usual. POSITIVO

Iluminação
Não tem iluminação nos comandos elétricos de acionamento dos vidros, trava e regulagem elétrica dos retrovisores externos nem sensor crepuscular. Os faróis têm construção com parábola simples e contam com auxiliares de neblina, sendo o resultado em iluminação normal. Não tem regulagem elétrica de altura em função da carga transportada nem nenhuma luz de cortesia. O quadro de instrumentos tem fácil leitura dia/noite. REGULAR

Limpador do para-brisa
Não tem sensor de chuva. Os sistemas de limpeza no para-brisa e no vidro traseiro são eficientes, com boa área varrida, bons esguichos e palhetas de qualidade. É fácil o acesso ao reservatório de água instalado no vão do motor. POSITIVO

Estepe/macaco
O estepe tem a roda em aço e pneu (175/70R14) diferente dos de uso (185/60R15) no fabricante e nas medidas. Está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho. Para retirar a calota central tem grampo no kit. A operação de troca é normal, mas há alteração no comportamento dinâmico do veículo ao utilizar o estepe em rodovias, o que não é o mais prático e racional, principalmente numa viagem longa. REGULAR

Alarme
A chave de ignição é codificada e do tipo canivete. Há proteção perimétrica das partes móveis e a volumétrica dentro do habitáculo. Não tem função um toque para descer/subir os vidros dianteiros e ao dar comando para travar as portas, com o controle inserido na própria chave, os vidros dianteiros não sobem automaticamente. POSITIVO

Volume do porta-malas
O declarado pela fábrica é de 285 litros e o encontrado foi de 250 litros, sendo prejudicado pelo suporte lateral, que tem duas opções de altura do recobrimento do assoalho, com a tampa do bagagito fechada e fechamento suave da tampa traseira.

www.danieltecnodan.com.br
Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

 

 

 

FICHA TÉCNICA
» MOTOR
Dianteiro, transversal, de três cilindros em linha, 999 cm³,12 válvulas, flex, 75cv (gasolina) e 82cv (etanol) a 6.250rpm de potências máximas e torques de 9,7kgfm (g) e 10,4kgfm (e) a 3.000rpm

» TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas

» SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, do tipo McPherson, barra estabilizadora; e traseira interdependente com braços longitudinais/ de liga leve de 15 polegadas / 185/60 R15.

Rodas de liga leve na cor da carroceria é uma das novidades - Leandro Couri/EM/D.A PRESS Rodas de liga leve na cor da carroceria é uma das novidades


» DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

» FREIOS
Discos ventilados na dianteira, tambor na traseira, com ABS

» CAPACIDADES
Do tanque, 50 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 412 quilos.
Traseira chapada e retilínea acompanha linhas, com lanternas verticais estreitas - Leandro Couri/EM/D.A PRESS Traseira chapada e retilínea acompanha linhas, com lanternas verticais estreitas

 

EQUIPAMENTOS
» DE SÉRIE
Ar-condicionado, computador de bordo, coluna de direção com regulagem de altura, airbags frontais, freios ABS, sensor de estacionamento traseiro; CD player com Bluetooth e conexões USB, iPod e auxiliar, alarme, alerta de frenagem de emergência, banco do motorista com ajuste de altura, chave tipo canivete, retrovisor com luzes indicadoras, faróis auxiliares, lanterna de neblina, tampa do porta-malas com abertura elétrica, vidros dianteiros, retrovisor e travas elétricas, entre outros.

» OPCIONAIS
Preparação para sistema de navegação.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe