Roupa certa, pique nem tanto

Nova versão do Fiesta 1.6 é recheada de adereços, mas não empolga

Hatch compacto tem aparência esportiva, mas relação de transmissão longa deixa a desejar a quem deseja realmente desempenho coerente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 19/07/2015 13:29 / atualizado em 19/07/2015 13:43 Pedro Cerqueira /Estado de Minas

Spoiler dianteiro, saias laterais, aerofólio e roda preta dão ar de esportividade - Gladyston Rodrigues / EM / D.A Press Spoiler dianteiro, saias laterais, aerofólio e roda preta dão ar de esportividade

A última novidade da Ford para a linha Fiesta é a versão Sport. Diferentemente do que o nome sugere, o compacto premium não tem mais fôlego do que as demais versões equipadas com o motor 1.6. A ideia aqui foi incluir um pacote visual com apelo mais esportivo. Para isso, a Ford vestiu no Fiesta o “pretinho básico” dos esportivados: faróis com máscara negra; saias laterais; spoilers dianteiro e traseiro; rodas exclusivas de 16 polegadas; aerofólio; e detalhes em preto brilhante (capa do retrovisor, grade dianteira e moldura do farol de neblina). Para completar a mortalha, faltou uma ponteira esportiva no escape do carro.

O resultado foi um modelo bem agressivo, que chama a atenção por onde passa. Mas a parafernália esportiva interfere no uso cotidiano do carro. É que o spoiler dianteiro deixou o para-choque mais baixo que o normal e esbarra ao subir e descer algumas rampas. Por isso, é preciso avaliar cada obstáculo e ir bem devagar. E outra, com a instalação do spoiler traseiro, que simula um extrator de ar, a Ford suprimiu os sensores de estacionamento traseiros, que são de série na versão inferior 1.6 SE, que custa R$ 53.890. Então, se levarmos em conta que o New Fiesta Sport custa R$ 60.190 e que (tirando os sensores traseiros) seu pacote de equipamentos é idêntico ao do 1.6 SE, o custo do kit esportivo é de R$ 6.300, o que é um tanto exagerado.

O Ford New Fiesta Sport pode até ter cara de bravo, mas esconde sob o capô o mesmo conjunto 1.6 flex de sempre - Gladyston Rodrigues / EM / D.A Press O Ford New Fiesta Sport pode até ter cara de bravo, mas esconde sob o capô o mesmo conjunto 1.6 flex de sempre

Se por um lado o desempenho do carrinho não é digno de um esportivo, resta o consolo de que o motor 1.6 Sigma, junto com o câmbio manual de cinco marchas, é bem espertinho e não consome muito combustível. As relações de marcha são longas e exigem muitas trocas nas retomadas, a exemplo de ultrapassagem. Já que para obter um desempenho superior é necessário subir bem o giro do motor, o que sacrifica o consumo. A suspensão oferece conforto e não vacila nas curvas. Os pneus têm perfil 5% mais baixo que do Fiesta 1.6 SE, o que não sacrifica o conforto dos ocupantes. Com assistência elétrica, a direção é bem leve (até demais!), mas ganha carga à medida que a velocidade aumenta.

DENTRO A não ser pela inscrição “Sport” na soleira da porta, o interior desse New Fiesta não tem diferença em relação ao SE. O acabamento e montagem são esmerados. Para o motorista existe ajuste de altura do banco e de altura e distância no volante. O quadro de instrumentos fica constantemente iluminado, o que também deveria ser feito com o comando do farol, que tem difícil identificação no escuro. O espaço para os passageiros de trás é adequado para dois ocupantes. Ali falta apoio de cabeça e cinto de segurança de três pontos para o passageiro central. O espaço do porta-malas, com volume de 281 litros, é condizente com um compacto. O estepe de emergência fica localizado dentro do compartimento de carga. O encosto do banco traseiro tem rebatimento integral. Pouco prático. Se fosse fracionado, possibilita acomodar bagagem mais um ou dois ocupantes.

Como conteúdo, destaque para controle de tração e estabilidade, freios ABS, airbags dianteiros, assistência de emergência (que liga para o Samu em caso de uma colisão potencialmente perigosa), sistema Isofix para fixação de assentos infantis, ar-condicionado digital, assistente de partida em rampa, faróis de neblina, vidros, travas e retrovisor elétricos. O sistema de entretenimento Sync traz CD player MP3, rádio, telefonia, entrada USB e auxiliar. A conectividade é ampliada com a função AppLink, que permite o uso integrado de aplicativos como o Spotify (de música) por meio de um smartphone. Só não esqueça que os aplicativos que usam as informações da internet por meio do seu celular consomem o pacote de dados.

 

Gladyston Rodrigues / EM / D.A Press
 

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação