Publicidade

Estado de Minas TESTE

Renaut Duster Oroch 1.6 Dynamique é meio-termo entre a compacta e a média

Picape cabine dupla da marca francesa agrada pelo bom espaço interno, mas falta motor quando está com peso e ar ligado


postado em 07/11/2015 16:08

Há quem defenda revisão dos modelos de exploração de minério em virtude da tragédia de Bento Rodrigues e outras de proporção semelhantes(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Há quem defenda revisão dos modelos de exploração de minério em virtude da tragédia de Bento Rodrigues e outras de proporção semelhantes (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Se você é daquele tipo que adora as picapes, mas acha as compactas muito pequenas e as médias muito exageradas, talvez a Renault tenha encontrado a solução para o seu problema. O modelo Duster Oroch, derivado do SUV compacto, abriu um novo segmento de picapes com dimensões intermediárias e por enquanto reina sozinho, até o lançamento da Fiat Toro, que tem a mesma proposta. Apesar do nome estranho, a Oroch tem estilo interessante, com a mesma frente do Duster e a traseira bem resolvida. A caçamba não é das maiores, mas resolve o problema de quem tem um sítio. É uma cabine dupla de fato, com quatro portas, sem gambiarra. Mas o motor 1.6 é pouco para ela e sofre quando a picape está carregada. Confira o nosso teste.

VISUAL
A picape Duster Oroch tem estilo robusto, com formas volumosas reforçadas principalmente pelos para-lamas dianteiros salientes. A frente é a mesma do Duster, com a grade de duas barras paralelas e faróis divididos em seções. O para-choque traz uma imitação de quebra-mato na cor cinza, emoldurando a entrada de ar inferior. As barras no teto são item de série, assim como o discreto estribo na soleira das portas. A traseira tem grandes lanternas e a caçamba já sai de fábrica com a proteção e o santantônio. A picape tem capacidade de carga de 650 quilos, incluindo aí o peso dos cinco passageiros. Ou seja, não dá para abusar e encher o compartimento de carga. A versão testada não tem janela no vidro traseiro e nem grade de proteção, mas tem oito ganchos de amarração.

POR DENTRO Ao contrário das atuais concorrentes, a Oroch é realmente uma picape cabine dupla. Tem espaço para cinco pessoas, sendo que o conforto é maior para quem vai na frente. O motorista tem banco com ajuste de altura e a visibilidade é muito boa. Mas o banco traseiro é ruim, pois não apoia bem as pernas e tem o encosto quase em 90 graus. Em uma viagem mais longa, quem estiver ali sentado certamente sentirá dores nas costas. O acabamento não é primoroso, já que o plástico duro predomina no painel, que tem detalhes pintados em black piano. Detalhe estranho é quando se abre as portas dianteiras e fica visível o material usado para o isolamento termo-acústico no lado interno dos para-lamas. Falha grave. Por outro lado, o capô do motor é sustentado por amortecedor, facilitando a abertura. Em compensação, a tampa da caçamba é muito pesada e exige braços fortes para manuseá-la.

O modelo testado tinha os bancos revestidos em couro de boa qualidade, que é o único opcional. O painel tem os comandos bem posicionados e conta com instrumentos de fácil visualização, deixando o motorista mais à vontade para dirigir. No centro do painel, a vedete do modelo: a Midia NAV Evolution, um sistema multimídia com tela sensível ao toque, que fornece todas as informações e ainda disponibiliza GPS e acesso às redes sociais. A versão tem ainda o EcoMode, que pode ser acionado por meio de uma tecla no console, limitando a potência e o torque do motor, reduzindo também a potência do ar-condicionado para diminuir o consumo de combustível.

MECÂNICA
O porém desta picape é o motor 1.6 16V. Associado ao câmbio manual de cinco marchas, ele até resolve bem quando a Oroch está vazia. Nessa condição, a potência e o torque são suficientes. Mas conforme você coloca passageiros na cabine, carga na caçamba e liga o ar-condicionado, o motor começa a demonstrar sinais de fraqueza, principalmente em cidades de topografia irregular. A cada subida nesta situação, as trocas de marchas são constantes e a primeira acaba sendo muito solicitada. A sorte é que o câmbio tem engates macios e precisos. O consumo de combustível é razoável para um veículo desse tipo e os números anotados em nosso teste não ficaram muito diferentes dos aferidos pelo Inmetro. Na cidade, com gasolina, o computador de bordo registrou 8,8km/l. E na estrada a média foi de 10km/l.

Um dos destaques da picape é o bom ajuste das suspensões, independentes nos dois eixos, sendo Multilink na traseira. Na prática, isso faz com que a picape apresente um rodar um pouco mais macio, ou seja, ela não pula tanto quando trafega sobre pisos irregulares. Além disso é segura em curvas, apesar de não contar com controles de tração e de estabilidade. A direção foi bem calibrada e atua de forma equilibrada, com cargas na medida certa para baixas e altas velocidades, mas o diâmetro de giro é grande, exigindo paciência nas manobras. O sistema de freios atuou de forma eficiente, apesar dos tambores na traseira.

NA BALANÇA Na prática, a picape Duster Oroch fica realmente no meio do caminho entre as compactas e as médias. Tem espaço interno generoso, mas a caçamba não é das maiores, embora a Renault disponibilize um extensor que possibilita até o transporte de motos. O motor 1.6 não é a melhor opção, mas quem quiser investir um pouco mais pode levar as versões com o 2.0 16V, com 33cv a mais. É só escolher.

 

Modelo tem formas robustas e desenho equilibrado, com barras longitudinais no teto(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Modelo tem formas robustas e desenho equilibrado, com barras longitudinais no teto (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
 

 

Totalmente conectada
Confira todos os detalhes da picape Renault Duster Oroch 1.6 Dynamique e verifique as principais diferenças em relação aos concorrentes, além das notas e lista de equipamentos

 

Apesar de não ter controles de tração e estabilidade, a nova picape da marca francesa contorna curvas com segurança e tem rodar confortável(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Apesar de não ter controles de tração e estabilidade, a nova picape da marca francesa contorna curvas com segurança e tem rodar confortável (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Um dos principais destaques da nova picape da Renault é sem dúvida o Media NAV Evolution, que permite a motorista e passageiros acesso às mídias sociais. Por meio do aplicativo Aha, usando um smartphone, é possível obter informações sobre hotéis, restaurantes, clima e rádios de outros países. Com tela de sete polegadas sensível ao toque, o motorista navega pelo GPS e ainda é informado sobre o trânsito em tempo real. Tudo muito prático e funcional.

FICHA TÉCNICA
Painel tem muito plástico duro, mas é funcional(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Painel tem muito plástico duro, mas é funcional (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

» MOTOR

Dianteiro, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.598cm³ de cilindrada, flex, que desenvolve potências máximas de 110cv (gasolina)/115cv (etanol) a 5.750rpm e torques máximos de 15,1kgfm (g)/15,9kgfm (e) a 3.750rpm

» TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio manual de cinco marchas

» SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS

Dianteira, independente, tipo MacPherson, com triângulos inferiores e barra estabilizadora; e traseira independente, Multilink, com barra estabilizadora/ 6,5 x 16 polegadas (liga leve) / 215/65 R16

» DIREÇÃO

Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

» FREIOS
A discos ventilados na frente e tambores na traseira, com ABS

» CAPACIDADES
Tanque de combustível, 50 litros; capacidade de carga (passageiro e carga), 650kg

O motor 1.6 tem potência e torque limitados(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
O motor 1.6 tem potência e torque limitados (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
EQUIPAMENTOS


» De série
Airbag duplo, direção hidráulica, travas elétricas, volante com regulagem de altura, ar-condicionado, rodas de liga leve aro 16 polegadas, alerta sonoro de luzes acesas, rádio CD MP3 com USB e Bluetooth, vidros elétricos, comandos de áudio e celular na coluna de direção, banco do motorista com regulagem de altura, travamento das portas a 6km/h, barras no teto, santantônio, protetor de caçamba, , Media NAV Evolution com funções Eco-Coaching e Eco-Scoring, faróis de neblina, piloto automático, retrovisores ele´tricos, sensor de estacionamento, volante com acabamento de couro e computador de bordo.

» Opcional
Bancos revestidos com couro.

Rodas de liga leve aro 16 polegadas são de série(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Rodas de liga leve aro 16 polegadas são de série (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
QUANTO CUSTA

A picape Renault Duster Oroch é vendida na versão de entrada Expression 1.6 16V por R$ 62.290. A versão testada, a Dynamique 1.6 16V, tem preços que vão de R$ 66.790 a R$ 69.780.

 

Caçamba tem proteção e tampa muito pesada(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Caçamba tem proteção e tampa muito pesada (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
 

 

Notas (0 a 10)

Desempenho..........................7
Espaço interno........................8
Caçamba ................................6
Suspensão/direção ..................7
Conforto/ergonomia .................7
Itens de série/opcionais ............7
Segurança ................................7
Estilo     ....................................8
Consumo ..................................6
Tecnologia...................................7
Acabamento ..........................    7
Custo/benefício..........................     7

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade