Para aventuras urbanas

Teste: Chevrolet Onix Activ 1.4 é opção para quem curte se diferenciar na multidão

Tapa no visual deixou o Chevrolet Onix Activ 1.4 mais moderno, mas os principais atrativos são o bom desempenho e a tecnologia aplicada. Porém, peca nos detalhes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/09/2016 15:36 / atualizado em 26/09/2016 18:04 Enio Greco /Estado de Minas

Edésio Ferreira/EM/D.A Press
Quando o Chevrolet Onix foi lançado em 2012, não dava para prever que iria desbancar tão rapidamente as feras do segmento de hatches compactos – VW Gol e Fiat Palio. Pois o modelo da marca da gravata dourada botou banca e superou a concorrência, trazendo como atrativos o conjunto mecânico e um pacote tecnológico capaz de conquistar principalmente o consumidor jovem. Agora, a linha 2017 do Onix chega ao mercado com o visual renovado, motores retrabalhados, direção com assistência elétrica e multimídia MyLink de segunda geração. Mas o encosto do banco traseiro é inteiriço e não tem o terceiro apoio de cabeça. Testamos a versão Activ 1.4 com câmbio automático, que tem suspensão elevada e alguns adereços, mas está mais para o asfalto do que para a terra.

PLÁSTICA Mexer em time que está ganhando é complicado, mas no caso do Onix a GM fez a coisa certa e conseguiu um bom resultado. A versão Activ, que traz a ideia de um carro com visual aventureiro, chama a atenção por onde passa, principalmente na cor laranja metálico, que divide opiniões. Ela se diferencia das demais pela parte inferior do para-choque, com elemento na cor cinza, molduras de plástico preto contornando os faróis de neblina, e as caixas de rodas, seguindo pelas laterais até a traseira. O rack de teto em alumínio e plástico preto complementam o visual. Uma maquiagem que tem seus seguidores. No mais, é a mesma frente das outras versões do Onix, com grade em duas partes horizontalizadas e faróis espichados com assinatura de LED. A mudança deu um toque de modernidade ao hatch, que ganhou também novas lanternas traseiras, compondo o desenho robusto da carroceria.

POR DENTRO
O interior da versão Activ segue a ousadia do visual externo, já que o acabamento do painel e bancos é em três cores: laranja, marrom e preto. Legal para uns e espalhafatoso para outros. O certo é que depois de um tempo esse visual deve ficar cansativo. O painel é feito com o habitual plástico duro, mas de boa aparência e com encaixes benfeitos. O volante revestido em couro tem comandos para o sistema de áudio e controlador de velocidade, mas conta apenas com o ajuste de altura. Ficou faltando o de distância. O banco do motorista pode ser regulado em altura e na inclinação do assento. Os instrumentos no painel são de fácil visualização e contam com computador de bordo e sistema que monitora a pressão dos pneus. Ambos de série.

Edésio Ferreira/EM/D.A Press
Um dos diferenciais do Onix Activ é a suspensão elevada em 30mm, que resulta em maior altura em relação ao solo e melhor visibilidade frontal para o motorista. A engenharia da GM conseguiu dar um ganho de 20% no ângulo de ataque do hatch, facilitando a transposição de lombadas, rampas e pisos irregulares. Porém, a visibilidade traseira é ruim, fazendo do sensor de estacionamento item essencial. Como na maioria dos hatches compactos, o Onix tem espaço interno ideal para quatro pessoas. No banco traseiro, apenas dois viajam com relativo conforto, já que no meio o espaço é limitado e ainda falta apoio de cabeça e o cinto de segurança é subabdominal. O porta-malas não é dos maiores e a mancada fica por conta do encosto inteiriço do banco traseiro, que impossibilita o rebatimento de apenas uma parte para o transporte de objetos compridos.

Plástico duro predomina no painel, que tem duas cores e comandos bem localizados - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Plástico duro predomina no painel, que tem duas cores e comandos bem localizados


Edésio Ferreira/EM/D.A Press
DESEMPENHO O novo Onix traz novidades, mas também preserva o já conhecido motor 1.4, que passou por modificações internas para melhorar o desempenho e o consumo. O resultado foi positivo, já que o quatro-cilindros dá conta do recado, com bom torque em baixas rotações. O motor proporciona reações rápidas, com arrancadas e retomadas de velocidade eficientes, mas grita muito em rotações elevadas. O câmbio é automático mesmo, e não automatizado, como o de alguns concorrentes. Com seis marchas bem escalonadas, se adapta ao modo de dirigir do motorista, buscando o melhor aproveitamento da força do motor, sem comprometer o consumo de combustível. O câmbio não faz trocas de marchas excessivas e trabalha de maneira suave, sem trancos. Se o motorista preferir, pode fazer mudanças de marchas manuais em uma tecla no pomo da alavanca. O modelo não tem as aletas atrás do volante.

Outra novidade no Onix 2017 é a direção com assistência elétrica, que equilibra bem as cargas em baixas e altas velocidades, facilitando para o motorista em manobras e garantindo a segurança nas estradas. As suspensões privilegiam a estabilidade em curvas, mesmo o carro sendo um pouco mais alto, mas não filtram muito bem as irregularidades do solo, causando certo desconforto sobre pisos irregulares. O sistema de freios conta com a eletrônica básica, que garante a frenagem em situações de emergência. O Onix Activ tem basicamente a mesma configuração da versão LTZ, mas custa cerca de R$ 3 mil a mais pelas firulas e suspensão elevada. É uma opção para quem curte se diferenciar na multidão.

Motor 1.4 flex proporciona bom desempenho, com arrancadas e retomadas ágeis - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Motor 1.4 flex proporciona bom desempenho, com arrancadas e retomadas ágeis
CONECTIVIDADE

Pacote tecnológico
A General Motors quer atrair ainda mais compradores para o seu campeão de vendas, O Onix, oferecendo um interessante pacote tecnológico. A versão Activ é bem completa para aqueles que dão importância à conectividade. O modelo tem central multimídia com tela tátil LCD, bem fácil de ser operada. A integração com smartphones é intuitiva e pode ser feita através do Android Auto e Apple CarPlay, com acesso à agenda e arquivos de música e imagens. O sistema de navegação é prático e o modelo ainda conta com o OnStar, que conecta o motorista diretamente com uma central de atendimento, que esclarece dúvidas sobre localização, fornece endereços solicitados e ainda indica teatros, shoppings, restaurantes e hospitais. Mordomias muito úteis para quem vive viajando.

Edésio Ferreira/EM/D.A Press
FICHA TÉCNICA

» MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.398cm³ de cilindrada, 8 válvulas, com potências máximas de 98cv (gasolina) e 106cv (etanol) a 6.000rpm e torques máximos de 13kgfm (gasolina) e 13,9kgfm (etanol) a 4.800rpm

» TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio automático de seis marchas

» SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, do tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira, semi-independente, com eixo de torção/ liga leve de 15 polegadas / 195/65 R15

» DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica progressiva

» FREIOS
Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS

» CAPACIDADES
Peso, 1.092 quilos; tanque, 54 litros; de carga (passageiros e bagagem), 375kg

Edésio Ferreira/EM/D.A Press
EQUIPAMENTOS

» DE SÉRIE
Airbag duplo, faróis de neblina, luz de posição em LED, monitoramento de pressão de pneus, ABS/EBD, retrovisores externos elétricos, moldura de proteção lateral nas cores prata Aquarium Silver e preto Anthracite, rack de teto, roda de alumínio aro 15 polegadas com superfície usinada, volante com revestimento premium, abertura do porta-malas por controle remoto, ar-condicionado, câmera de ré, computador de bordo, controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante, direção elétrica progressiva, sensor de chuva com ajuste automático de intensidade do limpador de para-brisa, sensor de estacionamento traseiro, trava elétrica nas portas, vidro elétrico nas portas dianteiras e traseiras com acionamento por “um toque”, antiesmagamento e fechamento/abertura automática pela chave, volante com controle das funções do rádio e telefone, banco do motorista com regulagem de altura, Chevrolet MyLink com Tela LCD sensível ao toque de sete polegadas, integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, entrada USB e Aux-in, função Audio Streaming, conexão Bluetooth para celular e configurações do veículo, OnStar, transmissão automática de seis velocidades Active Select.

» OPCIONAL
Pintura metálica

QUANTO CUSTA?


O Chevrolet Onix Activ 1.4 é vendido por R$ 57.190, com câmbio manual de seis marchas. Já com a transmissão automática de seis velocidades o preço é de
R$ 63.840.

NOTAS

» Desempenho 8
» Espaço interno 7
» Porta-malas 7
» Suspensão/direção 8
» Conforto/ergonomia 7
» Itens de série/opcionais 8
» Segurança 7
» Estilo 8
» Consumo 8
» Tecnologia 7
» Acabamento 7

» Custo/benefício 7

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação