Publicidade

Estado de Minas TESTE

Fiat Pulse Drive 1.3 Manual: versão de entrada do compacto vale a pena?

Além de estar longe de ser um utilitário-esportivo, pacote mais barato do compacto tem sofrido frequentes aumentos de preço que comprometem seu custo-benefício


postado em 11/02/2022 09:50 / atualizado em 02/03/2022 17:42



Quem viu o Fiat Pulse ser lançado por R$ 80 mil provavelmente se animou com o pacote de equipamentos e pensou que finalmente iria colocar um SUV zero-quilômetro na garagem. Mas, o preço atraente foi apenas um chamariz usado na apresentação do modelo. Logo o compacto passaria por duas “remarcações”, e agora está à venda a partir de R$ 88 mil, 10% a mais, o que não é pouco. Porém, se esse preço ainda cabe no seu bolso, testamos a versão de entrada Drive 1.3 Manual.

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Basta chegar ao lado do veículo para constatar que o Pulse não passa de um Argo aventureiro, nada de SUV. É na dianteira, com o capô alto e vincado, além das molduras das caixas de roda, que dão aspecto robusto, que o design tenta te enganar. A ausência dos faróis de neblina entregam que essa é a versão mais barata do compacto, mas os faróis em LED são de série.

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Nas laterais, as capas dos retrovisores e as maçanetas são em preto, mas as rodas em liga leve de 16 polegadas também estão no pacote de série. Já a traseira não disfarça a origem de hatch compacto. Nem a tampa traseira vincada e nem o spoiler de teto conseguem dar volume e porte ao veículo.

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)

A BORDO O interior tem visual bem limpo, com destaque para a tela flutuante de 8,4 polegadas do sistema multimídia. A versão de entrada não traz o quadro de instrumentos digital que vimos no pacote de topo, apenas uma telinha entre os mostradores analógicos. O acabamento é pobre, com excesso de plástico no painel e nas portas. Já os bancos são revestidos em tecido. A versão drive também perde o pequeno apoio de braço integrado ao console central, restando ali um porta-trecos.

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
O banco traseiro tem espaço para até duas pessoas, desde que os passageiros da frente não abusem muito. Porém, o assento é curto, truque antigo para obter espaço para as pernas, mas que compromete o conforto em trajetos mais longos. Para ganhar volume no porta-malas, que tem 370 litros, a base do vidro traseiro ficou muito alta, comprometendo muito a visibilidade traseira. Por esse motivo, a câmera de ré deveria ser item de série. Se precisar carregar grandes volumes no veículo, o encosto do banco traseiro rebate de forma integral.

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)

RODANDO O motor 1.3 aspirado que equipa essa versão de entrada é ideal para o trânsito urbano. Com bom torque em baixas rotações, é confortável rodar no para e anda da cidade, e sem medo de encarar as frequentes variações de topografia. Já na estrada, a conversa é outra. Para ganhar desempenho e fazer ultrapassagens é preciso ter paciência. Se você gosta de encher o carro de pessoa e bagagem, pior ainda.

Em compensação, o consumo de combustível é baixo. A alavanca do câmbio manual de cinco marchas tem bons engates, apesar do curso longo. As suspensões se destacam pelo conforto e boa filtragem. Estranho foi a Fiat não ter disponibilizado pneus de uso misto para nenhuma versão do Pulse, um pretenso SUV, enquanto o Argo Trekking conta com esse recurso.

CONTEÚDO A versão de entrada do Fiat Pulse custa R$ 87.990, e traz um bom pacote de segurança, com airbags frontais e laterais, além de controle de tração e estabilidade. O porém nesse pilar da segurança fica a cargo de uma futura avaliação do modelo no Latin NCAP, já que o Argo recebeu nota zero em testes de colisão.

Entre o demais equipamentos de série, destaque para o assistente de partida em rampa, ar-condicionado automático, retrovisores com regulagem elétrica, central multimídia com tela de 8,4 polegadas e conexão com smartphone.

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)

CONCORRENTES Antes de definir os concorrentes diretos do Fiat Pulse de entrada, é preciso entender que, nesse patamar de preço, o segmento dos hatches aventureiros está em vias de acabar. Hoje ele conta apenas com o Argo Trekking e o Sandero Stepway. Assim, o legado aventureiro deve ficar mesmo com os pequenos Fiat Mobi Trekking e Renault Kwid Outsider, posicionados mais abaixo na tabela. Ao mesmo tempo, o Pulse Drive 1.3 Manual não tem predicados para concorrer com o Volkswagen Nivus.

Uma opção é o Caoa Chery Tiggo 2, descaradamente derivado do finado Celler, que era um hatch compacto. A versão Look 1.5 manual custa R$ 84.990 e traz de série rodas de liga leve de 16 polegadas, ar-condicionado, direção hidráulica, sensor traseiro de estacionamento e bancos mesclando couro e tecido. O pacote de equipamentos e a marca, ainda em fase de construção de imagem no Brasil, certamente não fazem frente ao Pulse.

Entre os aventureiros, a versão de entrada do Renault Sandero Stepway Zen 1.6 traz como destaques sistema multimídia, rodas em liga leve de 16 polegadas, ar-condicionado, quatro airbags, faróis de neblina e sensores de estacionamento traseiro. Porém, vendido a partir de R$ 94.790, o modelo veterano também não se mostra competitivo.

CONCLUSÃO Então, o Pulse é competitivo nessa versão mais barata? Bom, se você cair no canto da sereia de que ele é um SUV, ou mesmo um hatch aventureiro, vai chegar à conclusão que esta versão está bem posicionada. Porém, se conseguir ter um olhar mais amplo, vai encontrar nessa mesma faixa de preço alguns hatches muito mais bem equipados. Um exemplo é o Chevrolet Onix LT em sua melhor configuração, que, por R$ 90.840, oferece motor 1.0 turbo, câmbio automático e um ótimo pacote de equipamentos.



FICHA TÉCNICA

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)

MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, oito válvulas, 1.332cm³ de cilindrada, flex, que desenvolve potências máximas de 98cv a 6.000rpm (com gasolina) e 107cv a 6.250rpm (com etanol) e torques máximos de 13,2kgfm (g) e 13,4kgfm (e) a 4.000rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual de cinco marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira, com eixo de torção e rodas semi-independentes/ de liga leve de 6 x 16 polegadas / 195/60 R16

DIREÇÃO

Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

FREIOS

Com discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com assistência ABS

CAPACIDADES
Do porta-malas, 370 litros; tanque, 47 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 400 quilos

DIMENSÕES
Comprimento, 4,09m; largura, 1,77m; altura, 1,57m; distância entre-eixos, 2,53m; altura livre do solo, 19cm

PESO

1.187 quilos

DESEMPENHO
Velocidade máxima de 178km/h (e)
Aceleração até 100km/h em 11,7 segundos (e)

CONSUMO (*)

Cidade: 12,6km/l (g) e 9,1km/l (e)
Estrada: 14,7km/l (g) e 10,1km/l (e)


Dados do fabricante
(*) Medição do Inmetro
(g): gasolina
(e): etanol



EQUIPAMENTOS

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)

DE SÉRIE
Airbags frontais e laterais (tórax e cabeça); controle de tração e estabilidade; Isofix; assistente de partida em rampa; ar-condicionado automático digital; banco do motorista com regulagem de altura; faróis em LED; piloto automático; volante com regulagem de altura; lanterna em LED; vidros elétricos; sensor de estacionamento traseiro; sensor de pressão dos pneus; central multimídia com tela de 8,4 polegadas e conexão com smartphone; Electronic Locker; quadro de instrumentos com tela de 3,5 polegadas; estepe temporário; retrovisores com regulagem elétrica e função tilt down; barras longitudinais no teto; luzes de rodagem diurna em LED; computador de bordo; alarme.

OPCIONAIS

Pintura sólida (R$ 1 mil), branco Banchisa.


QUANTO CUSTA?
O Fiat Pulse Drive 1.3 Manual tem preço sugerido de R$ 87.990. Com o opcional descrito, a unidade testada custa R$ 88.990.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade