Publicidade

Estado de Minas

Citroën C4 WRC - No rastro do campeão

Preparada para disputar Mundial de Rali, versão de competição do hatch médio tem tração nas quatro rodas, motor 2.0 turbo e câmbio seqüencial de seis marchas


postado em 13/08/2007 09:57

(foto: Fotos: Citroën/Divulgação)
(foto: Fotos: Citroën/Divulgação)
Fruto da colaboração entre os centros de estilo e esportivo da Citroën, o C4 WRC foi desenvolvido especialmente para o campeonato mundial de rali (cuja sigla em inglês é WRC, de World Rally Championship). Apresentada como carro-conceito no Salão de Paris de 2006, a versão tem a difícil missão de substituir o Xsara, modelo tricampeão mundial de construtores de rali, de 2003 a 2005. De conceito a carro de competição foi um passo. Se as linhas da carroceria parecem iguais às do modelo de rua, há alterações significativas na mecânica e também no estilo.

O teto de vidro, proibido no rali, foi substituído pelo de aço convencional. Outras modificações foram feitas nos pára-choques, entradas de ar e pára-lamas dianteiros e traseiros. O C4 WRC é mais largo que o Xsara, o que pode, em tese, melhorar a estabilidade nas curvas. Pelo menos essa é a visão da equipe de competição da Citroën.

Para correr no asfalto, mudam-se pneus, rodas e as pinças do sistema de freio. Grande aerofólio no teto ajuda a melhorar estabilidade traseira
Para correr no asfalto, mudam-se pneus, rodas e as pinças do sistema de freio. Grande aerofólio no teto ajuda a melhorar estabilidade traseira
A durabilidade das peças é a primeira preocupação da engenharia, desde que mantido o desempenho excelente. A equipe comparou o desempenho do C4 com o do Xsara. O objetivo é conseguir que o novo carro seja tão confiável quanto o antecessor e fácil de pilotar, mas mais eficaz e, se possível, com desempenho superior.

Propulsor
Outras diferenças estão no motor 2.0. O de competição tem turbina e desenvolve 315cv de potência máxima a 5.500rpm e torque (descomunal) de 58kgfm a 2.750rpm. A tração é permanente nas quatro rodas, e a embreagem tem três discos de carbono. O câmbio é seqüencial semi-automático, de seis velocidades. Os freios dianteiros são a disco, com pinças de três pistãos em cada roda, para asfalto, e com dois, para os trechos de terra. O freio de mão tem comando hidráulico, para facilitar a tarefa do piloto de colocar o carro de lado e fazer as curvas em alta velocidade.

As rodas são de 18 polegadas, para o asfalto, e de 15 polegadas, para a terra. Os pneus para o asfalto têm medida 225/40, e os apropriados para a terra, 215/65. Enfim, o carro de competição é muito diferente do de rua, principalmente em desempenho e componentes mecânicos.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade