Automobilismo - Bolha da mentira

Stock Car é o maior sucesso nas pistas brasileiras. Mas, embora todos os carros tenham mesma mecânica, categoria tenta passar a idéia de disputa entre marcas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 09/05/2007 00:31 Rafael Bozzolla /Estado de Minas
Volkswagen faz crer que bolha do Bora, que compete na Stock Car, seria o carro de produção em série - Ricardo Hirai/Volkswagen/Divulgação Volkswagen faz crer que bolha do Bora, que compete na Stock Car, seria o carro de produção em série
A primeira prova da Stock Car brasileira foi disputada em 1979 exclusivamente com automóveis Opala preparados. Depois a categoria passou a usar 'casca' do Ômega, Vectra e Astra, com mecânica importada da GM dos EUA.

Os organizadores do torneio imaginaram, então, uma competição entre marcas e conseguiram apoio de Mitsubishi, Peugeot e Volkswagen. Elas fazem de conta que competem entre si, mas as carrocerias nada mais são do que bolhas de fibra de vidro que representam modelos de produção. Além de televisionadas, as provas levam 33 mil pessoas em média ao autódromo. Muitas acreditam que estão torcendo para sua marca favorita.

As regras da Stock obrigam todos os competidores a usar o mesmo chassi tubular e motor V8 5.7 de 450 cv de potência, o small-block do Corvette (da GM norte-americana) Tudo para garantir o equilíbrio da competição e deixar que o talento dos pilotos faça a diferença. As provas são mesmo emocionantes pela acirrada disputa na pista.

Competição
Foi em 2005 que surgiu uma nova 'marca' na Stock: a Mitsubishi pôs na pista os carros com bolhas do modelo Lancer. No ano seguinte, foi a vez da Volkswagen apresentar a carcaça do Bora. Na atual temporada, que começou em abril no autódromo de Interlagos, em São Paulo, houve a estréia da Peugeot, com a carroceria do 307 Sedan. Todos, evidentemente, com a mesma mecânica.

Para ter o direito de exibir as bolhas de seus veículos, as montadoras se tornam parceiras do evento, contribuindo financeiramente e, cada uma, premia o melhor piloto correndo com sua marca com um veículo de passeio.

Em contrapartida ao investimento que as montadoras fazem na Stock car, além da exposição que conseguem com a cobertura das provas na mídia, cada uma tenta capitalizar e associar seu carro de passeio aos veículos de competição. Nada mais natural, só que nem sempre a informação é passada da forma correta.

A estreante Peugeot informa que esperou o lançamento do 307 Sedan no mercado antes de apresentar a bolha que cobre o 'seu' carro de competição. GM e Mitsubishi dão um tom ainda mais genérico e preferem falar da categoria, sem restringir as informações às suas carcaças.

Mentirinha
Enquanto as outras três montadoras mencionam discretamente como são os carros que competem com suas 'bolhas', a Volkswagen insinua que o veículo das pistas é o mesmo Bora que está na rede de concessionários. Em nenhum momento, a montadora alemã esclarece que o Bora da Stock Car é apenas uma cobertura aplicada sobre um conjunto mecânico comum aos competidores.

Para deixar a imprensa e o público ainda mais confuso, mistura carro de passeio e pista e, em seus informativos, fala das especificações do carro de produção, como o motor 2.0 de 116 cv, além dos novos equipamentos.

A Volkswagen não confirma nem desmente se o carro da pista é o mesmo Bora, mas também não esclarece a diferença. Não mente: omite.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
06 de agosto de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação