Competição - Fantasia para terra

Saiba as diferenças entre carros de rua e de rali, como o Chevrolet Celta, que disputa a 6ª etapa do Brasileiro e Sul-Americano neste fim de semana em Ouro Branco

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 22/09/2007 15:00 Caderno de Veículos /Estado de Minas
Motor é o mesmo, mas injeção foi reprogramada, acrescentando-se 20 cv de potência com álcool - Fotos: General Motors/Divulgação Motor é o mesmo, mas injeção foi reprogramada, acrescentando-se 20 cv de potência com álcool
Sem a preparação a que é submetido, o Chevrolet Celta - assim como seus concorrentes Fiat Palio, VW Gol, VW Fox e Peugeot 206 - sucumbiria nos trancos do piso de terra e na direção agressiva dos pilotos, que disputam a sexta etapa dos campeonatos Sul-Americano e Brasileiro de Rally de Velocidade, neste fim de semana em Ouro Branco, na Região Central de Minas. Para poder enfrentar a disputa e concluir a prova, os veículos têm de ser submetidos a uma série de alterações.

O Celta compete na categoria N2, que permite motorização de até 1.6, sem modificações no motor e no câmbio. Para que o veículo seja competitivo diante dos rivais, equipados com motor 1.6, enquanto usa o propulsor 1.4, é preciso explorar o que a regra permite: a reprogramação da injeção eletrônica. O motor 1.4 flex da GM tem potências de 97 cv (álcool) e 89 cv (gasolina). Já no motor preparado, a potência chega a 117 cv, com álcool, o combustível usado nas provas.
Celta tem amortecedores de competição, rodas e pneus especiais  - Celta tem amortecedores de competição, rodas e pneus especiais

O baixo consumo, que é um dos fatores que fazem o nome do motor Econoflex, deixa de existir. Luiz Haas, o chefe de equipe e responsável pela preparação, calcula que, com a reprogramação, o Celta faça uma média de 4 km/l. "Como as provas são curtas, saímos com um quarto do tanque", explica. A relação peso/potência também é essencial para o bom desempenho do carro na prova. Mesmo com os equipamentos de segurança, como o santantônio, os extintores de incêndio e o chapão no assoalho, o peso aumentou 50 kg em relação ao veículo de rua, passando para 890 kg.

Outras adaptações são a instalação de uma tomada de ar superior, pois não é equipado com ar-condicionado para não roubar potência; roda e pneu mais resistentes, porém da mesma medida e os amortecedores são de competição, equipados com garrafas de nitrogênio, que resfriam o sistema.

Veículos

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
06 de agosto de 2018

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação