Câmbio CVT agrega conforto ao JAC T5, mas motor 1.5 tem desempenho limitado

Utilitário-esportivo da marca chinesa ganha o câmbio automático de variação contínua, que proporciona mais conforto ao dirigir, mas consumo de combustível continua elevado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/04/2017 10:16 Enio Greco /Estado de Minas
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Mantendo a proposta de oferecer carros com muito conteúdo e preço abaixo da concorrência, a JAC Motors resolveu tornar o seu SUV compacto T5 ainda mais atraente. O modelo ganhou a opção do câmbio automático CVT e com isso passa a proporcionar mais conforto, principalmente no trânsito urbano. Mas o desempenho do utilitário-esportivo continua apenas razoável, com uma certa sofrência em subidas e consumo de combustível elevado. A lista de equipamentos de série é realmente ampla e o preço é menor do que o de seu principal concorrente, mas o chinês peca no acabamento e em outros detalhes.


O JAC T5 foi lançado no Brasil no ano passado, equipado com o motor 1.5 flex e câmbio manual de seis velocidades. O conjunto mecânico nunca foi seu ponto forte, pois o motor parece pouco para empurrar os 1.210 quilos do SUV. Para tentar amenizar o problema e torná-lo mais agradável ao dirigir, a JAC passou a oferecer o modelo com o câmbio CVT, com mudanças de marchas continuamente variáveis. A nova transmissão foi um ganho real para o modelo e permite o motorista fazer trocas manuais, já que tem seis marchas simuladas.

RUIDOSO O motor 1.5 JetFlex de 16 válvulas dá conta do recado, mas sem brilho na performance. É lento nas arrancadas. e retomadas de velocidade, pois demora a subir o giro. O câmbio CVT proporciona mais conforto quando está no modo drive, mas nele o rendimento é fraco e o ruído de funcionamento do motor faz lembrar as antigas enceradeiras. Nas subidas mais íngremes, ele sofre e acaba segurando o motor, mantendo o giro nas alturas. E o consumo também, já que com etanol na cidade registrou média de 5km/l.

Dianteira tem grade tipo bocão e faróis espichados - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press Dianteira tem grade tipo bocão e faróis espichados

É um SUV que tem a direção bem calibrada, com bom diâmetro de giro, que facilita as manobras em espaços mais apertados. As suspensões também estão bem equilibradas, mas favorecem mais a estabilidade, garantindo segurança em curvas. Sobre pisos irregulares, transferem as oscilações para dentro do carro, causando certo desconforto. Mas o chinês não economiza em segurança e traz uma sopa de letrinhas que inclui controles de estabilidade (ESP) e tração (TCS), freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), assistente de frenagem de emergência (BAS) e pedal inteligente de freio (BOS), que anula a aceleração quando os dois pedais são pressionados simultaneamente. E tem ainda o assistente de partida em rampas (HSA), que não deixa o carro voltar nas arrancadas em subidas. Tudo isso de série na versão testada.

Linha de cintura elevada e teto arqueado reforçam o aspécto aerodinâmico do utilitário - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press Linha de cintura elevada e teto arqueado reforçam o aspécto aerodinâmico do utilitário

CROMADOS Mas o JAC T5 tem outros atrativos. Seu design é atual e por se tratar de um SUV de dimensões compactas, tem um estilo robusto. Na dianteira os cromados se destacam juntamente com a grade tipo bocão e os faróis espichados. Vincos estão presentes no capô e nas laterais, definindo a linha de cintura elevada. O para-brisa bem inclinado e o teto com descaída na traseira reforçam o aspecto aerodinâmico do utilitário. Os cromados estão presentes também na traseira, na saída dupla do escapamento.

Modelo tem formas robustas, com desenho equilibrado e muitos detalhes cromados - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press Modelo tem formas robustas, com desenho equilibrado e muitos detalhes cromados

Destaque para o espaço interno do JAC T5. O modelo tem um generoso porta-malas, com o estepe dentro e cobertura retrátil. Para o motorista e passageiros o espaço também é bom. Na frente, bancos com abas laterais apoiam bem, mas falta ajuste lombar e somente o do motorista pode ser regulado em altura. Atrás o espaço é bom para três pessoas de porte médio, e o túnel baixo no assoalho contribui para ampliar a área para as pernas de quem vai no meio. A segurança ali não foi esquecida, pois o modelo conta com cintos de segurança retráteis e apoios de cabeça para os três ocupantes.

Porta-malas tem volume de 600 litros - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press Porta-malas tem volume de 600 litros

POR DENTRO A posição de dirigir é boa, mas a visibilidade é favorável só para frente. A visibilidade traseira é ruim, mas é compensada pelo sensor de estacionamento e a câmera de ré, que não tem imagem com boa definição e demora um pouco para aparecer na tela. O volante tem ajuste somente de altura, mas traz comandos do som, celular e controlador de velocidade. O acabamento interno é até de boa aparência, com muito plástico no painel e material sintético imitando couro nos bancos, painéis de portas e volante. Mas a montagem deixa a desejar em alguns pontos. O painel tem desenho simples, com instrumentos de fácil visualização, computador de bordo e até mostrador de marcha engatada.

Banco traseiro reserva bom espaço para os passageiros - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press Banco traseiro reserva bom espaço para os passageiros

Com tudo isso, o JAC T5 fica parecendo uma interessante opção no segmento de SUVs compactos, mas é preciso considerar os prós e contras. Ele é mais barato que seu principal concorrente, o Ford EcoSport com câmbio automático, mas a Ford tem uma rede de assistência mais consolidada no Brasil, enquanto a JAC passa por situação delicada, com poucas concessionárias. É preciso colocar na balança, pois, afinal são R$ 77 mil.

A central multimídia multicolorida, de gosto duvidoso, se destaca no painel central - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press A central multimídia multicolorida, de gosto duvidoso, se destaca no painel central

CONECTIVIDADE Uma das coisas que mais chamam a atenção no painel do JAC T5 é, sem dúvida, a central multimídia, mas não de maneira positiva. Apesar de ter tela tátil de oito polegadas, é multicolorida, de gosto bem duvidoso. Mas é fácil de ser operada e as mídias disponíveis são rádio, cartão SD, entrada USB e Bluetooth, que funciona em streaming. É possível espelhar a tela do smartphone no veículo por meio de cabo, podendo acessar aplicativos úteis, como o de navegação, desde que o aparelho seja compatível com o sistema. Não há navegação por GPS. O volante tem comandos de som, celular e controlador de velocidade.

 
Motor 1.5 flex apenas dá conta do recado, com performance discreta, e não é econômico - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press Motor 1.5 flex apenas dá conta do recado, com performance discreta, e não é econômico

FICHA TÉCNICA


» MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.499cm³ de cilindrada, flex, que desenvolve potências máximas de 125cv (gasolina) e 127cv (etanol) a 6.000rpm e torques máximos de 15,5kgfm (g) e 15,7kgfm (e) a 4.000rpm

» TRANSMISSÃO

Tração dianteira; e câmbio CVT de seis marchas simuladas

» SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira semi-independente,
com eixo de torção e barra estabilizadora/16 polegadas (liga leve) / 205/55 R16

» DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

» FREIOS
A discos ventilados na frente e discos sólidos
na traseira, com ABS e EBD

» CAPACIDADES

Tanque, 45 litros; capacidade de carga
(passageiro e carga), 350 quilos

As rodas de 16 polegadas são de série - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press As rodas de 16 polegadas são de série

» EQUIPAMENTOS

» DE SÉRIE
Rodas em liga leve aro 16 polegadas, airbag duplo frontal, aviso de cinto de segurança não acoplado (somente motorista), chave com destravamento remoto das portas e do porta-malas, travas elétricas, travamento automático das portas a 15km/h, freios ABS com EBD, Brake Overide System (BOS), controles elestrônicos de estabilidade (ESP) e de tração (TCS), assistente de partida em rampa (HSA), sistema de assistência de frenagem de emergência (BAS), sistema de monitoramento da pressão dos pneus (TPMS), sensor de estacionamento, luzes diurnas de LED, abertura interna da tampa do tanque de combustível, retrovisores elétricos, chave canivete, faróis com regulagem elétrica de altura, faróis e lanternas de neblina, lanternas de neblina, bancos revestidos em couro, banco traseiro bipartido, banco do motorista com ajuste de altura, apoios de cabeça para cinco ocupantes, Isofix, rack de teto, antena impressa no para-brisa, ar-condicionado digital e automático, vidros elétricos, sistema Mirror Link, kit multimídia com tela de oito polegadas, câmera de ré, computador de bordo, quatro alto-falantes e dois tweeters, entrada USB, Bluetooth, volante revestido em couro e película nos vidros.

» OPCIONAL

Pintura metálica

Tags: greco enio vrum teste cvt t5 jac

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
22 de julho de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação