Publicidade

Estado de Minas DIESELGATE

Escândalo na VW: Presidente da Porsche é o novo CEO mundial da Volkswagen

Matthias Müller assume no lugar de Martin Winterkorn, que renunciou devido ao escândalo da fraude nas emissões de poluentes em motores diesel da Volkswagen


postado em 25/09/2015 14:47 / atualizado em 25/09/2015 14:46

Müller foi operário na Audi e agora assume posto máximo do grupo num momento de crise(foto: REUTERS/Joshua Lott)
Müller foi operário na Audi e agora assume posto máximo do grupo num momento de crise (foto: REUTERS/Joshua Lott)

O presidente da Porsche, Matthias Müller, é o novo CEO mundial do Grupo Volkswagen. O executivo foi escolhido nesta sexta-feira pelo Conselho de Administração, na sede da empresa em Wolfsburg. Müller assume o comando no lugar de Martin Winterkorn, que renunciou devido aos escândalo da fraude nas emissões de poluentes nos motores diesel do grupo, que já está sendo chamado de ‘dieselgate’.

A Volkswagen é acusada pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos de alterar testes dos seus propulsores. Cerca de 11 milhões de veículos com motor a disesel EA 189 foram atingidos. Um dispositivo maquia os resultados dos testes de poluição, transgredindo a legislação ambiental do país. A mesma fraude pode ter acontecido na Europa e emv árias partes do mundo.

Matthias Müller tem 62 anos e começou a carreira no grupo como operário na Audi. Depois de concluir graduação e mestrado em Ciência da Computação, retornou à marca e virou chefe em 1984 na Divisão de Análise de Sistemas. Em 1995, assumiu a Gestão de produto da Audi, AG, Seat e Lamborghini. A partir de 2007, Müller acumulou o mesmo cargo para todo o Grupo Volkswagen

Em 2010, tornou-se CEO da Porsche AG e membro do conselho da Audi. Neste ano, tornou-se membro do Conselho de Administarção de todo o gurpo. Agora, é nome forte do grupo e vai comandar Audi, Bentley, Bugatti, Porsche, Ducati, Man, Scania, Seat, Skoda e, é claro, Volkswagen.

"Minha tarefa mais urgente é para ganhar de volta a confiança para o Grupo Volkswagen - não deixar pedra sobre pedra na dúvida e ter a máxima transparência, bem como tirar as conclusões certas a partir da situação atual”, declarou o CEO.

(foto: REUTERS/Joshua Lott)
(foto: REUTERS/Joshua Lott)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade