Publicidade

Estado de Minas

Volkswagen tem prejuízo de 1,6 bi de euros no trimestre, o pior em 15 anos

Escândalo dos motores adulterados envolve 11 milhões de veículos e coloca grupo alemão com perdas econômicas e corte de investimentos


postado em 28/10/2015 10:15 / atualizado em 28/10/2015 10:57

(foto: AFP PHOTO / DPA / RALF HIRSCHBERGER )
(foto: AFP PHOTO / DPA / RALF HIRSCHBERGER )

A montadora alemã Volkswagen, abalada por um escândalo de motores com um programa que adulterava resultados de emissões de poluentes, anunciou nesta quarta-feira um prejuízo de 1,673 bilhão de euros no terceiro trimestre. Este é o primeiro balanço negativo da companhia nos últimos 15 anos, de acordo com relatórios divulgados nesta quarta-feira (28).

Ao mesmo tempo, a empresa advertiu que terá "cargas financeiras consideráveis" com as consequências judiciais do caso. O prejuízo registrado entre julho e setembro contrasta com o lucro de 2,971 bilhões de euros do mesmo período de 2014.

As perdas, no entanto, ficaram abaixo das previsões dos analistas. A montadora também reduziu o objetivo de resultado operacional para 2015, que agora está em um nível muito inferior ao registrado em 2014.

A empresa, que já fez reservas de 6,7 bilhões de euros no terceiro trimestre para cobrir os gastos relacionados com o escândalo, admitiu que pode registrar "cargas financeiras consideráveis à medida que se concretizam os riscos judiciais".

CEO da VW, Matthias Mueller, em visita recente à fábrica em Wolfsburg(foto: AFP PHOTO / ODD ANDERSEN )
CEO da VW, Matthias Mueller, em visita recente à fábrica em Wolfsburg (foto: AFP PHOTO / ODD ANDERSEN )
O escândalo explodiu nos Estados Unidos quando foi revelado que os motores a diesel da Volkswagen tinham um software que adulterava os testes de poluição. Os carros, na verdade, tinham índices de contaminação acima do nível permitido.

O escândalo poderia envolver 11 milhões de veículos somente no território norte-americano e 8,5 milhões no europeu. A Volks já montou um cronograma de recalls para 2016, enquanto o governo alemão e de outros países afetados abriram investigações do caso. Neste mês, a japonesa Toyota ultrapassou as rivais Volkswagen e General Motors e se tornou a maior vendedora de carros do mundo, comercializando 7,5 milhões de unidades nos nove primeiros meses do ano. A alemã vendeu 7,43 milhões, enquanto a GM, 7,2 milhões.  

(foto: AFP PHOTO / ODD ANDERSEN )
(foto: AFP PHOTO / ODD ANDERSEN )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade