Publicidade

Estado de Minas SEGUNDA UNIDADE

Mercedes-Benz aposta em revenda de caminhões usados em Minas

Na contramão da queda das vendas de caminhões novos, Mercedes-Benz inaugura segunda revenda da bandeira SelecTrucks em Betim. Meta é comercializar 600 pesados seminovos por ano


postado em 10/08/2016 16:07 / atualizado em 11/08/2016 12:51

(foto: Mercedes-Benz/Divulgação)
(foto: Mercedes-Benz/Divulgação)
Com as vendas de veículos novos em marcha lenta, fabricantes apostam em soluções para driblar a crise. Atenta ao perfil de compra de caminhões usados, a Mercedes-Benz volta as atenções para a SelecTrucks – unidade de negócios de pesados já rodados na troca por modelos zero-quilômetro. Criada há três anos em Mauá (SP), a loja administrada pela própria empresa, sem a interferência de concessionárias, chega a Minas Gerais. Não por acaso. O estado é o segundo maior mercado de caminhões seminovos do Brasil.

Situada na Rodovia Fernão Dias km 481 em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a loja tem meta ambiciosa: vender até 600 caminhões ao ano para se sustentar. Como atrativo em relação às outras revendas de usados, oferece garantia de 12 meses (6 meses para fora de estrada) nos veículos fabricados até seis anos e a entrega do caminhão revisado. Até 2017 uma terceira loja será inaugurada em Curitiba (PR), terceiro maior mercado de seminovos. Mais de 1.100 caminhões Mercedes-Benz zero km foram vendidos com envolvimento da SelecTrucks, desde que a bandeira foi criada.

Em julho de 2016, a cada caminhão novo comercializado no país, outros 6,4 usados foram negociados – proporção de 186.770 contra 28.291, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Loja da Mercedes-Benz trabalha com caminhões usados de todas as marcas(foto: Mercedes-Benz/Divulgação)
Loja da Mercedes-Benz trabalha com caminhões usados de todas as marcas (foto: Mercedes-Benz/Divulgação)
“Essa loja deveria vender mais que a de Mauá, pela localização e visibilidade. Tínhamos uma limitação de espaço e flexibilidade do negócio em Mauá. Com Betim a gente consegue dividir os caminhões do estoque. De uns três a quatro anos para cá, temos visto uma readequação do preço do caminhão usado em relação ao novo”, comenta o vice-presidente de vendas, marketing & peças e serviços caminhões e ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, Roberto Leoncini.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade