Publicidade

Estado de Minas DE OLHO NO BRASIL

Kia Motors inaugura fábrica no México e registra patente do novo Optima

Fábrica de Pesquería produz o Cerato reestilizado, primeiro dos futuros modelos Kia que virão para o mercado brasileiro. Novo Optima é outra novidade


postado em 14/09/2016 08:00 / atualizado em 14/09/2016 13:41

Unidade da Kia em Pesquería, México, pode produzir até 400 mil veículos/ano(foto: Kia/Divulgação)
Unidade da Kia em Pesquería, México, pode produzir até 400 mil veículos/ano (foto: Kia/Divulgação)
A Kia Motors inaugurou oficialmente a fábrica de Pesquería, no estado mexicano de Nuevo Léon. Em operação desde maio, a unidade com capacidade para produzir até 400 mil veículos/ano, soma investimentos de US$ 3 bilhões e a partir deste ano será responsável pela importação do maior volume de carros da Kia ao Brasil. Entre os planos está a chegada do Cerato reestilizado – primeiro modelo fabricado localmente, sob o nome Kia Forte – e a nova geração do compacto Rio, que estreia mundialmente em 29 de setembro no Salão de Paris.

Outra novidade prestes a estrear no Brasil é a nova geração do sedã grande Optima, hoje vendido em única versão (R$ 106.900) equipada com motor 2.0 16v de 165cv e transmissão automática de seis velocidades.

O VRUM descobriu que o novo modelo teve a patente registrada no país e deverá ser uma das atrações no Salão do Automóvel de São Paulo, de 10 a 20 de novembro. O desenho, contudo, é do Optima europeu, sem o para-choque frontal com saídas de ar nas extremidades (no lugar, há pequenos módulos de neblina de LED, como no novo Sportage) e duplo escape traseiro do modelo norte-americano.

Imagem de patente (à dir.) mostra o desenho do novo Optima europeu (em destaque)(foto: Kia/Divulgação e Reprodução da internet)
Imagem de patente (à dir.) mostra o desenho do novo Optima europeu (em destaque) (foto: Kia/Divulgação e Reprodução da internet)
Entre as alterações do Optima europeu, apresentado no Salão de Frankfurt do ano passado, estão os faróis sweptback e um carregador de smartphone sem fios. As dimensões cresceram ligeiramente: no comprimento, o sedã da Kia passou de 4,84 metro para 4,85m; de 1,83m para 1,86m de largura e de 1,45m para 1,46m de altura. A distância entre-eixos também cresceu um centímetro, chegando aos 2,80m. Para o Brasil deve ser mantido o motor 2.0 16v – lá fora também há um novo 1.7 CRDi diesel de 141cv, além de uma configuração perua (Sportswagon).

FÁBRICA Além de abastecer o México, mercado em que a Kia tem como meta alcançar os 5% de participação até 2020, e o Brasil, 80% da produção da nova fábrica de Pesquería será destinada a países da região, principalmente os Estados Unidos. A unidade amplia a capacidade de produção mundial da Kia para 3,56 milhões de veículos.

Kia Forte (no Brasil, Cerato) é o primeiro modelo produzido na fábrica mexicana(foto: Kia/Divulgação)
Kia Forte (no Brasil, Cerato) é o primeiro modelo produzido na fábrica mexicana (foto: Kia/Divulgação)
Atualmente a unidade opera em um turno, produzindo cerca de 100 mil carros/ano – média de um Kia Forte a cada 53 segundos ou 68 unidades por hora. Um segundo e terceiro turno será adicionado em 2017 para produção de 300 mil unidades por ano, chegando a 14 mil funcionários. 420 robôs automatizados atuam na linha de montagem e pintura.

A Kia Motors espera alcançar a capacidade plena de três turnos e 400 mil unidades até o final de 2018.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade